Pravda.ru

Mundo

Bolívia: Aparece a cabeça do Monstro na América Latina

11.09.2008
 
Bolívia: Aparece a cabeça do Monstro na América Latina

Departamento de Pando, Bolívia, fronteira com o Brasil. Mais concretamente na comarca de Prevenir, perto da cidade de Cobija, capital de Pando. Confrontos entre “apoiantes” armados da oposição (quem são? são bolivianos?) e a população leal ao Governo democraticamente eleito do Presidente Evo Morales, confrontos iniciados pelos “grupos cívicos” com ligações à Prefeitura (oligarquia local) para impedir uma manifestação de camponeses leais ao Governo. Nos confrontos, 3 pessoas morreram e 12 ficaram feridas.

Causas

A perda pela oligarquia local das suas fontes de riqueza, nomeadamente rendimentos ligados à exploração dos minérios e recursos naturais do país. Estas forças evidentemente são apoiados pelos Estados Unidos da América (que tem o seu olho focado nestes recursos e que tem histórias longas de tentativas de golpes na América Latina). Quem arma “grupos” desordeiros? Não são criminosos comuns, são milícias orquestradas para entregar uma agenda política.

Os lobbies ligados ao poder local nos departamentos de Pando, Beni, Chuquisaca, Santa Cruz e Tarija ficaram furiosos quando a Nova Constituição da Bolívia entrou em vigor, nacionalizando a indústria do petróleo e gás natural e direccionando royalties provenientes da exploração destes recursos à previdência social. Primeiro os bolsos deles e seus mestres no estrangeiro…o povo que de “lixe”.

Efeitos

Numa altura em que a credibilidade do regime de Bush em Washington perde qualquer credibilidade depois das suas acções criminosas e assassinas (a última das quais na Ossétia e Abcázia envolvendo a chacina de mais 2.000 pessoas), é natural que todos os olhos sejam focados nos EUA (devido à sua história de tratar a América Latina como se fosse um jardim de recreio ou uma prostituta).

Presidente Hugo Chávez da Venezuela já advertiu que “Se a oligarquia e os ianques financiados e armados pelo império derrubarem algum governo nosso, teremos luz verde para iniciar operações de qualquer tipo e restituir a ordem no país irmão”.

Posição da Federação Russa

Muito foi já escrito na imprensa sobre o envolvimento da Federação Russa, que vai realizar exercícios militares na região. Evidentemente, a Federação Russa defende o respeito pela lei internacional, também a paz. Fica claro para todos que a Federação Russa tem a capacidade para destruir qualquer alvo, qualquer concentração de tropas, em qualquer parte da Terra, quando quer.

No entanto, não se deve arrastar a Federação Russa e seus interesses em questões que têm a ver com países soberanas e seus interesses garantidos pela lei internacional. Por isso mesmo Moscou defende historicamente (e Washington não) o Conselho de Segurança das Nações Unidas e as suas deliberações.

A Federação Russa pode fazer, e faz, exercícios militares onde quer e aonde for bem-vinda. América Latina é historicamente, e sempre, um espaço onde a Rússia e os russos se sentem bem. No entanto, não se deve bater os tambores esperando confrontos militares, como tem aparecido em várias órgãos na mídia. Os Estados Unidos da América hoje em dia tem um poder muito restrito a uma percentagem dos cidadãos dos EUA…quanto ao regime, o apoio desta percentagem se reduz quase diariamente. Até os Republicanos tentam distanciar-se do regime do Idiota Bush, o Torturador Rumsfeld, a Mal-Criada Rice e o Diabo Cheney.

O Governo da Bolívia foi democraticamente eleito. O mundo hoje em dia reage contra os desejos dos criminosos, sejam eles ladrões ou perpetradores do terrorismo internacional contra Estados. Ponto final.

Timothy BANCROFT-HINCHEY

PRAVDA.Ru

Director e Chefe de Redacção

Versão portuguesa


Loading. Please wait...

Fotos popular