Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Luso é destaque na TV uruguaia

Fernando Vilar Diretor do Telenoche 4

Esta reportagem tenta mostrar o perfil de um dos maiores destaques portuguêses de fora Portugal na Imprensa do mundo.

PRAVDA: Seu nome ?

VILAR: Manuel Fernando Correia Vilar, autenticamente português pois VILLAR é espanhol e não é meu caso.

P: Data de nascimento ?

V: 15 de Fevereiro de 1954

P: Lugar de nascimento ?

V: Nasci numa cidade pequenininha conhecida como Monção, na Freguesia de Lara.

P: A família nesse instante ?

V: Foi uma situação extremamente estranha pois meu pai casou com minha mãe, deixando-a grávida e foi embora para o Brasil pois a situação financeira não era boa.

Então acabei nascendo lá no Portugal ficando com minha mãe só.

Fica claro que ela tinha irmãs, cunhadas (irmãs do pai), vovozinhos mas meu pai não estava conosco.

No final acabei conhecendo-o pessoalmente na hora que ele desceu do Brasil até Uruguai quanto eu tinha comemorado meu aniversário Nº 6.

Não conhecia ele nem numa foto pois naqueles anos uma travessia pelo Atlântico poderia levar uns 3 meses.

P: Qual é a família que ainda fica no Portugal ?

V: Lá tenho 2 irmãs do pai (o único irmão dele faleceu num acidente no tráfego no Uruguai), todos os filhos delas e do lado da mãe uma irmã e um irmão também com filhos ou seja meu primos.

P: Continuam todos eles na região ?

V: No caso das irmãs do pai que moravam lá, acabaram se mudando para uma cidade muito perto que é Braga aonde elas trabalham e o lugarzinho no qual eu nasci agora é para momento de lazer cada final de semana. Agora as residências dos povoados na grande maioria foram arrumadas e usam-se como uma chácara do Brasil só que bem mais pequenas como é lógico !!

Por enquanto meus parentes do lado da mãe que são lisboetas continuam morando aí, porém o “esqueleto” da família não tem mudado muito no decorrer dos anos.

P: Mantêm contato com eles ?

V: Ano retrasado veio para o Uruguai um dos meus primos mas não mexe com a net porém mato o assunto com ligações fazendo o negócio bem mais simples.

Do jeito que sempre acontece o relacionamento é melhor com alguns deles, por exemplo, com o famoso tio Juan meu relacionamento é ótimo e na hora que visitei no Portugal o alvo de nossas conversas foram inúmeras.

Talvez se o relacionamento fosse duma outra forma poderia perder aquela magia que acaba me cativando.

Saiba que no horizonte sempre estou planejando uma viagem !!

P: Cidades dessas conhecidas que estão perto do povoado de Monção ?

V: Com certeza, Braga máximo uns 70 km do recanto no qual eu comecei respirar neste mundo e Porto mais para o sul mas o Distrito que pertence a Vila de Monção é o Município de Viana do Castelo que é maior (minha carteira de identidade e passaporte falam desse lugar com meu lugar de nascimento).

P: Então tem carteira de identidade portuguesa...

Tenho sim, além do passaporte e estou tentando que minhas filhas consigam ganhar a condição de portuguesas tirando o passaporte, quem sabe elas poderiam precisar logo.

P. A mulherada em casa ?

V: Minha esposa, María Julia que é tabeliã e duas filhas, María Victoria (22 anos) e Romina (18) fora meus pais que moram em Montevidéu.

Também duas irmãs e um irmão mas todos eles uruguaios porém sou o único com certificado de origem português legítimo.

P: Faz quanto tempo está no Canal 4 de Montevidéu ?

