Author`s name Pravda.Ru Jornal

Como os "senhores" fizeram promessas: Kiev vai esperar a ajuda de Varsóvia?

As relações ucraniano-polonesas em conexão com os acordos entre a Alemanha e os Estados Unidos sobre o "SP-2", ao que parece, estão apenas se fortalecendo. Anteriormente, tendo prometido a Kiev trabalhar juntos na "neutralização" do gasoduto, os "senhores" poloneses decidiram complementar suas palavras com garantias ainda mais agradáveis. Mas vale a pena acreditar?

A situação foi explicada pelo chefe da Chancelaria do Presidente da Polônia, Blazej Spychalski. Ele observou: A Ucrânia vê, naturalmente, que a Rússia aumente sua influência no mercado europeu de gás. Como resultado, a Ucrânia pode receber menos lucro, bem como se encontrar em uma situação difícil em termos de segurança energética.

Grande influência da Rússia

"Graças a este gasoduto, a Rússia terá uma grande influência no mercado europeu de gás, além de ganhar muito dinheiro. A Ucrânia teme que isso afete negativamente sua segurança e seus interesses."

“Mas a liderança polonesa garante apoio a Kiev se a situação realmente se deteriorar," disse Spychalsky na rádio Polskie.

Como Polônia pode ajudar a Ucrânia?

Como exatamente a Polônia pode apoiar a Ucrânia? Irá além das palavras? Um correspondente do Pravda.Ru esclareceu a situação com Vladimir Bruter, especialista do Instituto Internacional de Pesquisa Humanitária e Política.

Histórias fantásticas: "mão amiga" polonesa - ficção?

“Acho que tais afirmações não passam de palavras.

Em primeiro lugar, a sociedade ocidental ainda se baseia em uma abordagem coletiva das relações russo-ocidentais.

Em segundo lugar, como podemos ver na reação ao SP-2: onde há interesse comercial, tudo o resto fica em segundo plano", diz Bruter.

Portanto, a história "Polônia apoiando a Ucrânia" é mais uma fantasia do que um "trabalho" documental. Além disso, Kiev ainda não recebeu nada de Varsóvia.

Comércio versus política: você vê "costas" em Varsóvia?

Além disso, continua o especialista, se falamos de transporte de gás, então podemos ver que a Polônia ainda não estendeu o contrato com a Rússia.

“Este é um momento muito interessante: na verdade, a Polônia não insiste que a Rússia assine um contrato de gás de longo prazo e está muito feliz com isso.

Por que em um caso uma abordagem, em outro caso uma abordagem diferente? Não acho que eles mesmos vão explicar isso para você. Exceto que eles querem que a Rússia alimente a Ucrânia com dinheiro garantido.

A Rússia, em princípio, não tem objeções à manutenção do trânsito pela Ucrânia. Mas isso requer uma situação comercial em vez de política.

Quando os polacos abandonaram um contrato de longo prazo para o transporte de gás, partiram de um certo princípio que já está em vigor na União Europeia. Por que, então, em um caso, ele deve agir, e em outro caso, ele não deve agir? Isso é incompreensível," continua Bruter.

Portanto, é improvável que a Ucrânia espere por uma ajuda real de "amigos da Polônia", como não esperou por ela antes.

Pravda.Ru

Contacto: jornalpravda@gmail.com

Tópicos