Pravda.ru

Federação Russa

Rússia precisa do urânio australiano

07.09.2007
 
Rússia precisa do urânio australiano

Os presidentes da Austrália e da Rússia assinaram ontem ( 06) um acordo pelo qual as companhias mineradoras australianas poderão exportar urânio, exclusivamente para uso civil.

O presidente russo, Vladimir Putin, que chegou hoje à Austrália para participar da cúpula de líderes do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacifico (Apec), assinou o documento com o primeiro-ministro australiano, John Howard.

"Precisamos do urânio australiano para nossos planos de utilizar energia nuclear com fins alvos pacíficos", disse Putin numa entrevista coletiva, ao lado de Howard. O líder russo explicou os planos de seu país de expandir sua indústria de energia nuclear nos próximos 20 anos.

Howard insistiu que o pacto "inclui garantias muito estritas".

Em Sydney, Putin também deve se reunir com o presidente americano, George Bush, e falar sobre os planos de defesa antimísseis dos Estados Unidos.

O ministro de Relações Exteriores australiano, Alexander Downer, disse em comunicado de imprensa que Moscou garantirá o cumprimento das condições para a venda de urânio.

A Rússia assinou o Tratado de Não-Proliferação Nuclear e é uma das cinco potências nucleares reconhecidas pelo acordo.

A Austrália, o maior produtor mundial de urânio, tem 30% das reservas do planeta. Em janeiro, o país assinou um acordo de exportação com a China. Em agosto, o Comitê de Segurança Nacional também aprovou a venda à Índia, país que está fora do TNP.

"De qualquer forma, a Austrália não aceitará lixo nuclear de nenhum país", disse Downer. EFE



Loading. Please wait...

Fotos popular