Quinze anos, comecei como coordenador do telejornal TELENOCHE ( abril 1991 ) o no final desse ano ganhei a nomeação de Sub-Gerente do Depto. de Imprensa. A partir de maio do 93 fiquei como Diretor de TELENOCHE no horário central mas também temos responsabilidades compartilhadas com a Gerente nas outras edições do TELENOCHE, TELE BUENDÍA (7 da manhã), TELEDÍA ( 12:30 pm ), TELENOCHE 2ª. Edição (23 h), nos FLASHES e no TELESEMANA (aos domingos) mas com especial atenção no horário central das 19 h.

P: O horário central de TELENOCHE 4 são 19 horas no Uruguai, mais três horas agora no Portugal ?

Será que os portugueses vão conseguir te conhecer ao vivo ou mínimo sua voz ?

V: Claro que podem, entrando no site do canal das 22 horas de Portugal até 23 horas ( www.montecarlotv.com.uy ) ou mínimo me ouvir na emissora Radio Cero ( www.radiocero.com ) que transmite ao vivo o jornal pensando naqueles que estão voltando a casa no carro ou agora para todos aqueles que fora o país desejam ficar á par do que está acontecendo mergulhando na net.

P: Fora que percebe-se seu estilo próprio do Fernando Vilar na frente do TELENOCHE, as redes de tevê brasileiras que entram pelo cabo no Uruguai, influenciam seu estilo ?

V: Em cada um dos países que visitei assisto a tevê em cada caso tentando resgatar coisas importantes. No caso da Europa deu para perceber que o cara que fica na frente da telinha não tem interesse nas opiniões da classe política. Posso salientar que houve um jornalista que foi espelho para mim como o Jorge Arellano que foi a cara do TELENOCHE antes da gente chegar no canal. Gostei sempre do estilo do Jorge pois jogava o jornalista convencional no lixo, mostrava-se descontraído, sem aquele esquema rígido, resumindo, não parecia um palestrante na frente do palco tendo falado uma linguagem simples sempre.

Vou te colocar á par que curto minhas feiras no Brasil sempre durante um mês porém assistindo tevê e tento “segurar” o que tem de bom para logo tentar “xeroca-lo” no Uruguai mas assim que voltar acabo dando uma “batida” com o estilo do jornalismo uruguaio que empresta atenção naqueles assuntos que eu não acho fundamentais.

Conclusão, está difícil se adaptar mesmo !!

Neste mercado, não é importante pra mim a ligação de um deputado querendo falar dum assunto qualquer. Sua opinião é importante como uma outra que não vier dum deputado na hora que trata-se um assunto VIP como a redação duma lei sob o tratamento que teria que receber o aborto.

P: A Embaixada portuguesa reconhece-o como um português legítimo, não é ?

V: Sabe o que...só da para agradecer o tratamento que o governo português me deu sempre. No ano 99 fui convidado ao Encontro de Jornalistas portugueses e luso-descendentes no mundo. Acabei indo junto com o Dr. (advogado) Jorge Da Silveira, jornalista desportivo e com raízes açorianas (mais participações nas Taças do mundo dando início seu “roteiro” na Inglaterra ’66 e por enquanto acabando na Alemanha 2006).

Porém fiquei duas semanas, a primeira assistindo o Seminário e conhecendo Lisboa toda além dos Prédios do Governo mas logo continuei com a parte não oficial da viagem que foram as visitas nas casas dos parentes.

Na atualidade cada vez que há um evento em Montevidéu, sou convidado da Embaixada. Durante a visita duma famosa fadista estive aproveitando contatos para divulgar da melhor forma possível, logo na hora da degustação dos melhores vinhos portugueses e no início de novembro no decorrer da visita do Pdte. Aníbal Cavaco Silva durante a Cimeira de Presidentes.

Faz pouco tempo que a Casa de Portugal e a Embaixada me propuseram como destaque português no mundo no meu caso na área das telecomunicações e se por acaso tiver o privilégio de ganhar o prêmio, vai ser entregue em Lisboa numa Cerimônia que vai transmitir ao vivo a RTP (Rádio e Televisão Portuguesa). Já estou ansioso pela possibilidade de viajar mais uma vez para Portugal, nem tanto pelo prêmio.

