Author`s name Freitas Jolivaldo

A invenção da Grande Teoria da Substituição

Jolivaldo Freitas

Todo dia, toda hora, todo tempo estamos sendo envolvidos por novas e contínuas invenções, e não digo de achados científicos ou tecnológicos. O que registro são as invencionices que cabeças tomadas por Hades – só pode ser – ficam a elucubrar e como o mundo é vasto e tem campo para tudo, boa parte de quem ouve acredita e em vários casos os assuntos terminam se transformando até em filosofia. Acabo de lembrar o grau de dificuldade que expressa a “Crítica da Razão Pura” de Kant que tanto quebrou a cabeça de gente pensante, mas que vai do não até a questão final do entendimento sobre as coisas.

Não é mais preciso sequer o empirismo para demonstrar uma razão absoluta sobre um tema qualquer, uma tese, uma elucubração que seja. Agora prensou e já vira filosofia e lá vem os seguidores do “filósofo”. O seguidor do guru. Do “mestre”, de sei lá mais o quê. Por causa desse acreditar sem questionar é que tivemos casos como o de Jim Jones que em 1978 foi responsável por levar centanas de componentes da sua seita ao suicídio coletivo em Georgetown e são muitos.

Garoto

Agora, recentemente, tivemos um garoto na casa dos dezoito anos, adoidado, que saiu disparando contra estudantes de uma escola no Texas e que a polícia encontrou em seus pertences uma carta ou libelo, seja lá o que foi, em que compartilha como ciência exata a tese amalucada da “Grande Substituição”. O que vem a ser isso, caso por aqui ninguém tenha sido alertado ou leu é uma história surgida na França no início do século XX e que grassa hoje nos Estados Unidos e que ganhou caminho de que existe uma conspiração mundial para fazer com que a raça negra venha dominar vários países, como por exemplo Os Estados Unidos e o Brasil.

Os teóricos chegam a garantir que para isso estão sendo exportados negros do continente africano para que assumam cidadania nos países de maioria branca e assim se apossarem do poder. Outra tese é que os próprios grupos de negros de diversos países estão importando os “irmãos” para uma completa tomada de poder, de mudança do status quo das variadas nações.

Taxa de natalidade

A coisa é assim: admite-se na tese a deliberada queda na taxa de natalidade de pessoas brancas, o que vero por outras causas no mundo inteiro, mas que os teóricos chamam de genocídio. Sendo a teoria a garantia que de os brancos perderão sua agenda política. Os supremacistas brancos deitam  rolam e também quem é contra a imigração. A teoria sendo algo com upgrade do escritor francês Renaud Camus, que escreveu "Le Grand Remplacement" ou 'The Great Replacement', publicado em 2011.

Em termos de Brasil, se formos olhar, nem precisa ter essa preocupação de fazer com que o país venha ter uma maioria negra O Brasil já tem uma maioria negra. É o país com a maior população negra fora da África. Quando se fala em nossos negros como “minoria” existe uma visão de quem são mais brancos que negros nos índices do IBGE. Na verdade, o tratamento é de minoria por que os negros fazem parte deu uma parcela da população que sofre discriminação acentuada e estão alijados do processo social, político e notadamente econômico.

O pior sobre a “tese” da Grande Substituição é que se trata, repito, de coisa amalucada, mas que vem ganhando espaço notadamente entre os nacionalistas, os nazistas e o adepto da eugenia. O mundo está esmo tomado por doidos e não é somente o Putin e tantos outros aloprados do Planalto Central do Brasil. O que vemos é o homem sendo eterno lobo do homem e envenenando uns aos outros com suas ideias de jegue. Quer me perdoem os muares.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter