Pravda.ru

Negόcios

Brasil: Desocupação sobe

26.03.2009
 
Pages: 123

Empregados COM carteira de trabalho assinada no setor privado (exclusive trabalhadores domésticos, militares, funcionários públicos estatutários e outros) (44,8% da PO) Em relação a janeiro, estabilidade e frente a fevereiro de 2008, houve alta de 3,4%. Regionalmente, na comparação mensal, houve queda em Porto Alegre (3,8%). No ano, houve elevações em Recife (8,8%), Belo Horizonte (4,9%) e no Rio de Janeiro (5,7%).

Empregados SEM carteira de trabalho assinada no setor privado (exclusive trabalhadores domésticos, militares, funcionários públicos estatutários e outros), (12,7% da PO) Estabilidade nas comparações mensal e anual. No contorno regional, houve estabilidade em relação a janeiro e, no ano, quedas em Belo Horizonte (-9,3%) e Porto Alegre (-15,9%) .

Militares ou funcionários públicos estatutários ( 7,6% da PO) Queda em relação a janeiro (-5,5%) e estabilidade no ano. Regionalmente, no mês, houve queda em São Paulo (-7,5%) e, no ano, alta em Belo Horizonte (14,2%).

Trabalhadores por conta própria ( 18,9% da PO) Em ambos os períodos, estabilidade. Regionalmente, no mês, houve estabilidade e, no ano, alta em Recife (11,1%).

Rendimento médio real4

Em fevereiro, o rendimento médio real habitualmente recebido pelos trabalhadores (R$ 1.321,30) não teve variação significativa (-0,1%) em relação a janeiro de 2009 (R$ 1.323,17), mas cresceu 4,6% em relação a fevereiro de 2008 (R$ 1.263,36).

Regionalmente, no mês, houve altas em Salvador (0,9%), Belo Horizonte (2,4%), Rio de Janeiro (1,7%) e Porto Alegre (1,0%), e quedas em Recife (-3,6%) e São Paulo (-1,6%). No ano, houve altas em Belo Horizonte (8,3%), Rio de Janeiro (8,5%), São Paulo (3,8) e Porto Alegre (2,2%), e quedas em Recife (-2,9%) e Salvador (-1,0%).

Empregados COM carteira assinada no setor privado (R$ 1.274,90) Alta de 0,9% no mês e de 5,8% no ano. Regionalmente, no mês, houve altas em Recife (2,6%) Salvador (3,2%), Belo Horizonte (3,3%), Rio de Janeiro (1,3%) e Porto Alegre (0,7%), e estabilidade em São Paulo.No ano, houve altas em Recife (1,3%), Salvador (3,2%), Belo Horizonte (6,0%), Rio de Janeiro (11,2%), São Paulo (5,9%), e queda em Porto Alegre (-0,9%).

Empregados SEM carteira assinada no setor privado ( R$ 856,10) Estabilidade no mês e alta de 0,4% no ano. Regionalmente, no mês, altas em Recife (4,4%), Salvador (8,8%), Belo Horizonte (14,6%), Rio de Janeiro (6,8%) e Porto Alegre (4,0%), e queda em São Paulo (6,6%). No ano, houve altas em Recife (5,1%), Salvador (6,1%), Belo Horizonte (16,0%), Rio de Janeiro (14,2%) e Porto Alegre (3,4%), e queda em São Paulo (-9,4%).

Militares ou funcionários públicos estatutários ( R$ 2.296,90) Queda (-0,8%) no mês e alta de 3,9% no ano.

Nas Regiões Metropolitanas, alta no Rio de Janeiro (5,6%), e recuos em Recife (-14,0%), Salvador (-2,4%), Belo Horizonte (-5,5%), São Paulo (-1,7%) e Porto Alegre (-2,3%). No ano, altas no Rio de Janeiro (14,3%) e São Paulo (4,3%), e recuos em Recife (-14,6%), Salvador (-6,2%), Belo Horizonte (-0,8%) e Porto Alegre (-1,4%).

Trabalhadores por conta própria ( R$ 1.092,50) Estabilidade no mês e alta de 6,7% no ano. Nas Regiões Metropolitanas, quedas em Recife (-5,3%), Salvador (-4,5%), Belo Horizonte (-1,2%), São Paulo (-1,0%), e altas no Rio de Janeiro (0,5%) e Porto Alegre (9,6%). No ano, altas em Salvador (1,6%), Belo Horizonte (2,7%), Rio de Janeiro (0,4%), São Paulo (13,1%) e Porto Alegre (10,1%). Queda em Recife (8,1%).

Rendimento médio real domiciliar per capita 5

Em fevereiro de 2009, no agregado das seis regiões, o rendimento médio real domiciliar per capita (R$ 835,21) teve queda em relação a janeiro (-1,0%) e alta (3,6%) no ano.

Regionalmente, em relação a janeiro, houve altas em Belo Horizonte (1,5%), Rio de Janeiro (1,0%) e Porto Alegre (0,8%), e quedas em Recife (-3,5%), Salvador (-1,6%) e São Paulo (-2,6%). No ano, houve altas em todas as regiões: Recife (5,6%), Salvador (1,9%), Belo Horizonte (5,8%), Rio de Janeiro (7,3%), São Paulo (1,8%) e Porto Alegre (2,3%).

Massa de rendimento real efetivo da população ocupada6

A massa de rendimento real efetivo da população ocupada (R$ 27,5 bilhões), estimada pela Pesquisa Mensal de Emprego de fevereiro de 2009 (mês de referência janeiro de 2009), revelou queda em relação a dezembro de 2008 (21,6%) e alta em comparação com janeiro de 2008 (6,3%).

Em relação a dezembro último, houve queda em todas as regiões investigadas: Recife (-34,3%), Salvador (-15,7%), Belo Horizonte (-24,3%), Rio de Janeiro (-20,9%), São Paulo (-20,4%) e Porto Alegre (-22,6%). Em relação a janeiro de 2008, ocorreram elevações em Salvador (0,8%), Belo Horizonte (7,0%), Rio de Janeiro (10,4%) e São Paulo (7,2%), e quedas Recife e Porto Alegre (ambas com - 1,3%).

Notas:

1 Proporção de pessoas desocupadas em relação à população economicamente ativa.

2 São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre.

3 Pessoas que não estavam trabalhando, estavam disponíveis para trabalhar na semana de referência e tomaram alguma providência efetiva para conseguir trabalho nos trinta dias anteriores à semana em que responderam à pesquisa.

Pages: 123