Pravda.ru

Federação Russa

Comunidade russa do Rio Grande do Sul – Brasil: costumes, tradições e alma russa

08.06.2010
 
Pages: 123

Outro exemplo podemos ressaltar de que em maio de 2007 foi realizada a primeira conferência em São Paulo da Coordenação dos Compatriotas com reuniões semestrais e posteriormente ocorreu outra conferência reunindo representantes do Brasil e América Latina. Agora está sendo criado um site associação russo-brasileira, que conterá informações importantes dos trabalhos desenvolvidos pela coordenação dos compatriotas russos no Brasil, radicados nos respectivos estados.

Dimas – Pravda: A cidade de São Paulo recebeu uma grande quantidade de imigrantes estrangeiros ao longo do século XX, particularmente esses imigrantes fragmentaram-se e se estabeleceram em determinados bairros que logo se tornaram referência para essas etnias, no caso russo temos os bairros da Vila Alpina, Vila Zelina, Mooca, São Caetano, bem como outras famílias espalharam-se por outras regiões. Diferentemente Campina das Missões concentra a maior parte do fluxo dos imigrantes russos ocupando uma posição emblemática nacionalmente como referência em unidade e na manutenção das tradições, costumes e religião russos no Brasil. Quais desafios têm encontrado para a manutenção das tradições culturais e religiosas, e como a sociedade cultural Russa Volga tem se desenvolvido ao longo desses anos?

Jacinto Anatólio Zabolotsky:

Os desafios são enormes, mas mesmo assim sempre conseguimos superá-los, mesmo diante das dificuldades. A maior dificuldade é a preservação do idioma russo, pois a língua é a alma do povo. Os avós e os pais mantinham, contudo, os filhos e netos, muitos casaram com outras nacionalidades e foram perdendo aos poucos o legado histórico. Contudo, em que pese as dificuldades, conseguimos ainda manter as tradições, usos e costumes, por exemplo o Grupo Folclórico Russo Troyka, a culinária e a ortodoxia. Temos três igrejas no sul do Brasil, uma em Porto Alegre, outra em Santa Rosa e a de Campina das Missões, a primeira no Brasil, fundada em 1912 pelos pioneiros imigrantes russos, que com a fé na ortodoxia, conseguiram vencer as vicissitudes do dia-a-dia.

O elenco em sua trajetória de sucessos, fundado em julho de 1992, portanto, há 18 anos, em seu vasto currículo constam mais de 400 shows em eventos locais, regionais e nacionais, inclusive constam seis apresentações na Argentina.

Também em fevereiro de 2008, a nossa entidade promoveu o curso de idioma russo.

Em março de 2010 foi designado pelo Santo Sínodo Ortodoxo, para atender as paróquias ortodoxas de Santa Rosa e de Campina das Missões novo sacerdote, o Pe. Dionísio Kazantzev, que certamente dará um nova dinâmica e impulso para os fiéis ortodoxos das duas comunidades, numa demonstração que a Santa Mãe Igreja, não esquece de seus filhos, mesmo há 15mil kilometros de distância.

Dimas – Pravda: Em 2009 realizaram-se em Campina das Missões as festividades para a comemoração dos 100 anos da imigração russa no Rio Grande do Sul, membros oficiais da embaixada e do consulado estiveram presentes bem como representações das diversas comunidades russas de outras regiões do Brasil. Conte-nos um pouco como ocorreram essas festividades e qual a importância que o Sr. atribui para o desenvolvimento da relações Brasil –Rússia.

Jacinto Anatólio Zabolotsky:

A importância foi enorme, porque conseguimos mostrar ao Rio Grande do Sul e ao País, o legado histórico-cultural-religioso, através de reportagens em TV, chamada série Nadiejda, no horário nobre da televisão, ao meio dia, foi ao ar e exibido para todo o Estado, cerca de 5 minutos, a cada dia, durante toda a semana que antecedeu as festividades que culminaram nos dias 9 a 11 de outubro. Também amplas reportagens em jornais e rádio. Os primeiros imigrantes russos fundaram o Município de Campina das Missões a partir de 1909. Em homenagem ao Centenário, na entrada da cidade, nas margens da Rodovia RS 307, foi erguido um Memorial (foto). No centro do monumento, está cravada a cruz ortodoxa de 5 metros de altura. À direita, está o Apóstolo São João Evangelista, patrono da Igreja Ortodoxa Russa de Campina das Missões. A esquerda, está a família russa, o pai, a mãe e a filha.

Prestigiaram a solene inauguração no dia 10 de outubro, o Exmº sr. Embaixador da Rússia no Brasil – Vladimir L. Tyurdenev, o Vice-cônsul Dmitry Dalmatov, a direção da Koordenação Soviet. Deputados Estaduais e Federais, bem como outras autoridades civis, militares e cerca de mil pessoas no evento. A sua eminência Metropolita Dom Platon – do Brasil e América do Sul, presidiu a bênção do memorial. Delegações de compatriotas vindos de São Paulo, Rios de Janeiro e Porto Alegre, também prestigiaram as solenidades. Após foi servido um jantar de confraternização para cerca de 500 pessoas.

No domingo, dia 11 de outubro, foi realizada a divina liturgia em homenagem ao Centenário e a festa do Padroeiro Apóstolo São João Evangelista, presidida por sua Eminência Dom Platon. Após ocorreu a inauguração e bênção do salão paroquial ortodoxo, construido ao lado da Igreja. cerca de duas mil pessoas prestigiaram a festa.

Para homenagear o Centenário, autoridades presentes, plantaram 10 árvores, sendo que cada árvore, simboliza 10 anos de história.

Esteve presente o repórter Igor Varlamov, da agência russa Itar-tass.

Os correios fizeram selos em homenagem ao Centenário.

No dia 09 de outubro, dia do Patrono da Igreja Ortodoxa - Apóstolo São João Evangelista, foi instituído através da Lei Estadual nº 13.156 de 27.04.2009 (aprovado por unanimidade pelos Deputados Estaduais do RS), como sendo o Dia da Etnia Russa no Rio Grande do Sul, que será comemorado a cada ano.

Pages: 123

Loading. Please wait...

Fotos popular