Pravda.ru

Mundo

Que 'Modelo' da Lava Jato no Ministério da Justiça, Moro?

08.11.2018
 
Que 'Modelo' da Lava Jato no Ministério da Justiça, Moro?. 29841.jpeg

Que 'Modelo' da Lava Jato no Ministério da Justiça, Moro?

O juiz federal Sergio Moro disse nesta terça-feira (6) que atuará no comando do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a partir de 2019, utilizando o modelo da Operação Lava Jato para combater o crime organizado.

Edu Montesanti

 

"A ideia é replicar no ministério as forças-tarefas adotadas na Operação Lava Jato", disse o juiz em Curitiba, na primeira entrevista coletiva concedida desde 2014, quando assumiu operação. 

Questionado sobre como atuará no assassinato longe de ser elucidado - e devidamente punido - da ex-vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes em março deste ano, o novo ministro alegou nao ignorar "o problema", demonstrando grau de indignação sem lugar a duvidas bastante abaixo, neste crime hediondo, em relação aos outros casos, longe de hediondos, que destacaram midiaticamente o novo pop star dos tribunais de primeira instancia nacionais.

"Não desconheço o problema que envolve o assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e do senhor Anderson Gomes".

Com toda a certeza bastante "confortante", "encorajadora" sobretudo aos familiares de ambos os assassinados, a "posição" do juizeco em questão, não?!

Para concluir genialmente: "Eu acho [grifo nosso] que é um crime que tem que ser solucionado". Eureca! Ele "acha" que o crime de uma militante de esquerda, mulher, negra e pobre, deve ser solucionado. Bravo, Moro! O Verde-Amarelo vive, de verdade, novos tempos!

"By the way", pupilo de Tio Sam que aparece em cabos secretos liberados por WikiLeaks rebolando freneticamente diante dos "lords" do bem-dizer de Washington, a ver se ficou claro: Vossa Alteza pretende utilizar no referido Ministério a "indústria das delações" da Lava Jato que, periciada na Espanha no segundo semester do ano passado (devidamente abafado pela canalhada da grande midia de imbecilização em massa), veio a detectar "panela" de advogados no comércio indiscriminado de testemunhas?

Alias, seu Ministério podera muito bem, movido pela euforia social e midiatica anticorrupção, dedicar-se a investigar tal "indústria" com base na "panela", que tal?

E o modelo seguira a linha de relacao promiscua com a imprensa, "que comprava tudo" da Operação Lava Jato segundo palavras de vossa ex-assessora de imprensa, Christiane Machiavelli?

"As facilidades fizeram com que a imprensa 'comprasse' a Lava Jato quase que imediatamente. Denúncias do Ministério Público eram publicadas em reportagens quase na íntegra, assim como os inquéritos da PF e as decisões de Moro.

"Foram poucos os jornalistas que se valeram daquele mundaréu de elementos para fazer o papel que cabe à imprensa: o de usar os dados para construir investigações mais aprofundadas."

Disse Christiane em recente entrevista ao sitio The Intercept, sobre a operacao desmoralizada em todo o mundo, duramente criticada pelos mais renomados juristas internacionais pela seletividade descarada, incriminando sem provas da maneira mais visivelmente tendenciosa.

Mais um belo cardapio, acima, para a sociedade e os meios de comunicacao extravasar toda a sua raiva contra a corrupção. Que tal?

Tudo, uma grande farsa! "Eu não penso, não existo, apenas assisto - Rede Globo e Record do Bispo", dizem-nos, pelo menos, 57 milhões de ignorantes, mentalidades pautadas por meios que elas mesmas alegam lavar cerebros. E dizia o filosofo: o pior cego, é o que não quer ver.

 


Loading. Please wait...

Fotos popular