Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Convenção Municipal do PCB

Santana do Ipanema (AL), A Pérola do Sertão, tem um histórico de resistência ao coronelismo. Nós nos orgulhamos de que a nossa população sempre repudiou as tentativas de quem quer que seja fazer do nosso município um curral eleitoral à maneira dos coronéis e suas tropas de jagunços, perseguindo e ameaçando quem contrarie seus interesses. Dizemos não à lei da mordaça" (Sérgio Soares Campos) sscsial@hotmail.com ).

Discurso de Sérgio Campos na Convenção Municipal do PCB em 21 de junho de 2008

Após os cumprimentos e agradecimento pelo apoio dos correligionários e militantes do partido, defensores de sua candidatura, Sérgio Campos proferiu o seguinte discurso:

Para nós a luta é árdua e ao mesmo tempo prazerosa; visto que, desde que alguém abraça uma causa, acreditando nela e em seus frutos, a partir daí este alguém já pode ser considerado um vitorioso.


Vejamos, por exemplo, o advento das rádios comunitárias. Foi a partir de então que surgiu uma voz nas periferias das cidades brasileiras; porém, como toda manifestação política vindo das classes mais pobres, a repressão logo se fez presente. Certamente, no caso das rádios comunitárias, não se poderia esperar que fosse diferente. Muitas são as histórias de perseguição às emissoras comunitárias.


Faz cerca de seis anos que fundamos a Associação Cultural São Sebastião, no povoado Areias Brancas, e através dessa entidade criamos a Rádio A Voz do Sertão. Atendendo a todas as exigências legais, enviamos a documentação para o Ministério das Comunicações, entretanto não recebemos qualquer resposta. Já tivemos os equipamentos daquela emissora lacrados pela ANATEL, mesmo assim mantemos a luta e continuamos operando em benefício da comunidade.


Recentemente, junto com um grupo de amigos do Bairro Lajeiro Grande, aqui mesmo na área urbana do nosso município, fundamos a rádio comunitária Boa Nova, e, em menos de oito meses de funcionamento, esta também foi visitada pela ANATEL, que lacrou os equipamentos.


Posteriormente tivemos todos os equipamentos apreendidos por ordem da justiça local. Agora, finalmente, a Justiça Federal, em decisão expressa pelo meritíssimo Dr. Rubens Canuto, nos concedeu o direito de reaver os equipamentos apreendidos, o que faremos muito em breve.


Quanto à minha experiência como militante político, atuante em diversas campanhas eleitorais, ela passa pelo apoio que dei a candidaturas através das quais se vislumbrava a possibilidade de uma administração popular em nosso município.

Sempre me orientei pelas propostas de programas voltados para os verdadeiros interesses da população santanense. Por isso minha visão política sempre me fez optar por candidatos que demonstrassem compromisso com as camadas sociais mais carentes; assim como revelassem aptidão e competência para captar recursos, com os quais pudéssemos implementar projetos que gerassem emprego e renda entre as forças trabalhadoras.


Devido a essa militância, tive a oportunidade de colaborar para a eleição do ex-prefeito Marcos Davi, o que resultou na minha nomeação para o cargo de Chefe de Gabinete daquela administração municipal. Exerci as funções inerentes ao cargo, orientando-me pela mais importante herança que recebi de meus pais: a educação familiar cujos princípios determinam um comportamento moral e ético, sob os preceitos da honradez pessoal, da maturidade política e da competência administrativa.


Ao fundar o Diretório Municipal do PCB aqui em Santana do Ipanema, passamos a analisar a conjuntura política de nossa cidade, visando concluir sobre a viabilidade de o partido lançar candidaturas próprias aos cargos de prefeito e vice-prefeito, assim como oferecer opções de candidatos à Câmara de Vereadores. Amadurecemos os debates internos, aprofundamos as analises sobre questões políticas especificas do nosso município e concluímos que deveríamos nos unir em torno da candidatura própria para o cargo majoritário. A partir de então, passamos a especular sobre o nome que encabeçaria a chapa.


