Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Chanceler britânico defende relaxamento da quarentena na Inglaterra

Chanceler britânico defende relaxamento da quarentena na Inglaterra

Londres, 31 de maio (Prensa Latina) O chanceler do Reino Unido, Dominic Raab, defendeu hoje o desescalonamento da quarentena iniciada pelo governo na Inglaterra, apesar de ainda haver altos níveis de disseminação do novo coronavírus no país.

 

Temos certeza de que é o passo certo, disse o chefe da diplomacia britânica em duas aparições neste domingo em talk shows na BBC e na Sky News.

Embora ele tenha admitido que é um momento 'delicado e perigoso', Raab insistiu que as medidas para o levantamento gradual do confinamento decretado em 23 de março estão sendo tomadas com muito cuidado, com base, segundo ele, em critérios científicos e na capacidade das autoridades para monitorar o vírus.

Ele também não descartou a imposição de quarentenas locais em certas cidades e regiões, no caso de um segundo pico da epidemia, que até ontem havia causado mais de 38.000 mortes e pelo menos 271.222 infecções no país.

O governo conservador do primeiro-ministro Boris Johnson iniciou a desaceleração há duas semanas, embora apenas na Inglaterra, porque as autoridades dos territórios semi-autônomos do País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte optaram por aplicar suas próprias regras e horários.

O roteiro de Johnson começou com o levantamento da proibição de ficar em parques e visitar praias, ou viajar para outras cidades, e um convite para voltar ao trabalho para todos que não podem fazê-lo em suas casas.

A partir de amanhã, o ano letivo poderá recomeçar, realizar competições esportivas a portas fechadas e reunir amigos e familiares, desde que o número de participantes dessas reuniões em espaços abertos não exceda seis e a distância de dois metros entre pessoas.

As lojas de varejo abririam em meados de junho, enquanto os bares e outros locais de entretenimento retomariam suas atividades em julho, embora com novas restrições de capacidade e segurança da saúde.

Os membros da comunidade científica britânica, incluindo vários dos que aconselham o governo sobre a estratégia contra o Covid-19, consideram, no entanto, que é muito cedo para suspender o confinamento, como evidenciado pelos mais de dois mil casos positivos e pelo mais de 200 mortes que ainda são confirmadas diariamente.

A preocupação deles, que é compartilhada pelos partidos políticos da oposição, é que um segundo pico da pandemia sature o Serviço Nacional de Saúde, já atingido.

agp / nm

 

https://www.prensalatina.com.br/index.php?o=rn&id=31498&SEO=chanceler-britanico-defende-relaxamento-da-quarentena-na-inglaterra