Fora isso, adoraria pois tenho o pedido da minha filha caçula que está me pedindo conhecer o lugarzinho no qual eu nasci. Tomara consiga se concretizar esta possibilidades mas caso contrário também vou fazer essa viagem junto com meus pais.

O pai chegou em Montevidéu no ano 60 voltando para Portugal pela primeira vez no 80. Logo eles (junto com a mãe) voltaram no 94 e também eu fui pela primeira vez desde minha vinda.

No final foram três as vezes que até hoje estive no Portugal, essa primeira no 94, a primeira convidado pela União Européia e a última pelo governo português para o Congresso de Jornalistas.

P: Como amador do futebol, gosta do estilo de narração do Galvão Bueno ?

V: Gosto sim, gosto, eu gosto desse estilo...é bem diferente.

P. Quanto ao assunto futebol, você é torcedor do Peñarol não é ?

V: Sou sim e sabe porque ?

A primeira vez que assisti um jogo de futebol no Uruguai foi no Estádio Centenario para o jogo final da Taça Intercontinental do ano 1961 do Peñarol e o Benfica. Posso me lembrar que um vizinho convidou o pai junto comigo. Nunca soube porque eu estive lá nas arquibancadas e o pai foi apenas pela sua condição de português pois ele não era torcedor do Benfica.

Eu nunca acabei de entender porque eu estive aquele dia no Centenario.

Posso me lembrar de muitas pessoas, uma do lado da outra e um monte de “moleques” jogadores no relvado) lá embaixo indo para um lado e para o outro. Acho que foi a mesma coisa que assistir ao circo.

Só posso me lembrar que aquele dia o Peñarol venceu o Benfica de 5 x 1 e o pai ficou com muita raiva, triste, com raiva mesmo. Mais logo aquele vizinho que era torcedor e tanto do Peñarol continuou me convidando assistir as partidas da equipa e dessa forma foi nascendo aquele sentimento ímpar.

Logo consigo me lembrar dessa terceira partida final que por incrível que pareça também foi em Montevidéu. (gestão feita com sucesso pelo Washington Cataldi do Peñarol (criador da Taça Libertadores) ).

Mas desta vez do lado do aparelinho da som da época, ouvindo uma narração ao vivo desde o Centenario., tendo com resultado final Peñarol 2 x Benfica 1. Muito devagar mas dava para entender aquela paixão que começava aumentar pelas cores amarelo e preto daquela camisa, conhecer o futebol, porque o sentimento pelo Peñarol e os “heróis” acima do relvado.

Nem sei, um monte de coisas...Bem mais para frente soube que o grande Eusébio jogou aquela primeira partida que eu assisti na minha vida...Resumindo essa foi “minha decolagem” com destino torcedor do Peñarol e amador do futebol.

P. O que foi marcante daquele Peñarol dos anos 60 ?

V: Puxa vida, muita lembrança inesquecível, daquela partida o goleiro do Peñarol, Luis Maidana um cara resolvido mas da década poderia também poderia salientar o Alberto Spencer, Juan Joya, Pedro Rocha (logo são paulino nos 70), Héctor Silva ( logo palmeirense), Julio César Abadie (4º na Taça Alemanha 54).

Nem sei...mas á partir desse instante comecei ficar de olho no futebol português, a história daquele tal Eusébio, uma maravilha preta incrível, sem palavras !!

No 66 fiquei dando muita atenção naquela Taça da Inglaterra pois estava Uruguai (estréia no Wembley perante a Inglaterra sem furar as redes), Portugal que marcou a história fazendo duas fazanhas com aquele 3 x 0 perante o Brasil ou dando uma virada de 5 x 3 perante a Coréia logo começar perdendo de 0 x 3.

Consigo me lembrar estando na Escola, minhas “tias” passando o comentário que o Portugal fez isto, que o Portugal fez o outro.

Porém daí para frente minha paixão pelo futebol continuou sem parar até hoje.

P: Do futebol brasileiro quem foi o destaque da história ? Pelé ?