Todos os membros do partido apresentavam, à sua maneira, condições de assumir tão relevante posição. Verificamos que os filiados ao PCB expressavam representatividade entre alguns setores da sociedade santanense, como, por exemplo, o professor Paulo Roberto Chagas, presidente do Diretório Municipal do PCB, cuja atuação junto à classe trabalhadora, destacadamente através dos movimentos sindical e comunitário, revelou que se trata de elemento fundamental nas lutas políticas e no movimento sindical em Santana do Ipanema e região.


Paulo Roberto Chagas é hoje reconhecidamente um jovem amadurecido, pronto para assumir responsabilidades que, no passado, determinados políticos não foram capazes de assumir de verdade. Portanto, tratava-se de um dos nomes disponíveis para encabeçar a candidatura a prefeito de nossa cidade. Hoje, Paulo Roberto Chagas aqui está se propondo a compor a chapa majoritária, empenhando seu nome como candidato a vice-prefeito de Santana do Ipanema.


A comunicadora Luciene Maria, radialista atuante, filiada a este partido desde os primeiros momentos em que organizávamos o Diretório Municipal do PCB em nosso município, engajou-se a luta de forma abnegada, acreditando no projeto socialista que norteia os propósitos do partido. Desta forma Luciene Maria decidiu assumir candidatura à Câmara de Vereadores, acreditando que assim pode vir a contribuir para a realização dos sonhos do nosso povo.


Durante todo o tempo em que preparamos esta convenção para a escolha dos candidatos, nós nos colocamos à disposição dos demais partidos. Estivemos abertos ao diálogo, a fim de, na medida do possível, formarmos alianças que fizessem convergir os interesses da população, unindo os diversos segmentos da sociedade em torno dos interesses do povo santanense, visto que o projeto político-administrativo que elaboramos para Santana do Ipanema é um projeto nascido dos anseios populares, e dele participaram inúmeras famílias, opinando e sugerindo medidas e ações efetivas que possam solucionar os problemas que assolam o nosso município.


Foi assim que elaboramos o nosso programa de governo, o qual contempla, prioritariamente, as nossas crianças, os nossos jovens adolescentes e os idosos. Entretanto, para que possamos implementar projetos e alcançar metas, contamos com as forças ativas e potenciais das mulheres e dos homens que fazem aflorar vida em nossa cidade. São os que realmente produzem as riquezas de nossa terra e se esforçam para fazer Santana do Ipanema progredir com justiça social.


Para decidirmos sobre a candidatura própria do PCB ao cargo de prefeito de Santana do Ipanema, dialogamos com centenas de famílias, discorrendo sobre temas de interesse coletivo. Tratamos de questões relacionadas ao trabalho, saúde, educação, agricultura, lazer e ação social. Abordamos ainda questões inerentes à infância e à adolescência, assim como debatemos em relação aos idosos, suas experiências e importância para a comunidade. Também analisamos o comportamento do eleitor e o voto consciente.


Durante essas consultas, o nome Sérgio Campos era exposto como possível candidato ao cargo de prefeito de Santana do Ipanema. Solicitávamos opiniões sobre a idoneidade e competência deste possível candidato. Casos existiram em que os consultados declararam que há muito tempo especulavam sobre essa possibilidade, pois acreditavam que o nome Sérgio Campos correspondia às expectativas neste sentido.


Por tudo isso, o PCB decidiu lançar o meu nome como candidato a prefeito de Santana do Ipanema, uma cidade que registra gloriosa história de luta por conquistas sociais e pelas liberdades democráticas, como no caso dos nativos Fulni-ô e dos negros que se organizaram em comunidades quilombolas para enfrentar o poder escravocrata do coronelismo que predominava na região.


Portanto, aguardamos que esta candidatura venha a atender aos anseios da população santanense, de forma que possamos transformar sonhos em realidade.