Pravda.ru

Mundo

'Pandemia Tornou-Se Questão Política nos EUA': John Kiriakou

06.05.2020
 
'Pandemia Tornou-Se Questão Política nos EUA': John Kiriakou. 33172.jpeg

'Pandemia Tornou-Se Questão Política nos EUA': John Kiriakou  

 

Enquanto previsões dentro dos Estados Unidos antecipam que a crise pandêmica se agravará ainda mais em um futuro proximo, chegando a cerca de três mil mortes em 1º de junho e por volta de 200 mil casos diários de infecção até o final do próximo mês, os estados americanos planejam a reabertura economica pressionados por Donald Trump.

 

O dia 5 de maio fechou com 1.237.633 casos de coronavírus, e 72.271 mortes, um crescimento dramático dentro do País. Em 28 de abril, o jornal The New York Times confirmou o que especialistas, incluindo Noam Chomsky para esta série exclusiva de Pravda,ru, têm afirmado categoricamente: O número de mortes por coronavírus nos EUA é muito maior do que o relatado, segundo dados do Center for Disease Control and Prevention (CDC). A taxa de casos em sete estados mais afetados pelo vírus, está em cerca de 50 por cento acima da divulgada oficialmente, de acordo com o CDC.

 

John Kiriakou, ex-agente denunciante da CIA preso por dois anos, de fevereiro de 2013 a fevereiro de 2015 por revelar métodos de tortura contra supostos terroristas por parte da agência de inteligência americana a mando do ex-presidente George W. Bush, conversa uma vez mais com exclusividade com Pravda.ru

 

Desta vez, na seguinte entrevista com o exilado jornalista brasileiro Edu Montesanti, Kiriakou fala sobre a crise sanitária sem precedentes nos Estados Unidos que, muito provavelmente, tornar-se-ão também crise política, economica e social jamais vista em seu país e no mundo.

 

Para Kiriakou, um dos grandes entraves estadunidenses é ter um presidente extremamente arrogante. "Um dos maiores problemas de Donald Trump é que ele se acha mais esperto que, literalmente, qualquer outra pessoa. Mais esperto que os cientistas, mais esperto que os especialistas, mais esperto que os formuladores de políticas e mais esperto que os profissionais de inteligência", diz o ex-agente da CIA.

 

Apontando que Trump pensa apenas em seus interesses pessoais, politicos e empresariais, Kiriakou observa que nao apenas  republicanos e democratas, mas todos os espectros políticos da extrema esquerda à direita mais radical têm levado a pandemia, de assunto de saúde, a um embate político de oportunistas. 

 

Ao apontar a pressão da direita para que se retomem as atividades empresariais nos Estados Unidos, Kiriakou se mostra profundamente precupado: [A reabertura] será seguida por uma segunda onda de coronavírus, havendo muito mais mortes do que temos visto até agora". 

 

Ao ser questionado se a pandemia vem a evidenciar um fracasso do neoliberalismo e do sistema capitalista como um todo, John Kiriakou, que se define como socialista democrático, e enfático em ir na contramão da percepção da ala progressista mundial, em geral: "É  uma crise médica, não econômica", tanto quanto nao tem duvidas de que a origem do virus é a China. "originou quando um ser humano comeu carne de animais selvagens, como morcego ou rato", afirma Kiriakou, quem ainda rechaça completamente a possibilidade de o Estado profundo estar, ao menos, permitindo a propagação descontrolada do novo coronavírus para fins de dominação global. 

 

E embora acredite que os bilionários globais concentrarão ainda mais riqueza, John Kiriakou, tido como heroi para muitos dentro e fora dos Estados Unidos, a começar por Edward Snwoden, não acredita que a pandemia altere a ordem internacional.

 

Kiriakou é autor de Doing Time Like a SpyReluctant SpyThe CIA Guide to Disappearing: The Ultimate Guide to InvisibilityThe CIA Guide to Lying and Lie Detection: The Ultimate Guide to Lying and Getting the Truth, e The CIA Guide to Surveillance and Surveillance Detection: The Ultimate Guide to Surreptitious Observation. Co-autor de The CIA Insider's Guide to the Iran Crisis: From CIA Coup to the Brink of War, e The Convenient Terrorist: Two Whistleblowers' Stories of Torture, Terror, Secret Wars, and CIA Lies

Ele também co-apresenta, com Brian Becker, o programa de rádio diário de duas horas Loud & Clear em Sputnik News.  

 

A seguir, a íntegra da entrevista com John Kiriakou, uma das vozes mais importantes e influentes dos Estados Unidos, e internacionalmente.

 

 

Edu Montesanti: Caro John Kiriakou, heroi dos EUA e do mundo, denunciante que nunca pensou em si mesmo mas na justiça e no bem-estar das pessoas arriscando sua vida, devo agradecê-lo por, mais uma vez, fazer parte de nossas publicações, motivo de profunda honra a Pravda.


Enquanto as previsões apontam a um aumento assustador tanto no número de casos de coronavírus quanto nas mortes nas próximas semanas, como você avalia a possibilidade de estados americanos virem a levantar o bloqueio, e reabrir suas economias?