V:Pelé, poderia ser mais pra mim foram Jairzinho, Roberto Rivelino, Tostão, Jerson, Carlos Alberto e Pelé, todos eles reunidos naquela turma que segundo meu ver foi o melhor futebol da história.

P. Melhor daquele Brasil do 82 ?

V: Com certeza, para mim foi o Brasil do 70, que na final perante a Itália perfurou as redes quatro vezes jogando com alegria, descontraídos, se divertindo, quase num bate-bola na areia da praia. Numa final com o Estádio absolutamente lotado, milhões assistindo na tevê...aquelle negócio foi uma delícia...só estava faltando a música que também tinha nas arquibancadas.

Porém cada vez que tinha a possibilidade de assistir os jogos daquele Brasil, preparava minha cabeça para assistir ao grande show de plástica, dinamismo e um bocado de coisas semelhantes.

P: Você acompanhou a história do Eusébio, poderia colocar o Figo no mesmo degrau ?

V: Não, não posso...com muito respeito pelo Luis, acho que não da nos joelhos do Eusbio. Como exemplo, da na metade do Eusébio. Nem sei, talvez seja um erro mas tentamos comparar jogadores duma época com uma outra...será possível quando a bola agora é bem mais leve, as chuteiras pesavam 2 kg cada, os jogadores não ficavam na “academia” como porção importante do treino. Nem sei...mas acho que caso eu tivesse que assinar contrato com um deles para jogar na minha equipa domingo que vem, eu assinaria com o Eusébio. O Figo me fez “esquentar” bastante, fiquei bronqueado várias oportunidades. Sabe estive em Lisboa e na porta do Estádio do Benfica, tirei uma foto do lado do Monumento do Eusébio que felizmente construíram com ele ainda neste mundo.

P: O que acha dessa atitude do Figo de “mudar” a camisa do Barça pelo Real Madrid ?

V: Não sei se foi legal ou errado. Eu coloco nos chinelos do Luis e não sei o que teria feito. Do jeito que acontece no Uruguai quanto os jogadores vão do Peñarol para o Nacional...O único que eu sei é que são profissionais do futebol, hoje estou no Canal mas se por acaso viesse uma proposta da RTP ou da Globo oferecendo uma verba muito interessante eu troco a camisa.

P: Brasil tem milhões de jogadores de futebol e o Deco naturalizou-se português para jogar com a camisa lusa. Argélia não tem tantos jogadores e o Zidane vestiu a camisa azul da França, achou legal ?

Será que esse assunto não é simplesmente financeiro, nada a ver com a pátria ?

V: Com certeza o Zidane não tivesse poupado tanta grana na Argélia...Nem sei...mesmo que Moçambique era parte do Portugal Eusébio teria ganho tanta fama do jeito que acabou conquistando com a Lusa ?

P: Uruguai e América toda ligou o pisca-pisca para a esquerda, tua opinião do assunto ?

V: Olha aí, não sei se é ótimo ou ruim, só a história um século na frente vai dizer que no início do século XX América virou para esquerda e por causa disso aconteceram tais ou quais acontecimentos.

Eu como jornalista comemoro as mudanças pois o cenário é bem diferente daquele que tínhamos nos últimos anos, favorecendo o análise, a informação e a notícia. No caso uruguaio, se por acaso as eleições de outubro de 2004 tivessem sido ganhas pelo Partido Colorado ou Nacional o resultado tivesse sido mais uma dado da história mas tendo ganho o Frente Amplio, foi a primeira vez que uma força da esquerda acabou conquistando a Presidência, porém ninguém saberia os nomes dos Ministros como tivesse acontecido com a outra escolha. Isso só no interior de casa, mas também íamos começar imaginar com ia acontecer o relacionamento com os EUA, a Europa ou até com o bloco Mercosul.

