Author`s name Anton Kulikov

Europa, mantenha a calma e pague pelo gás russo para se aquecer

Os preços do gás na Europa bateram novos recordes, assim como os preços das ações da Gazprom, o que não é nenhuma surpresa. Ao mesmo tempo, a situação atual pode ter consequências negativas para a Gazprom e para a Rússia como um todo.

Crise do gás na Europa

Muitos políticos e jornalistas europeus dizem que os problemas atuais da Europa com os preços do gás estão relacionados à posição da Rússia sobre o problema. Supostamente, é assim que a Rússia está tentando influenciar o processo de lançamento do sistema de gasoduto Nord Stream 2.

Ao mesmo tempo, autoridades russas, incluindo representantes da Gazprom, dizem que é impossível simplesmente fornecer à Europa tanto gás quanto os europeus precisam.

A Gazprom cumpre todas as suas obrigações contratuais. O monopólio russo do gás natural não viola nada quando não aluga capacidades adicionais para o transporte de gás natural via Polônia e Ucrânia, embora possa parecer, no entanto, que a Gazprom deve fazê-lo contra sua própria vontade.

Existe outro aspecto do problema. Há poucos dias, Sergei Kapitonov, analista de gás do Centro de Energia da Escola de Administração de Moscou, observou que a magia da Gazprom pode em breve se transformar em fumaça.

"Essa mágica pode ser dissipada em breve caso não seja a Gazprom que venha em socorro da Europa, mas digamos, a Noruega ou os fornecedores de gás liquefeito, que seriam capazes de redirecionar rapidamente o fornecimento de gás para as costas da Europa quando a situação dos preços mudanças ", disse Sergei Kapitonov.

Investimento

Segundo ele, a Europa pode começar a investir mais ativamente na transição energética. Os europeus podem começar a recusar o uso do gás natural quando perceberem o quanto a crise do gás de 2021 lhes custou. A estabilização do mercado de gás na Europa é benéfica não só para as empresas falidas, mas também para a Gazprom, disse o analista.

Muitos especialistas, porém, acreditam que a Europa poderá enfrentar problemas ainda mais sérios se iniciar o processo de substituição do gás natural por outros tipos de combustível. Afinal, a questão não é apenas sobre eletricidade amiga do ambiente - a questão principal é sobre o preço. Em setembro, os geradores eólicos ficaram ociosos na Europa devido ao clima calmo.

Novamente, no que diz respeito ao fornecimento de gás natural liquefeito, essa opção só pode ser possível em um cenário de queda acentuada dos preços na Ásia.

Também existem dúvidas sobre a capacidade da Noruega de fornecer tanto gás quanto a Europa necessita. Aumentar a produção é difícil e levará pelo menos vários meses para atingir esse objetivo. Além disso, é preciso aumentar a produção para não prejudicar o próprio lucro.

Tópicos