Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

"Brasil Sensacional" torna turismo brasileiro mais conhecido em 12 mercados estrangeiros

Brasil Sensacional - "Trata-se de uma campanha veiculada nos 12 principais emissores de turistas ao Brasil. Ela mostra toda a diversidade brasileira - um país que tem várias portas de entrada, praias do Nordeste, Foz do Iguaçu, Rio de Janeiro, o Pantanal, a Amazônia. Portanto, é um país que apresenta diversas opções para o turista conhecer nossas belezas naturais, aproveitar a nossa cultura imensamente diversificada, nossa culinária. O objetivo principal do Brasil Sensacional, lançado nos d ois principais mercados mundiais - o mercado americano e o mercado europeu -, é aumentar o fluxo de turistas estrangeiros ao Brasil, tornar o País mais conhecido. Mostrar essa nova fase que o Brasil vive - um país complexo, desenvolvido, de economia diversificada, com todas as condições de receber bem o turista. Hoje já são cinco milhões de turistas estrangeiros que freqüentam o Brasil. Queremos aumentar esse número e tornar o Brasil mais conhecido. Em cada um desses 12 mercados, trabalhamos com pesquisas. O turista americano, por exemplo, gosta da área de sol e praia. Portanto, promover o Nordeste e todo o litoral é muito importante. Já o mercado do Reino Unido gosta muito de ecoturismo. Então promovemos a região amazônica, o Pantanal e toda área relacionada ao turismo de aventura. Adaptamos a campanha a cada um desses países."

Parceria interministerial - "Com o Ministério do Esporte, por exemplo, a parceria tem sido intensa. O ministro Orla ndo Silva é um grande parceiro, teve muito êxito na organização da parte esportiva, como na organização dos Jogos Panamericanos. Temos uma dobradinha com o Ministério do Esporte muito forte. Também temos uma relação muito forte com a ministra Dilma Rousseff, que coordena os investimentos do PAC. Ela está nos prometendo que, assim que sair a definição das cidades-sede, haverá um programa especial para essas cidades, contando com um plano de mobilidade urbana. Se não melhorarmos o sistema de mobilidade urbana nas regiões metropolitanas brasileiras, certamente criará uma grande dificuldade na circulação dos nossos turistas. Portanto, temos um compromisso com a ministra no sentido de ter um PAC específico de mobilidade urbana. Temos também parceria com os ministérios do Transportes e Cidades. Estamos realizando um grande diagnóstico com a Fundação Getúlio Vargas dos principais destinos turísticos.Analisaremos, até 2014, ano a ano, esses diagnósticos. Vamos medir a evolução dessa s cidades em questões como o meio ambiente, infra-estrutura hoteleira, estradas, aeroportos, qualificação profissional. Temos vários planos e parcerias para preparar o País para realizar uma grande Copa do Mundo."


Copa do Mundo 2014 - "Como ministro do Turismo, torço para que as 18 cidades que se candidataram sejam sedes. Porém, sabemos que a CBF e a Fifa vão escolher entre 10 e 12 cidades. A decisão final, a cargo da Fifa, ocorrerá em março de 2009. A Fifa esteve no Brasil nesta semana para avaliar os projetos das 18 cidades. Todas têm condições. Temos cinco anos e três meses pela frente para se preparar. A Copa é uma enorme oportunidade de promoção do Brasil e vai gerar emprego e renda. Receberemos mais de meio milhão de turistas estrangeiros, fora a imensa circulação de turistas brasileiros. Há alguns desafios pela frente, como a questão da infra-estrutura e qualificação profissional, mas tenho certeza que, com uma parceria entre os governos federal, estadua l, prefeitura e iniciativa privada teremos todas as condições de desenvolver uma excelente Copa do Mundo. O presidente Lula é muito sensível ao tema. O PAC vai ter uma linha especial de intervenção nas cidades que serão sedes da Copa. Estamos trabalhando com o Prodetur Nacional, que é um financiamento no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Também fizemos uma parceira com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que fez um grande diagnóstico dos principais destinos brasileiros."


Segurança e economia - "Temos trabalhado muito no sentido de organizar melhor nossos destinos turísticos. Trabalhamos na infra-estrutura, urbanização, atendimento ao turista, qualificação profissional, recuperação do patrimônio histórico. Temos, sim, que enfrentar esse problema da segurança pública. Problemas existem no mundo todo. Uns países enfrentam terremotos, outros têm instabilidade política, crise religiosa. O Brasil não tem nada disso. E as vantagens do Brasil são imensamente superiores a eventuais problemas. Tenho certeza que o Brasil tem todas as condições de receber muito bem o turista. O turismo vem crescendo no Brasil. Não só o internacional, mas o turismo interno também. Com essa política econômica de êxito do presidente Lula, muita gente entrou no mercado de consumo. Uma das saídas para enfrentar a crise internacional é fortalecer nosso mercado interno, que já vem crescendo."


Hospedagem das seleções - "Todo o Brasil ganhará, porque vai haver a hospedagem de mais de 30 seleções. Portanto, várias outras cidades poderão ser sub-sedes. O Brasil, quando foi jogar a Copa da Alemanha, ficou na Suíça. Certamente, teremos condições de hospedar um conjunto grande de seleções. Haverá uma grande circulação de turistas pelo Brasil. Por isso, estamos preparando 65 destinos brasileiros para poder receber a Copa com grande qualidade. Mas também estamos torcendo para que o Rio de Janeiro ganhe a disputa com Tóquio, Chicago e Madri para a sede das Olimpíadas de 2016. Estamos esperançosos de que a Olimpíada seja realizada no Rio de Janeiro. Não será a Olimpíada do Rio, será a Olimpíada do Brasil e do continente sul-americano. É importante observar como a China e Pequim aproveitaram positivamente as Olimpíadas. Tenho certeza de que o Brasil está no caminho certo. O presidente Lula gosta muito desse tema e sabe que desenvolver o turismo é gerar emprego e renda. É uma possibilidade de vender o País lá fora, não só pela questão turística e esportiva, mas porque isso possibilita grandes negócios. O Brasil é um grande exportador, com uma indústria bem desenvolvida, vende aviões, conta com a Petrobras, que é uma grande multinacional. Portanto, é muito importante para o Brasil a promoção de grandes eventos esportivos."


Ministério do Turismo - "Foi uma grande conquista do governo Lula ter criado o Ministério do Turismo. Houve maior organização do setor. Estamos trabalhando agora diretamente com os gove rnadores e outros parceiros do setor turístico. Foi uma grande evolução nesse sentido. Temos a Embratur, que cuida da promoção no mercado exterior. Temos um Plano Nacional do Turismo, que já está em sua segunda versão, com um grande conjunto de metas, pesquisas e planejamento. Foi fundamental sairmos de uma política de ocasião, de um apêndice de outros ministérios, para uma política de Estado. Independente de quem esteja na cadeira de ministro, existem metas, programas e objetivos que vieram para ficar. Conseguimos aprovar a Lei Geral do Turismo. Faltava ao nosso setor um marco regulatório que desse segurança aos investimentos, segurança tributária, benefícios ao turista. Portanto, tivemos grandes avanços nos últimos anos, como o aumento das receitas de entrada do turista internacional. Passamos de três milhões, no inicio do governo Lula, para mais de cinco milhões de turistas estrangeiros. Além disso, há todo o trabalho que temos feito no mercado interno. Portanto, o presid ente Lula é responsável pelo crescimento que o turismo está tendo, pela sensibilidade de perceber que o turismo é uma forma de desenvolvimento, gerando muito emprego e renda. São mais de seis milhões de brasileiros que trabalharam com turismo no Brasil."

Ligação aérea - "O Brasil vem se recuperando da perda da Varig, que aconteceu há dois anos. A campanha Brasil Sensacional vem muito a calhar nessa questão, porque vai aumentar o fluxo. Recentemente, a TAM confirmou dois vôos diários para Miami e Nova Iorque. A Delta e a American Airlines também confirmaram novos vôos ligando o Brasil ao mercado americano. A grande vantagem é que esses vôos não estão mais concentrados no Rio e em São Paulo. As saídas agora também acontecem do Nordeste, Manaus, Belo Horizonte e Brasília. Vamos chegar em torno de 160 freqüências semanais ao mercado americano. Isso significa cerca de 30 mil assentos semanais. É um grande potencial de trabalho. Hoje são 700 mil americanos que vêm ao Brasil por ano. Temos todas as condições de aumentar esse número não só no turismo de lazer, mas também no de negócios. São Paulo, Porto Alegre, Curitiba e Belo Horizonte são grandes centros de business no Brasil. Com relação ao mercado europeu, acontece a mesma coisa. Temos aumentado os vôos. A TAP tem linhas freqüentes no Nordeste, em Brasília. A TAM também tem aumentado o seu fluxo. A British Airways também tem aumentado a freqüência. As notícias são positivas e estamos muito esperançosos de aumentar esse fluxo de turistas estrangeiros, que hoje somam cinco milhões e deixam quase US$ 6 bilhões aqui no Brasil."


Lei Geral do Turismo - "A Lei Geral do Turismo foi um grande avanço. O turismo não possuía um marco regulatório. Havia grande sobreposição de leis municipais, estaduais e federais, portanto ter esse marco regulatório dará segurança aos investimentos privados de longo prazo na área, inclusive os estrangeiros. Exigimos agora um cadastramento de todos os meios de hospedagem do setor que trabalha com turismo, tirando da clandestinidade e da informalidade vários destes segmentos. Há multas para quem não se cadastrar, e vai haver um acompanhamento do Ministério junto com as secretarias estaduais de turismo. Porém, o turismo é uma atividade privada que a gente regulamenta, trabalha, mas a decisão de preços é do mercado."

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República