Pravda.ru

CPLP » Brasil

Brasil: Educação e Alfabetização

25.05.2009
 
Pages: 1234

Nordeste teve o maior número de participantes de AJA (1,3 milhão de pessoas)

Cerca de 45% do 1,8 milhão de alunos que haviam frequentado curso AJA declararam não saber ler e escrever um bilhete simples. Entre as pessoas que frequentavam em 2007 ou haviam frequentado anteriormente cursos AJA, 1,4 milhão eram mulheres e 1,1 milhão, homens. Quase metade dessas pessoas tinham 50 anos ou mais de idade (44,7%), em seguida vinha o grupo de pessoas de 40 a 49 anos (21,4%) e de 30 a 39 anos (19,3%). A grande maioria dos alunos de cursos AJA tinham rendimento mensal domiciliar per capita de até um salário mínimo, de acordo com os seguintes grupos principais: cerca de 487 mil tinham rendimento de até ¼ salário mínimo; 622 mil estavam na faixa de ¼ a ½ salário mínimo e 722 mil situavam-se na faixa de ½ a 1 salário mínimo. Em relação à ocupação, cerca de 1,6 milhão dos alunos que cursavam ou haviam cursado AJA estavam ocupados. Aprender a ler e escrever foi a motivação principal de 1,6 milhão de alunos, seguido por retomar os estudos (536 mil) e conseguir melhores oportunidades de trabalho (195 mil).

Regionalmente, o Nordeste, onde se concentrava mais da metade dos analfabetos do país (7,5 milhões), de acordo com a Pnad 2007, apresentou o maior número de participantes de AJA (1,3 milhões de pessoas). Apresentaram menores números de participantes de AJA as regiões Sul (265 mil pessoas), Centro-Oeste (125 mil) e Norte (169 mil).

Dos motivos apontados por aquelas pessoas que frequentavam ou frequentaram anteriormente curso de Alfabetização de Jovens e Adultos predominou o objetivo de aprender a ler e escrever (66,0%). Os demais motivos apontados foram: retomar os estudos (21,8%), conseguir melhores oportunidades de trabalho (7,9%), e outros motivos (4,3%). Dentre aquelas pessoas que apontaram como principal motivo aprender a ler e escrever, os maiores percentuais observados foram no Norte (75,1%), no Nordeste (75,0%).

Notas:

1 A instituição de ensino é considerada particular quando é uma escola, faculdade, universidade ou outra entidade (sindicatos, ONGs, igrejas, cooperativas etc.) de direito privado, exclusive do Sistema S, que oferta educação regular em um ou mais níveis de escolaridade.

2 Instituições do chamado sistema “S”: Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI, Serviço Social da Indústria - SESI, Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio - SENAC, Serviço Social do Comércio - SESC, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE, Fundo Aeroviário - Fundo Vinculado ao Ministério da Aeronáutica, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - SENAR, Serviço Social de Transporte - SEST, Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte - SENAT, ou Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – SESCOOP.

Ricardo Bergamini

Pages: 1234

Loading. Please wait...

Fotos popular