John Kiriakou: Lamento dizer que acredito que a maioria dos estados dos EUA levantará o bloqueio em breve, muito em breve por causa da pressão política, e pela pressão dos cidadãos de direita.

A pandemia de coronavírus tornou-se uma questão política nos Estados Unidos, e não médica.


A ala política de direita exige que os EUA retornem aos "negócios como de costume". Isso provavelmente vai acontecer. Mas será seguido por uma segunda onda de coronavírus, havendo muito mais mortes do que temos visto até agora.

 

 

Quando você diz que a pandemia de coronavírus se tornou uma questão política nos Estados Unidos, faz referência a republicanos e democratas ou a todos os lados, da extrema esquerda à extrema direita?

 

Refiro-me a todos os lados.


Donald Trump não ouviu os cientistas, da mesma forma não ouviu a comunidade de inteligência dos EUA no final do ano passado e no início deste ano, que previam que uma pandemia atacaria o país. Por que isso e quais foram os piores erros do presidente Trump?

Um dos maiores problemas de Donald Trump é que ele se acha mais esperto que, literalmente, qualquer outra pessoa. 

 

Mais esperto que os cientistas, mais esperto que os especialistas, mais esperto que os formuladores de políticas e mais esperto que os profissionais de inteligência.

Ele se considerou um "gênio" em diversas ocasiões. O problema, porém, é que ele NÃO é muito inteligente. Essa é a personalidade dele. É nisso que estamos atolados.

Ele pensa apenas no que é melhor para si e no seu futuro político, e não no que é melhor para o País.


Como você vê alegações de determinados setores em todo o mundo de que o novo coronavírus não é originário da China, mas sim dos EUA? 

 

Eu mesmo devo que confessar que, desde o início, John, desconfiei muito desse vírus considerando também que se trata de arma biológica do Estado profundo dos EUA. 

 

Sua opinião, por favor, John.

Eu acredito muito fortemente que o coronavírus tem origem na China. Foram identificados 180 coronavírus diferentes nos últimos dez anos, todos provenientes da China.

Acredito na conclusão oficial de que a doença se originou quando um ser humano comeu carne de animais selvagens, como morcego ou rato.

Não houve conexão com o "Estado profundo",para além da especulação.


Há evidências da medicina moderna para a cura de infecções por coronavírus há uma década, que não foram colocadas em prática. 

 

Há alguns anos, David Rockefeller apontou

 

"Não estamos à beira de uma transformação global. Tudo o que precisamos é de uma grande crise, e as nações aceitarão a nova ordem mundial". 

 

Dizem muito que o Estado profundo também busca uma redução na população mundial, alem de reconfigurar a atual Ordem Mundial.

Você não acha que, pelo menos, as elites globais poderiam estar permitindo que o vírus se espalhe para gerar caos, por várias razões possíveis?

Discordo da premissa de sua pergunta. O "coronavírus" não é um único vírus. São centenas de vírus. Muda constantemente.

Não existe uma cura única para isso. E David Rockefeller estava certo, estávamos à beira de uma transformação global. Agora temos internet, globalização etc. Ele não estava falando sobre o coronavírus.

E não, não acredito que a "elite global" esteja deixando o vírus se espalhar. Eles não têm poderes mágicos.


Os EUA são o epicentro do novo coronavírus no mundo. Por que, e quais vulnerabilidades estruturais dos EUA o vírus está evidenciando, John?

Os EUA são o epicentro, porque nossa Constituição e Declaração de Independência nos prometem "vida, liberdade e busca da felicidade".

As pessoas se recusam a ser trancafiadas. Recusam-se a ficar em casa. Recusam-se a usar máscaras. Recusam-se a se envolver no distanciamento social.

E, como resultado, elas se infectam.


Muito se tem dito que o novo coronavírus evidenciou uma inviabilidade, o fracasso total do neoliberalismo e até do sistema capitalista. Como você avalia isso?

Esta é uma crise médica, não econômica. Acho que não diz nada sobre neoliberalismo ou capitalismo.

Originou-se na China... Isso é uma acusação do comunismo?


Sendo realista, levando em conta os fatos qual sua previsão para os EUA nos próximos meses e para depois que a pandemia passar, quero dizer, o que restará da Nação e como reconstruí-la?

Primeiro, acho que levará mais tempo para reconstruir a economia dos EUA do que as pessoas imaginam. As principais empresas fecharão permanentemente.

O setor de varejo pode nunca ser o mesmo. A Amazon ficará ainda maior, e Jeff Bezos ainda mais rico enquanto as pessoas compram em casa.

Levará pelo menos um ano para o setor de petróleo recuperar-se, porque o retorno ao normal será lento.

Mais importante, acho que Donald Trump perderá a eleição por causa da suamaneira de lidar com a pandemia.

 

 

Como a pandemia mudará, se é que mudará na sua opinião, a ordem mundial?


Acho que não veremos mudanças permanentes.

https://en.wikipedia.org/wiki/John_Kiriakou#/media/File:John_kiriakou_6889.JPG

 


Fotos popular