Pravda.ru

Federação Russa

Os Estados Bálticos, Fascismo e Revisionismo

30.07.2009
 
Os Estados Bálticos, Fascismo e Revisionismo

Os três Estados Bálticos gostam de relembrar a sua história, comemorando o período em que partilharam a cama com as forças Nazistas Fascistas de Hitler. Houve várias tentativas de re-escrever a história da parte dos dirigentes destes três estados. Temendo que esqueceram o que realmente aconteceu, vamos lembrá-los aqui do seu registo durante a Guerra.

Letónia

No que diz respeito à Letónia, a Divisão Waffen SS Letão tinha oficiais e soldados letões, e não alemães, realizando actos de crueldade quase indescritíveis nos campos de concentração e extermínio. Na verdade, os letões começaram a construir campos de concentração muito antes de Hitler chegar - o ditador fascista Kārlis Ulmanis começou a construção destes em 1934.

Os campos de concentração e extermínio na Letónia, não foram um ou dois. Para além da infame Mezaparks Camp Kaiserwald próximo de Riga, houve Daugavpils, Lenta, Liepaja, Strazdu Manor, Dundaga, Jelgava, Valmiera, Salaspils e Jumpravmuita. Entre 70.000 e 85.000 judeus foram exterminados nestes campos, acto de chacina que contou com a pronta colaboração e participação activa de um número substancial dos letões.

Estónia

A maioria dos 4.500 judeus da Estónia conseguiu escapar antes que os Panzers nazistas rolaram através da fronteira. No entanto, infelizmente, a maioria dos 1.000 a 1.500, que permaneceram foram assassinados. Como na Letónia, esta política de extermínio contou com a participação dos cidadãos nacionais, e Divisão SS e Batalhão 287 de Polícia testemunham isso.

Estónia tinha ainda mais do que campos de concentração e extermínio que Letónia:

Auvere, Aseri, Dorpat, Ereda, Goldfields, Idu-Virumaa, Illinurme, Jagala, Johvi, Kalevi-Liiva, Kivioli, Klooga, Kukruse, Kunda, Kuremae, Lagedi, Narva, Narva-Joesuu, Petschur, Putki, Saka, Stara Gradiska, Sonda, Soski, Tartu, Vaivara, Viivikonna e Wesenburg.

Uma violenta política anti-cigano também foi realizado neste país, praticamente aniquilando todos os cidadãos desta etnia.

Lituânia

Cumplicidade com os nazistas em exterminar seres humanos neste país testemunhou o assassínio de entre 135,000 e 220,000 pessoas. Poucos sobreviveram os horrores de Kovno (Kaunas), Kauen, Slobodka, HKP em Vilna e Prawienischken.

Grupos de jovens lituanos começaram a atacar os judeus antes da chegada dos alemães em Junho de 1941 e durante o período de colaboração, os auxiliares lituanos da Einsatzgruppe e a Polícia de Segurança da Lituânia perpetraram actos de chacina.

Por isso não se trata de um período de anexação ou de ocupação, se trata de um período de colaboração, de prostituição da psique nacional, voluntariamente entrando na cama com o Demónio.

A próxima vez que estes três Estados comecem a glorificar o Nazismo, lembrem de Mezaparks Camp Kaiserwald Daugavpils, Lenta, Liepaja, Strazdu Manor, Dundaga, Jelgava, Valmiera, Salaspils, Jumpravmuita, Auvere, Aseri, Dorpat, Ereda, Goldfields, Idu-Virumaa, Illinurme, Jagala, Johvi, Kalevi-Liiva, Kivioli, Klooga, Kukruse, Kunda, Kuremae, Lagedi, Narva, Narva-Joesuu, Petschur, Putki, Saka, Stara Gradiska, Sonda, Soski, Tartu, Vaivara, Viivikonna, Wesenburg, Kovno (Kaunas), Kauen, Slobodka, HKP em Vilna e Prawienischken.

Por haver tantos campos de extermínio em três estados diminutos, diz tudo.

Timothy BANCROFT-HINCHEY

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular