Pravda.ru

Desporto

O Poder da América Latina

17.06.2010
 
Pages: 12
O Poder da América Latina

Em vinte e quatro horas, três equipas da América Latina jogaram três partidas. Venceram as três, marcaram nove golos, sofreram um contra três equipas de três continentes. Não referimos a Burkina Faso, Gronelândia ou as Ilhas Salomão mas sim, África do Sul, nação anfitriã, o ex-campeão mundial e finalista em 2006, França e a respeitável República da Coreia (Sul).

Tendo Paraguai jogado 90 minutos de futebol em pé de igualdade com o campeão mundial, Itália, e Brasil, …bem, nem precisa comentário, podemos concluir que o futebol da América Latina está neste momento na crista da onda.

Após dois jogos, México e Uruguai passarão para os oitavos de final se empatarem o seu jogo, seja qual for o resultado entre França África do Sul. De facto, sejam quais foram os resultados, dado a diferença de golos da Uruguai e México (+ 3 e + 2) e a diferença negativa da França e África do Sul (menos 2 e menos 3), as hipóteses mais prováveis são que as duas equipas latino-americanas irão passar, a menos que haja uma diferença substancial na marcação de golos nas duas partidas.

Grupo A (Após 2 jogos)

Uruguai 1 1 0 3 0 4

México 1 1 0 2 0 4

África do Sul 0 1 1 1 4 1

França 0 1 1 0 2 1

África do Sul 1 México 1

França 0 Uruguai 0

África do Sul 0 Uruguai 3

França 0 México 2

Argentina 4 Rep. Coreia (Sul) 1

No Grupo B, a lógica ditaria que a Argentina (6 pontos) irá vencer a Grécia e que a República da Coreia irá derrotar a Nigéria, passando as duas equipas a defrontar Uruguai e México, ou México e Uruguai. Mas se a grécia vencer a Argentina (chegando aos 6 pontos) e a Coreia e Nigéria empatarem? Ou se a Grécia empatar e a Nigéria vence? Ou se a Grécia marcar 4 contra Argentina e Coreia derrota a Nigéria por dois golos?

Grupo B (Após 2 jogos)

Argentina 2 0 0 5 1 6

Rep. Coréia 1 0 1 3 4 3

Grécia 1 0 1 2 3 3

Nigéria 0 0 2 1 3 0

Rep. Coreia 2 Grécia 0

Argentina 1 Nigéria 0

Argentina 4 – Rep. Coreia 1

Joanesburgo FSC Quinta-feira 17 de Junho 13.30 SA
Se havia alguma dúvida sobre a Argentina de Diego Maradona, foi desfeita por um jogo elétrico que foi uma manifestação de concentração, capacidade técnica e garra desde o inicio até ao final.


Aos 17 ', um canto de Messi foi transformado em aoyo-golo pelo infeliz Chungyong. 1-0. Messi esteve por trás do segundo aos 33, passando para M. Rodriguez, que encontrou Burdisso e Higuain dirigiu a bola para o fundo da rede. 2-0.
Sungryong defendeu de Di Maria aos 40 ', novamente aos 41. Chungyong encerrou o primeiro semestre, marcando pela sua própria equipe, desta vez, aos 45 +1', tendo tirado a bola a Demichelis na área e rematou para o fundo da baliza. 2-1.


Argentina saiu depois do intervalo ainda mais devastadora. Sungryong defendeu de Higuain, aos 52 ', de Tevez aos 54', Messi aos 65 '. Messi novamente aos 76. Segundos depois, Messi acertou na trave e no mesmo minuto, passou a bola para Higuain, que bateu seu segundo e o terceiro da Argentina. 3-0.
O atacante argentino teve o seu “hat-trick” quatro minutos depois, novamente terminando um movimento iniciado por Messi, que passou a Kun Agueiro, que por sua vez, encontrou Higuaín, previsivelmente Melhor homem em campo pela FIFA.

Rep. Coreia: Sungryong, Beomseok, Yonghyung, Jisung, Jungwoo, Chuyoung, Youngpyo, Jungsoo, Sungyeung (Namil), Chungyong (Donggook), Kihun,

Argentina: Romero, Demichelis, Heinze, Di Maria, Higuain (Bolatti), Messi, Tevez (Kun Aguero), Samuel (Burdisso), Mascherano, Jonas, M. Rodriguez

Grécia 2 Nigéria 1

Nigéria começou o jogo pressionando a Grécia e depois dos 16’, resultou no primeiro golo. Kalu Uche marcou o primeiro jogo da sua equipa, e da partida, de um livre directo de 35 metros. Grécia começou a crescer depois da expulsão de Sani Kaita, por jogo violento (deu ponta-pé a um adversário) aos 33’. Aos 41’, Enyeama defendeu o remate de Salpingidis; aos 43’ o remate de Samaras foi tirado da linha do golo. Aos 44’, 1-1 – remate de Salpingidis.

O 2-1 veio no meio da segunda parte. Aos 72’, enyeama não conseguiu agarrar o remate de Tziolis e Torosidis estava em posição de marcar, conseguindo a primeira vitória de sempre da Grécia na fase final da Copa FIFA.

Grécia: Tzorvas, Tziolis, Papadopoulos, Karagounis, Vyntra, Salpingidis Torosidis, Kyrgiakos, Gekas (Ninis), Sokratis (Samaras), Katsouranis

Nigéria: Enyeama, Yobo, Taiwo (Echiejile, Afolabi), Shittu, Yakubu, Odemwingie (Obasi), Uche, Kaita, Haruna, Odiah, Etuhu

França 0 México 2

Pretoria/Tshwane 20.30 SA Time Thursday June 17

A primeira parte pertenceu ao México. Carlos Vela (8’), Carlos Salcido (18’, 27’) tiveram hipóteses de marcar. Contudo, foi Malouda (França) o primeiro jogador a criar grande perigo depois do intervalo, seu remate defendido por Oscar Perez. Este lance provocou uma mexida na equipa mexicana; para travar o crescimento da França, Javier Aguirre enviou para o campo Javier Hernandez e Cuauhtemoc Blanco, substituindo Juarez e Franco.

As super-substituições marcaram os golos. Javier Hernandez (melhor jogador em campo para a FIFA) recebeu um belo passe de Marquez aos 64’, anulando a esquema francesa for a-de-jogo, bailou à volta do Lloris e marcou o primeiro golo, na senda da primeira vitória de sempre do México sobre a França.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular