Pravda.ru

Mundo

Na Guatemala ocorrerá a "Força Comando", onde os militares assassinaram 200 mil pessoas

24.07.2015
 
Na Guatemala ocorrerá a

Entre os dias 15 a 23 de julho de 2015 ocorrerão na Guatemala os exercícios militares "Força Comando", onde assistirão as Forças Especiais dos exércitos de 27 países convidados para participar de "uma disputa onde devem demonstrar suas habilidades em operações especiais e exercícios de táticas, técnicas e procedimentos usados na guerra contra o terrorismo". A competição "Força Comando", obviamente, é patrocinada pelo Comando Sul dos Estados Unidos.

De acordo com a informação do Ministério de Defesa da Guatemala, a atividade será realizada na Brigada das Forças Especiais "General de Brigada Pablo Nuila Hub", situada no município de Poptún, Petén.

Por Pablo Ruiz*,

Resumen Latinoamericano,14 de julo de 2015.-

Em outras palavras, a disputa será realizada onde opera a Brigada de Forças Especiais "Kaibil", que possui uma triste história de desrespeito aos direitos humanos.

Devemos recordar que em 6 de dezembro de 1982, os Kaibiles, as forças especiais guatemaltecas, entraram na aldeia de Las Dos Erres, e violentaram sistematicamente as mulheres, matando 162 pessoas, 67 delas crianças.

Segundo a acusação do Ministério Público guatemalteco, "os ex-militares ao chegarem à aldeia Dos Erres, levaram as mulheres e as crianças à escola e a uma igreja evangélica. Primeiro, assassinaram os menores, depois, violentaram as mulheres para, posteriormente, assassiná-las. Finalmente, deram morte aos homens da comunidade".

No entanto, para além desse fato específico, os militares da Guatemala, inclsuive suas Forças Especiais, são responsáveis pela morte de mais de 200 mil pessoas. O Informe Guatemala Nunca Más entrega estremecedores testemunhos do massacre que viveu este povo.

Os países que participarão desta competição militar: Antígua e Barbuda, Argentina, Barbados, Belize, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Estados Unidos, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, St. Kitts e Nevis, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai, Espanha e Guatemala, o país anfitrião.

Os Kaibiles

O Centro de Treinamento e Operações Especiais da Guatemala foi fundado em 5 de dezembro de 1974 por iniciativa do então Major de Infantaria Pablo Nuila Hub, que propôs ao Ministério da Defesa Nacional a criação de forças especiais de elite devido às "ameaças da época", no contexto da Guerra Fria.

Os primeiros instrutores do treinamento Kaibil fizeram o curso de Rangers na United States Army Rangers, em Fort Benning, Estados Unidos. Porém, mais de 1800 soldados da Guatemala receberam treinamento na Escola das Américas e, sob o mandato do Presidente Otto Pérez Molina, continuam recebendo treinamento nos EUA.

A grande maioria dos militares guatemaltecos acusados de violações aos direitos humanos goza de impunidade. Dentre eles, e ao estilo do caso Pinochet, o ex-graduado da Escola das Américas, o ex-ditador Efraín Ríos Montt, acusado pelo massacre de 1771 indígenas mayas-ixiles e sentenciado em primeira instância a 80 anos de prisão pelo crime de genocídio, cuja condenação, lamentavelmente, foi revogada pelos mesmos juízes cúmplices de tantos crimes. Hoje o ex-ditador, sua defesa, argumenta "demência senil".

Os Kailibes, de acordo com Oscar de León Argueta, atual Comandante da Brigada de Forças Especiais, seguem a mesma lógica assassina de seu nascimento: "Nós Kaibiles somo soldados especiais que os distinguimos pelo poder militar, disciplina, lealdade, honra e alto espírito corpo, qualidades que colocamos em prática, dia a dia, em todas as missões que são nos encaminhadas. Um Kaibil não tenta cumprir uma missão, ele a cumpre! Nós Kaibiles estamos dispostos a chegar ao sacrifício máximo de oferecer nossa vida em beneficio da segurança e do desenvolvimento de todos os habitantes da Guatemala e em qualquer parte do mundo, onde o Alto Comando ordene que cumpramos uma missão".

León Argueta termina com a seguinte frase: "Se avanço, siga-me. Se paro, instiga-me. Se retrocedo, mata-me".

*Jornalista da Equipe Latino-americana da School of the Americas Watch.

Fonte: http://www.resumenlatinoamericano.org/2015/07/14/en-guatemala-se-realiza-fuerza-comando-donde-los-militares-asesinaron-a-200-mil-personas/

Tradução: Partido Comunista Brasileiro (PCB)

http://pcb.org.br/portal2/8894#more-8894

 


Loading. Please wait...

Fotos popular