Nossa, houve muita surpreesa !!! Achei que o time Lula (Brasil), Kirchner (Argentina) e Vázquez (Uruguai) ia ter um relacionamento muito fluente e o bloco ia andar acima dos trilhos mas por incrível que pareça Uruguai e Argentina estão tendo a pior crise diplomática dos últimos 50 anos.. Se os presidentes tivessem sido o Dr. Julio Maria Sanguinetti e Dr. Jorge Batlle Ibáñez ( Uruguai ) ou Dr. Carlos Saul Menem acho que nada tivesse acontecido...

Um “cara” como o Evo Morales que não gosta usar gravata seja Presidente da Bolívia é ímpar, que tinha decidido “naturalizar” as minas de minerais para o Controlo do Governo é melhor ainda. Eu acho mas só a história vai falar mais alto quanto aos assuntos em consideração. Eu agora comemoro como jornalista pois são experiências novas.

P: Porque acha que o Lula aumentou a diferença acima do Geraldo no último turno das eleições ?

V: Ele, ele, ele é honesto...e um cara honesto fora ter tido corrupção por perto é mais importante hoje do que os planos do governo, ou o planejamento feito. O povo vota em caras honestos e honestidade são outros quinhentos na atualidade.

Pois é um trabalhador da indústria metalúrgica, porém com certeza tem milhões de cabeças mais brilhantes do que a do Lula. O que faz que o Lula seja presidente deixando fora advogados, tabeliões, arquitetos...acho que as pessoas confiam naqueles que acham semelhantes.

P: O Presidente português Aníbal Cavaco Silva ?

V: Sabe...tão longe assim é difícil julgar alguém. Tem dito para mim que é centro-direita, juro que disseram para mim. Também disseram que é da alta sociedade porém gera na gente uma dúvida, porquê a população não acabou votando nos outros candidatos.

O que não gostaram deles ?

Europa toda é um cenário estranho, muda de governo duma forma muito simples, passando do socialismo para o centro-direita votando mais logo no socialismo num abrir e fechar de olhos.

Estive com o Presidente Cavaco Silva na Casa de Portugal durante a última Cimeira Ibero-americana de Presidentes que aconteceu em Montevidéu no início de novembro e achei ele muito aconchegante, legal e amável. Na maioria dos casos os presidentes colocam o horizonte muito alto e não olham por baixo dessa linha.

P. Tem condições de votar lá no Portugal ?

V: Tenho sim mas nunca votei.

No Uruguai vai ser assunto de debate nos Deputados e Senadores o voto gerado fora das fronteiras do país mesmo que for emitido pelos uruguaios que foram embora no passado.

Sabe, não tenho posicionamento muito firme neste assunto...respeito as duas posições. Está certo ou errado que aqueles de “fora” decidam no que acontece no país ?

Concordo com as duas teorias.

Aquele que está fora é tão cidadão quanto aqueles que estão no país pois foram embora por uma razão poderosa mas também concordo com aqueles que desde o país falam que os que estão fora não deveriam mexer na vida do país. As duas posições têm um pouco de razão.

P: No decorrer destes 15 anos no canal, quais foram as notícias dos séculos XX e XXI ?
V: A maior de todas, a Nº 1, aquela que me deu calafrio foi a notícia das Torres Gêmeas de Nova Iorque. “Apaga” o resto, tenha certeza !!

A caída do Muro de Berlim foi uma outra importante mas eu não estava no canal.

Sem dúvida a notícia das Gêmeas com vantagem importante acima do resto, a grande notícia da história.

Não sei., posso me lembrar do Columbia explodindo no ar e o mundo todo assistindo ao vivo como sete vidas sumiam do mundo, ou até o Atentado da AMIA em Buenos Aires.

Sabe fiquei surpreso com os casos de corrupção do presidente peruano Alan García e o brasileiro Fernando Collor de Melo. As ditaduras tinham ido embora do continente e agora tinha sangue nova na frente desses governos com o grande apoio dos peruanos no caso do García mas acabou saindo com carimbo de ladrão e por incrível que pareça volta como presidente no 2006. No caso do Collor um cara novo, inteligente e até bonitão e quem sabe...no Uruguai as mudanças do governo foram destaque, o resto continua igualzinho como sempre.

