Author`s name Bento Moreira

Fóssil de 460 milhões de anos encontra um novo lar na UNESCO

Um fóssil de trilobita datado do Ordoviciano Médio (~ 467-458 Ma) do Geoparque Global da UNESCO de Arouca no norte de Portugal foi doado à UNESCO hoje. O Embaixador António Nóvoa, Delegado Permanente de Portugal junto da UNESCO, e dois representantes de Arouca, Margarida Belém, autarca de Arouca e Manuel Figueiredo, deram o fóssil a Shamila Nair-Bedouelle, Subdiretora-Geral Adjunta de Ciências Naturais da UNESCO. Está agora presente na exposição que celebra o 75º Aniversário da UNESCO, na sede da entidade em Paris, França.

O Embaixador Nóvoa lembrou ao público que os Trilobites (que significa "três lóbulos") são um dos organismos mais bem-sucedidos que já existiram na Terra, tendo vivido todo o Paleozóico (541-252 Ma) desde o início do Cambriano. Comparados a eles, os humanos existem há apenas um piscar de olhos. No entanto, apesar de estarem extremamente bem adaptados ao ambiente, eles se extinguiram na grande extinção em massa que marcou o fim do Permiano, provavelmente causada por grandes quantidades de CO2 emitido em erupções vulcânicas de longo prazo. O Embaixador lembrou ainda que o património fóssil de Arouca é verdadeiramente único e foi conservado graças à paixão e empenho de Manuel Valério, dono da pedreira onde foram descobertos.

Homenagem a Manuel Valério

A cerimónia foi uma oportunidade para prestar uma homenagem a Manuel Valério, que inspirou o Arouca UNESCO Global Geopark. O seu filho, Manuel Figueiredo, trouxe o fóssil para a cerimónia e partilhou comoventes anedotas sobre a curiosidade científica do pai e o desejo de transmitir esta herança às próximas gerações, levando-o a proteger estes fósseis, apesar do abrandamento da sua escavação e estudo as obras na pedreira.

A Subdiretora-Geral expressou seu agradecimento em nome da UNESCO por esta doação, que reflete em sua opinião a estreita cooperação que a UNESCO tem mantido com a comunidade de Geociências, no âmbito do Programa Internacional de Geociências e Geoparques, que celebrará seu 50º aniversário no próximo ano. A Proclamação de um Dia Internacional da Geodiversidade (6 de outubro) pelos Estados Membros pela 41ª sessão da Conferência Geral da UNESCO em andamento traz mais um reconhecimento da importância da proteção de nosso patrimônio geológico e uma gestão mais sustentável de nossos recursos naturais, ideias que se juntam nesta doação de Portugal.

Fonte: UNESCO

Tradução exclusiva

Bento Moreira

Tópicos