Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Brasil: Produção agrícola

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola – Fonte IBGE - Base: Dezembro de 2009

IBGE estima safra 5,2% maior em 2010

O IBGE realizou, em dezembro, o terceiro prognóstico de área e produção para a safra de 2010, nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste e nos estados de Rondônia, Maranhão, Piauí e Bahia. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas1, para 2010 é estimada em 140,7 milhões de toneladas2, 5,2% maior que a obtida em 2009. Já a área a ser colhida, de 48,1 milhões de hectares, apresenta crescimento de 2,0%. As informações da pesquisa do prognóstico representam 73,5% da produção nacional prevista, e as projeções respondem por 26,5% do total estimado para 2010.

Variação positiva para sete produtos

Quando considerados apenas os onze produtos selecionados para o prognóstico, apresentam variações positivas na expectativa de produção: feijão em grão 1ª safra (+17,9%), café em grão (+15,2%), soja em grão (+14,4%), cebola (+10,5%), fumo em folha (+3,9%), mandioca (+2,9%) e batata-inglesa 1ª safra (+1,0%). Por outro lado, devem ter queda de produção: amendoim em casca 1ª safra (-10,6%), arroz em casca (-5,0%), milho em grão 1ª safra (-3,2%) e algodão herbáceo em caroço (-1,1%).

Em relação à área colhida, seis apresentam variação positiva sobre 2009: soja em grão (+5,8%), feijão em grão 1ª safra (+3,3%), mandioca (+2,2%), fumo em folha (+2,1%), cebola (+1,6%) e café em grão (+0,2%). Com variação negativa, milho em grão 1ª safra (-7,1%), algodão herbáceo em caroço (-5,0%), amendoim em casca 1ª safra (-4,5%), arroz em casca (-2,1%) e batata-inglesa 1ª safra (-1,3%).

Algodão em caroço

O terceiro prognóstico é da ordem de 2.911.529 milhões de toneladas, retração de 1,1% frente às 2.943.136 milhões de toneladas obtidas em 2009. Tal queda se explica pela diminuição da área, consequência do desestímulo dos produtores em cultivarem o produto devido aos altos custos de produção, dificuldades de financiamentos e das baixas cotações. Mato Grosso, o maior produtor (46,3% da produção nacional), reduziu em 4,3% a área a ser colhida e em 4,7% a produção esperada.

Arroz

Nesta terceira avaliação para 2010, a produção esperada é de 12,0 milhões de toneladas, 5,0% inferior à obtida em 2009. Tal decréscimo se deve principalmente ao Rio Grande do Sul (60,7% da produção nacional), com retração de 8,1% na produção esperada e de 2,9% na área, em função do excesso de chuvas.

Feijão 1ª safra

Os levantamentos apontam uma produção de 1,9 milhão de toneladas, 17,9% maior que a alcançada em 2009 (1,6 milhão de toneladas).A estimativa sofreu decréscimo de 1,1% frente ao prognóstico anterior devido ao Paraná, que reavaliou negativamente sua produção (-2,0%) por conta dos danos causados à cultura devido ao excesso de chuvas.

Milho 1ª safra

Espera-se produção de 32,8 milhões de toneladas, 3,2% aquém da verificada em 2009, refletindo a retração na área total plantada (-10,2%). Permanece um quadro desfavorável, decorrente das baixas cotações no mercado, haja vista o volume estocado.

Soja

A produção esperada em 2010 soma 65,2 milhões de toneladas, 14,4% acima da obtida em 2009. A área a ser colhida deverá crescer 5,8% (23,0 milhões de ha), e o rendimento médio esperado registra acréscimo de 8,1% (2.836 kg/ha). As condições climáticas, até o atual levantamento, estão bastante favoráveis à cultura.

Café

É estimada a produção de 2.804.053 toneladas (46,7 milhões de sacas de 60kg) em grãos beneficiados. O percentual de acréscimo, em relação a 2009, é de 15,2%. A área destinada à colheita é de 2.141.809 ha, alta de 0,2% na comparação. O rendimento médio esperado é de 1.309 kg/ha, 14,9% maior que o obtido em 2009.

Produção de 2009 é segunda maior da série histórica

Em dezembro, a estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2009 indica 133,8 milhões de toneladas, 8,3% menor que a obtida em 2008 (recorde de 146,0 milhões de toneladas) e apenas 0,2% inferior à estimativa de novembro (134,1 milhões de toneladas). O decréscimo deve-se especialmente ao trigo, que apresenta retração no rendimento médio no Paraná e no Rio Grande do Sul.

As três principais culturas, soja, milho e arroz, que respondem por 81,4 % da área colhida, apresentam variações de +2,2%, -4,6% e +0,9%, respectivamente, em relação a 2008. Quanto à produção destes três produtos, apenas o arroz registra variação positiva (+4,2%). Já para a soja e o milho as retrações de produção foram de -4,8% e -13,5%, respectivamente.

A área colhida, de 47,2 milhões de hectares, apresenta decréscimo de -0,2% em relação a 2008 e de apenas 11.831 ha (0,0%) frente ao levantamento de novembro.

A safra obtida em 2009 tem a seguinte distribuição regional: Região Sul, 52,4 milhões de toneladas (-14,6%); Centro-Oeste, 48,8 milhões de toneladas (-3,9%); Sudeste, 17,2 milhões de toneladas (-2,4%); Nordeste, 11,6 milhões de toneladas (-6,7%) e Norte, 3,8 milhões de toneladas (-0,1%). Na figura a seguir, observa-se que o Mato Grosso suplantou, em 2,9 pontos percentuais, o Paraná, alcançando a posição de maior produtor nacional de grãos.

Em dezembro, variações negativas para cinco produtos

No LSPA de dezembro destacam-se as variações nas estimativas de produção de três produtos: cevada em grão (-15,9%), aveia em grão (-14,7%), triticale em grão (-11,7%), trigo em grão (-3,0%) e feijão em grão 2ª safra (-1,7%).

Feijão (em grão) total

A produção nacional de feijão em 2009 alcançou 3.478.775 toneladas: 1.642.946 toneladas da 1ª safra (47,2%), 1.430.040 toneladas da 2ª safra (41,1%) e 405.789 toneladas da 3ª safra (11,7%). Na comparação com o LSPA de novembro, a 1ª, 2ª e 3ª safras do produto registraram quedas de 0,5%, 1,7% e 0,3%, respectivamente.

Cereais de inverno (em grão)

Para as lavouras de inverno, concentradas no sul do país, destacam-se as reavaliações da aveia (-14,7%), cevada (-15,9%), trigo (-3,0%) e triticale (-11,7%). Para o trigo , principal lavoura deste período, a produção obtida de 4,9 milhões de toneladas ficou 3,0% aquém da informada em novembro. No Paraná, maior produtor (49,6% da produção nacional), as chuvas propiciaram uma maior incidência da brusone causando prejuízos às lavouras tanto em qualidade quanto em quantidade dos grãos.

Estimativa de dezembro em relação à safra 2008 é menor para 15 produtos

Dentre os vinte e cinco produtos selecionados, 15 apresentaram variações negativas na estimativa de produção em relação ao ano anterior: mamona em baga (-31,2%), algodão herbáceo em caroço (-25,9%), triticale em grão (-19,6%), trigo em grão (-16,0%), milho em grão 1ª safra (-15,3%), cevada em grão (-14,9%), café em grão (-12,8%), batata-inglesa 2ª safra (-10,9%), milho em grão 2ª safra (-9,8%), batata-inglesa 1ª safra (-7,8%), sorgo em grão (-6,4%), soja em grão (-4,8%), amendoim em casca 1ª safra (-3,4%), feijão em grão 3ª safra (-3,1%) e laranja (-0,3%). Os 10 que apresentaram variação positiva são: amendoim em casca 2ª safra (+19,7%), batata-inglesa 3ª safra (+6,1%), cana-de-açúcar (+5,9%), cacau em amêndoa (+5,8%), cebola (+5,7%), arroz em casca (+4,2%), feijão em grão 2ª safra (+2,2%), aveia em grão (+1,7%), mandioca (+1,1%) e feijão em grão 1ª safra (+0,1%).

Os números finais apontam que o arroz e a cana-de-açúcar cresceram em face da abertura de novos mercados. O ganho observado na produção de arroz ocorreu principalmente devido à expansão da área cultivada no Rio Grande do Sul e pelo incremento no rendimento médio obtido, tendo em vista as boas condições climáticas durante o ciclo de desenvolvimento da cultura.

Cana-de-açúcar

A retração do preço do petróleo e a crise internacional de créditos que se instalaram em meados do segundo semestre de 2008 fizeram com que o setor sucroalcooleiro revisse seus investimentos, adequando-os a uma nova realidade. Assim, não se observou em 2009 os altos níveis de crescimento que vinham sendo constatados em comparação a anos recentes, verificando-se inclusive o adiamento de instalação de novas usinas nos principais centros produtores.

Milho e Soja

As duas principais culturas temporárias de verão, milho e soja , registram-se retrações. No caso do milho essa diminuição pode ser creditada, em parte, aos grandes estoques nacionais observados em 31 de dezembro de 2008, 118,2% superior ao verificado um ano antes; aos baixos preços praticados na época do plantio e também pela incerteza sobre a demanda futura do produto.

No caso da soja , embora a área plantada tenha sido 2,2% superior à plantada em 2008, as condições climáticas adversas, principalmente a estiagem, resultaram em retração de 6,9% no rendimento médio da cultura, passando de 2.817 kg/ha alcançados em 2008 para os 2.624 kg/ha obtidos nesta safra de 2009.

O algodão , afetado pela crise de crédito e pelos baixos preços de comercialização, teve redução de 23,2% em sua área plantada, na comparação com 2008. Ao mesmo tempo, as condições climáticas desfavoráveis determinaram queda de 3,6% no rendimento médio obtido.

Notas:

1 Caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale.

2 Em atenção a demandas dos usuários de informação de safra, os levantamentos para Cereais, leguminosas e oleaginosas, ora divulgados, foram realizados em estreita colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento - Conab, órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, continuando um processo de harmonização das estimativas oficiais de safra, iniciado em outubro de 2007, para as principais lavouras brasileiras.

Prof. Dr. Ricardo BERGAMINI