Pravda.ru

Ciência

Como proteger-se do ataque de um cão de estimação

06.02.2008
 
Como proteger-se do ataque de um cão de estimação

 No Brasil, 150 mil pessoas são mordidas pelos animais de estimação todos os anos. Em mais de 70% dos casos, as mordidas dos cães atingem o rosto. 

"As piores conseqüências ocorrem quando a vítima é criança, o que representa 60% das ocorrências. Assim como as ensinamos a tomar precauções quando andam de patins ou bicicleta, devemos preveni-las sobre os riscos de se aproximarem muito dos animais, mesmo os de estimação", afirma o cirurgião plástico Robert Jan Bloch segundo agência BRPress

Bloch diz que nariz, boca e bochecha são os principais alvos dos cachorros quando atacam. "Quando um cão morde uma pessoa no rosto, principalmente uma criança, como a pele é mais fina e vascularizada, acaba provocando sérias deformidades."

O cirurgião plástico alerta que, assim que sofre a mordida, a pessoa precisa ser protegida contra infecções, como o tétano. "Além disso, o tecido dilacerado deverá ser retirado e reconstruído via cirurgia. As cicatrizes são inevitáveis e podem ser necessárias novas intervenções até ficarem quase imperceptíveis."

Em caso de ataque inevitável, Robert Jan Bloch lembra que a pessoa não deve sair correndo, mas enrolar-se como uma bola, em posição fetal, e permanecer assim, com o rosto protegido, até que alguém venha em seu socorro.

Por isso, o especialista dá cinco dicas para evitar acidentes com animais de estimação:

- Evite aproximar seu rosto ao focinho de qualquer cachorro

- Não se aproxime de um cão estranho nem ignore avisos de que um cão é bravo e representa perigo.

- Nunca leve seu cachorro para passear sem coleira – e, se for de grande porte, coloque a focinheira no animal antes mesmo de sair de casa.

- Nunca perturbe um cão que está dormindo, comendo ou brincando com seus pertences.

- Certifique-se de que seu cão está com todas as vacinas em dia.


Loading. Please wait...

Fotos popular