Pravda.ru

Mundo

Esquerdista Correa vence nas presidenciais em Equador

27.11.2006
 
Esquerdista Correa vence nas presidenciais em Equador

O esquerdista Rafael Correa, abriu uma boa vantagem sobre o multimilionário Álvaro Noboa, seu adversário no segundo turno das eleições presidenciais no Equador realizadas no domingo. Após 13,71% das mesas eleitorais contabilizadas na apuração oficial, Correa obteve 593.634 votos (66,23%) contra 302.689 (33,77%) de Noboa.

 Correa numa entrevista a televisão equadoriana disse que o domingo foi um dia "histórico para a pátria", sem vencedores ou vencidos entre os cidadãos.

"Começamos a recuperar a pátria. Hoje não termina uma jornada, começa uma outra decisiva, jamais nossa luta foi por enviar um homem à Presidência, sempre foi pela pátria", afirmou Correa neste domingo, em sua primeira mensagem após a divulgação dos resultados das pesquisas.

Além disso, o esquerdista assegurou que assumiu a "vitória" com "serenidade, esperança e gratidão" aos equatorianos, que confiaram em sua palavra de mudar o país e de perfilar "o poder cidadão".
Sua linha de esquerda e sua amizade com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, também fez de Correa um personagem polêmico em relação ao que denomina de "o poder hegemônico" dos Estados Unidos.


Embora tenha adotado uma postura mais moderada que a do venezuelano, Correa reiterou que não assinará o Tratado de Livre-Comércio com os EUA, apesar de afirma vai manter relações de respeito com esse país, o principal parceiro comercial do Equador.


A renegociação da dívida externa também foi abordada pelo esquerdista, que não descartou a aplicação de uma moratória dos passivos internacionais.


Correa disse ainda que estudará a possibilidade de o Equador voltar a fazer parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), da qual saiu há mais de uma década.
O economista de esquerda, de 43 anos, tem tanta confiança em sua eleição que chegou a anunciar parte de seu gabinete, no qual figuram vários dos porta-vozes de sua campanha: Ricardo Patiño será seu ministro da Economia, Alberto Acosta assumirá a pasta de Energia e Carlos Casal será o presidente da empresa estatal Petroecuador.


Além disso, informou que o ativista de direitos humanos Gustavo Larrea será seu ministro de Governo e Polícia (Interior) e Janet Sánchez será a titular da pasta de Bem-estar Social.
O esquerdista também convidou os cidadãos "de mãos limpas, mentes lúcidas e corações patriotas a se unirem a esta mudança certa".


Caso sua vitória seja confirmada, Correa assumirá o poder em 15 de janeiro de 2007 para um período de quatro anos de mandato.

 Com EFE


Loading. Please wait...

Fotos popular