Pravda.ru

Federação Russa

Piratas sequestraram navio russo no Golfo de Aden

04.02.2008
 
Piratas sequestraram navio russo no Golfo de Aden

O navio russo “Svitser Korsakov” foi atacado na sexta-feira (01) por um barco pirata no Golfo de Aden , a poucas milhas da costa da Somália. Toda a tripulação , dois britânicos e quatro russos, se encontram sequestrados. A notícia foi divulgada em domingo pelo serviço de resgate da ilha russa de Sakhalin ( Extremo Oriente), para onde se dirigia o rebocador e as autoridades russas pediram a ajuda à Otan , que supostamente patrulha a zona.

 Graças a um GPS se conhece que o barco russo segue o rumo ao porto de Mogadiscio. A alarma foi feita por outro rebocador russo “ Svitser Busse”, e seu capitão assegura ter visto em arredores um navio de guerra da Otan. . Duas embarcações russas partiram do porto de São Petersburgo e se dirigiam à ilha de Sakhalin , onde haviam sido fretadas para participar nas obras do projeto de extração de petróleo e gás “Sakhalin-2”.

Tinham previsto efetuar uma escala técnica em Singapura. Segundo a agência Ria-Novosti , o capitão de “Svitser Korsakov”, cidadão da nacionalidade britânica , teve tempo para informar por telefono o que ocorria a empresa que freta o barco , localizada em Copenhague. Logo depois o contato com tripulantes foi perdido.

 Segundo Ria-Novosti as conversações com piratas sobre a libertação dos reféns e devolução do navio já começaram . Entretanto , o porta –voz da Marinha russa , Igor Dygalo, manifestou ontem que nas águas do golfo de Aden não se encontra nenhum navio militar russo.

 Dygalo explicou que de acordo com a Convenção da ONU sobre navegação marítima de 1982 , “ o navio militar , seja do pais que seja, que se encontre mais cerca do lugar onde foi cometida uma ação pirataria , deve proceder a deter a nave atacante”. Dygalo confirmou que Otan foi informada sobre incidente e foi solicitada sua ajuda.

 Segundo o ponto da vista oficial russa, tais incidentes “demonstram que há uma justificação à presença da Marinha russa nas águas internacionais”, restabelecida recentemente depois da larga pausa aberta após a desintegração da União Soviética, disse Dygalo.


Loading. Please wait...

Fotos popular