Pravda.ru

Mundo

Demarches anti-cubanos dos EUA é a expanção ideológica

08.08.2006
 
Demarches anti-cubanos dos EUA é a expanção ideológica

 O presidente dos EUA George W. Bush, bem como a secretaria de Estado Condoleeza Rica falam sobre sua fidelidade ao povo cubano e prometem conceder ajuda para as “transformações pacificas democráticas”, sobre o que ninguém lhes pediu.

 Estas ações sem precedentes na prática politica mundial são fortalecidas pelos programas da TV Marti que começou a transmitir para o território cubano a partir de um avião equipado especialmente para esse fim.

 Os demarches anti-cubanos dos EUA podem ser classificados como a expansão ideológica contra um país soberano. Há muito foi reconhecido, inclusive nos EUA, que depois da desintegração do bloco soviético Cuba não apresenta nenhuma ameaça contra a super-potência. Porem as intenções de George W. Bush de se livrar do lider cubano continuam sendo as mesmas de antes, e ele tenta usar a situação que se formou a favor dos seus objetivos e atua no espirito da “guerra fria”.

 A maioria esmagadora da comunidade mundial discorda disso, e isso é confirmado pelas votações anuais na Assembléia Geral da ONU a favor de acabar com o embargo.

 Se falarmos sobre a Russia, ela condena a prática de uso das medidas unilaterais da coasão, econômicas ou outros tipos, sem causas fudamentadas para isso. A Rússia também esta contra o estabelecimento forçado da democracia, o que cria uma situação de tensão em torno de Cuba.

 O chanceler da Federação da Russia, Serguey Lavrov considera que o quanto mais rápido normalizar as relações entre EUA e Cuba, melhor será para todo o mundo. Nos EUA declaram sobre a indefinição politica em Cuba com relação à saida temporária de Fidel Castro. Porém a realidade mostra o contrário: no país se mantêm a situação estável.

Leonid Smirnov  


Loading. Please wait...

Fotos popular