Pravda.ru

Desporto

Assessoria de imprensa da seleção uruguaia de futebol – Matías Faral – acima da asa do avião

02.06.2010
 
Pages: 1234
Assessoria de imprensa da seleção uruguaia de futebol – Matías Faral – acima da asa do avião

Sobrevoando os três decênios, o jornalista esportivo e Licenciado em Comunicação Matías Faral virou responsável pela assessoria de imprensa das Seleções Uruguaias masculinas de Futebol a partir do primeiro jogo rumo á África do Sul 2010 perante a Bolívia em Montevidéu. Ganhou experiência nas Taças do Mundo Sub-17 na Nigéria e Sub-20 no Egito mas o melhor está aí pertinho e Kimberley fica no aguardo dele e da «Celeste dos milagres».

PRAVDA: Quando deu início seu roteiro envolvido com a Associação Uruguaia de Futebol e nas Seleções Juvenis? Compartilhe seu CV?

FARAL: Completei 29 anos. Nasci o dia 09 de Março de 1981. Acabei formando-me Licenciado em Ciências da Comunicação na Universidade da República. Além disso sou solteiro. Os meus inícios na Associação Uruguaia de Futebol foram em 2002 ficando como responsável da comunicação e divulgação das atividades da 2a Divisão Profissional junto com alguns colegas da Faculdade que chegáramos até ter o nosso próprio veículo de divulgação, um jornalzinho conhecido como «Eventos Esportivos» que era distribuído nos jogos. Como parceiro do jornal nesse objetivo de divulgar a 2a Divisão tivéramos um programa semanal de rádio na Sport 890 de Montevidéu e conseguíramos montar matérias para o jornal «Últimas Noticias». Foi aí que veio o contato com a Mesa Executiva da 2a Divisão do futebol uruguaio, que nessa época o Presidente era o senhor Ovídio Cabal, completando a turma, Fernando Suárez e Mario Rava. Foram eles quem jogaram uma proposta acima da mesa, me oferecendo ficar umas duas ou três vezes a cada semana na AUF divulgando tudo quanto ia acontecendo na 2a Divisão. O tempo foi transcorrendo e continuei ganhando experiência no setor administrativo, sempre envolvido com a 2a Divisão até ficar no decorrer de dois anos.

Em 2005, tive a chance dentro da própria AUF de ficar no Setor Administrativo, logo mexendo com Juvenis, logo veio Tesouraria junto com o senhor Ruben González no eixo de ano e meio e assim que a AUF ficou sem Secretário de Imprensa e quase na hora que eu estava bem pertinho de me formar nesse negócio das Comunicações e Imprensa, acho que pela experiência ganha nesse período como jornalista acabei sendo veículo de divulgação das novidades, encaminhando informações para os meios de imprensa. Até essa data ainda não tinha ganho o cargo de Secretário de Imprensa. De jeito específico como a AUF não tinha o cargo de Secretário, o Executivo da época pediu para mim que desse uma ajuda nessa área de divulgação das informações surgidas na Associação e como a minha base de dados dos contatos de meios de imprensa era boa, acabei encaminhando para todos eles. Foi também em 2005 que acabou surgindo o site da AUF na net e fiquei com a responsabilidade de inserir tudo quanto ia ocorrendo sempre envolvido com a AUF nesse tal site. Logo mudou. Em 2007, quase na hora do início da Classificatória rumo á África do Sul 2010, após a Copa América, o treinador da seleção, Washington Tabárez pediu para a Diretoria Executivo da AUF que nesse instante tinha o advogado José Luis Corbo como Presidente, que ia precisar uma pessoa responsável da imprensa das seleções uruguaias no decorrer da Classificatória, sendo importante para ele que essa pessoa não tivesse atividade nenhuma nos meios de imprensa, no mínimo esportivos. Foi então que a Diretoria da AUF me candidatou levando em consideração que estava perto de conseguir o título de Licenciado em Comunicação, e assim que eles me ofereceram esse cargo, do meu lado, foi aceite pois estava extremamente envolvido com a carreira que acabei estudando além de um grandíssimo desafio. Regredindo no tempo, minha estréia como responsável da imprensa da seleção uruguaia foi no primeiro jogo pela Classificatória – África do Sul 2010, na vitória uruguaia perante a Bolívia de 5 x 0. Daqui a poucos dias temos a Taça do Mundo e vou tentar continuar com esta a minha tarefa nesse evento. Eis aí o meu histórico !!!

P: Sempre como «imprensa» da AUF já participou das Taças do Mundo Juniores Sub – 17 na Nigéria e Sub – 20 no Egito sendo alvo das camarinhas da tevê inúmeras oportunidades no plantão do lado dos treinadores. O que pode refletir quanto ao assunto?

FARAL: Tive o privilégio de participar das duas Taças do Mundo Juniores tendo ganho uma grande experiência, pode ter certeza disso pois já da para começar avaliar ao vivo e as cores tudo quanto acontece com a organização dos eventos e fora que tratam-se de torneios de porte menor quanto á Taça do Mundo de Adultos da para conhecer como é que a FIFA organiza os eventos, como é que a entidade trabalha com a imprensa e fora que nesses eventos e até na própria AUF mexo com a imprensa e na tarefa administrativa, acredito que foi muito interessante e tirei benefício profissional quanto tem a ver com experiência nesses eventos juniores que vou tentar refletir daqui a poucos dias na África do Sul.

Fica muito claro que África do Sul não é brincadeira, trata-se de um evento maiúsculo, tarefas diferentes, bem mais quantidade de...desde o instante que Uruguai carimbou o passaporte para o Mundial temos recebido um bocado de pedidos de informações de imprensa, atividades diferentes com os meios de imprensa que não tínhamos no resto das Taças do Mundo...uma turma da tevê da FIFA vai acompanhar cada uma das delegações. No caso dos

Pages: 1234

Loading. Please wait...

Fotos popular