P: Conhecia o PRAVDA ?

V: Conhecia sim, com certeza. Se alguém me pedisse um sinônimo da imprensa na Grã Bretanha, eu diria BBC e se o país fosse a Rússia o nome é o PRAVDA. É um dos jornais mais reconhecidos do mundo inteiro sem sequer te-lo lido.

P: A versão On Line em português ?

V: Agora eu conheço (tirando seu melhor sorriso) e foi pela tua causa.

P: Acha que as versões On Line vão engolir os tablóides daqui para frente ?

V: Sem dúvida, sem dúvida mas não precisa imaginar essa situação no futuro. As versões na net estão engolindo os tablóides já-já.

Aquele cara que compra um jornal é lido pelo amigo, os parentes e os colegas do escritório mas cada dia tem menos pessoal comprando jornais nas bancas. Pior ainda, na hora que senta na poltrona do escritório, pede um cafezinho e liga o computador além de verificar os correios, da uma lida nos jornais On Line.

Quer BBC, aí tem BBC, quer PRAVDA, tem o PRAVDA, quer CLARÍN de Buenos Aires, também tem aos poucos.

Acho que daqui a dez anos os tablóides poderiam não existir.

P: Qual foi o sentimento de ter ficado em Santiago de Chile na hora que o Augusto Pinochet morreu ?

V: Foi incrível, pois eu não estava trabalhando, estava de feiras e absolutamente “out” deste mundo. Acabei assistindo a tevê cada noite no hotel pois acho que não tinha nada melhor a fazer e um domingo às duas da tarde saindo a passeio, o cara da recepção do hotel falou para mim que o Pinochet acabava de morrer. Fiquei surpreso e a ficha continuava sem cair pois não conseguia perceber o tamanho da notícia como tivesse percebido se tivesse ficado em Montevidéu. O mundo todo estava no aguardo de duas novidades, a morte do Fidel e do Pinochet...e eu lá no lugar certo, na hora certa, não dava para acreditar. Eu sem o “ferramental apropriado” para atender a notícia...felizmente o canal 4 e um canal chileno resolveram o assunto técnico tendo conseguido transmitir al vivo para TELENOCHE. Logo desde o velório do Pinochet, estando na Moneda durante aqueles problemas e os olhos do mundo nesse lugar.

P: O canal sempre nos momentos históricos da vida política chilena ?

V: Só por acaso o Canal esteve aquele 11 de setembro de 1973 no assassinato do presidente Salvador Allende dando início à ditadura do Pinochet.

Agora todos me perguntando se estou com vontade de dar um pulo até Cuba daqui a dois meses se por acaso surgisse alguma novidade.

P: Que fazer mais algum comentário ?

V: Foi grande o orgulho na hora que soube que o PRAVDA tinha uma versão em português. Um país sem muita força no mundo como Portugal, também não tem muitos portugueses em alguns países. Fico triste quanto no Uruguai, Portugal quase não existe. Estive tentando “trazer” a RTP para alguns dos Cabos uruguaios (até foi oferecido de graça) e nem desse jeito foi aceite. Então fico com muita dor mas preciso na “esquentar” porém esqueço do assunto.

Adorei na hora que confirmei que um jornal tão importante quanto o PRAVDA é, tem uma versão portuguesa, que me faz explodir de orgulho.

É mesmo orgulho que eu sentiria caso a BBC tivesse sua versão portuguesa.. Puxa vida, felizmente o português na América Latina tem seu espaço por causa do grande Brasil que temos do lado, no caso contrário não existiria. Resumindo, adorei ficar à par desta noticia do PRAVDA em português.

Grande prazer e boa sorte !!!

Correspondente PRAVDA

ESPIN ASISTENCIA COMERCIAL

Gustavo Espiñeira

Montevidéu – Uruguai

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter