Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Aleksei Schipenko em Coimbra

27.09.2007
 
Pages: 12
Aleksei Schipenko em Coimbra

 

O dramaturgo e encenador russo Alexej Schipenko estará em Coimbra na próxima sexta-feira, para participar no encontro sobre "A divulgação da literatura russa em Portugal", organizado pel'A Escola da Noite e pelo Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV).

Radicado na Alemanha desde 1990, Schipenko tem trabalhado como autor e encenador com algumas das mais importantes instituições daquele país, como a Schaubühne, a Volksbühne e o Baracke Deutsches Theater (Berlim) ou a Akademie Schloss Solitude (Estugarda), entre várias outras. Considerado como um dos mais radicais autores russos contemporâneos, a sua obra dramática distingue-se pela forma, desprovida de psicologia e recorrendo a um caos de imagens e discursos paródicos, como aborda a questão do fim da humanidade. Entre as mais de vinte peças publicadas e encenadas em vários países da Europa e nos Estados Unidos, destacam-se "Arqueologia", "A minha pátria é a Rússia" e "Da Vida de Komikaze". Desde 2005, tem trabalhado regularmente em Portugal, em colaboração com a Companhia de Teatro de Braga, para a qual escreveu e encenou os espectáculos "A vida como exemplo" e "Praça de Touros" e prepara actualmente uma adaptação de "Os Lusíadas", com estreia prevista para o primeiro trimestre do próximo ano.

Para além de Alexej Schipenko, participam no encontro da próxima sexta-feira o professor de Estudos Russos Vladimir Pliassov (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra) e os tradutores António Pescada (responsável pelas novas traduções das peças em um acto de Tchékhov que A Escola da Noite tem vindo a apresentar ao longo deste ano) e Maria Hermínia Brandão e Saodat Sayberdieva (tradutoras da recente edição da novela "Sónetchka", de Ludmilla Ulistkaya), estas em representação da editora Campo das Letras.

Numa altura em que parece assistir-se a um renovado interesse pelos grandes autores clássicos russos (Pushkin, Dostoievski, Tolstoi, Tchékhov) entre os editores nacionais, com várias novas traduções feitas a partir do original recentemente publicadas ou em preparação, os organizadores pretendem fazer um ponto da situação em relação à literatura russa publicada e/ou encenada em Portugal, propondo uma discussão que naturalmente se alargará à apresentação de obras e autores menos conhecidos no nosso país e à identificação dos principais constrangimentos que se colocam a uma mais eficaz divulgação da produção literária russa contemporânea.

O encontro, que terá lugar no Café-Teatro do TAGV, ocorre no âmbito do projecto "Tchékhov em um acto", construído a partir das peças um acto do conhecido dramaturgo, e em paralelo às duas sessões especiais do espectáculo "Tchékhov e a Arte Menor" que A Escola da Noite apresenta, a 27 e 28 de Setembro, na sala principal deste Teatro.

Conversa

A Divulgação da Literatura Russa em Portugal

Café-Teatro do Teatro Académico de Gil Vicente

28 de Setembro (sexta-feira), 18:00h

moderação: Manuel Portela (director do TAGV)

convidados: Alexej Schipenko (dramaturgo e encenador), António Pescada (tradutor), Maria Hermínia Brandão e Saodat Sayberdieva (tradutoras, editora Campo das Letras) e Vladimir Pliassov (professor de estudos russos)

fotografia Alexej Schipenko (© CTB)

APRESENTAÇÃO

A Rússia ofereceu à história da literatura universal alguns dos seus nomes mais importantes. Autores como Pushkin, Dostoievski, Tolstoi ou Tchékhov são ainda hoje reconhecidos como escritores de primeira grandeza e continuam a influenciar muitos outros criadores, por todo o mundo, nos diversos domínios literários – romance, poesia, novela, conto e teatro.

Com o estatuto de “clássicos”, estas obras chegaram também a Portugal, onde estão publicadas há vários anos, embora quase sempre em traduções feitas a partir de línguas que não a original.

Nos últimos anos, assiste-se a um renovado interesse por estes autores, registando-se a aposta de algumas editoras na encomenda de novas traduções, feitas a partir do russo, o que permitirá ao público português uma reaproximação em relação a estas obras.

Menos divulgada, no entanto, é a literatura russa contemporânea, que continua pouco conhecida junto do público nacional. Como noutros momentos e em relação à literatura de outros países, é curiosamente do Teatro que têm surgido algumas das mais significativas excepções a esta situação. A estreita colaboração do dramaturgo e encenador Alexej Schipenko com a Companhia de Teatro de Braga, para a qual escreveu, inclusivamente, duas novas peças de teatro, é disso um dos mais importantes exemplos.

A pretexto do projecto “Tchékhov em um acto” e, em particular, da apresentação do espectáculo “Tchékhov e a Arte Menor”, o Teatro Académico de Gil Vicente e A Escola da Noite organizam um debate informal sobre a divulgação da literatura russa em Portugal, oferecendo quatro diferentes perspectivas para o início da conversa: a criação dramatúrgica, a tradução, a articulação com o meio editorial e a investigação académica.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular