Pravda.ru

CPLP » Brasil

Brasil: Cai desocupação

25.01.2007
 
Pages: 12
Brasil: Cai desocupação

Em dezembro, desocupação caiu para 8,4% - Taxa de desocupação foi menor que a de novembro (9,5%) e permaneceu estável em relação a dezembro de 2005 (8,3%). O rendimento médio real (R$ 1.072,30) cresceu 0,6% em relação a novembro e 4,5% em relação a dezembro de 2005.

Em dezembro de 2006, a redução de 291 mil pessoas no contingente de desocupados, associada à estabilidade na população ocupada, ocasionou queda de 1,1 ponto percentual na taxa de desocupação que, face a dezembro de 2005 (8,3%), ficou estável.

Regionalmente, na comparação com novembro, foi observada movimentação nas regiões metropolitanas de Recife (12,4% para 10,4%), Belo Horizonte (8,2% para 7,1%), Rio de Janeiro (7,3% para 6,5%), São Paulo (10,3% para 9,0%) e Porto Alegre (8,0% para 6,6%). Apenas na Região Metropolitana de Salvador houve estabilidade. No confronto com dezembro de 2005, as Regiões Metropolitanas de Recife (13,9% para 10,4%) e Salvador (14,6% para 12,4%) apresentaram queda e São Paulo (7,8% para 9,0%) registrou alta.

População ocupada (po)

Em dezembro de 2006, a população ocupada foi estimada em 20,8 milhões de pessoas, e não se alterou na comparação com novembro. Em relação a dezembro de 2005, esse contingente cresceu 2,6%, ou cerca de mais 520 mil pessoas.

Regionalmente, em relação a novembro de 2006, o contingente de ocupados não registrou movimentação significativa em nenhuma das regiões metropolitanas pesquisadas. Na comparação anual, Recife (4,4%), Salvador (4,7%), Belo Horizonte (5,1%) e São Paulo (2,5%) apresentaram alteração.

Resultados nos principais Grupamentos de Atividade

A ocupação por grupamentos de atividade, na comparação mensal, não mostrou alteração.

Ante o mesmo período de 2005, houve aumento apenas em Serviços prestados à empresa, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira (3,7%) e outros serviços (3,9%).

Indústria extrativa, de transformação e distribuição de eletricidade, gás e água (17,5% da PO). Houve estabilidade tanto em relação a novembro de 2006 quanto em relação a dezembro de 2005, para o total das seis regiões. No enfoque regional, não houve mudanças em nenhuma das regiões pesquisadas, em ambas as comparações.

Construção (7,2% da PO) No total das seis regiões, em ambas as comparações, o contingente de ocupados deste grupamento apresentou estabilidade. No enfoque regional, não houve movimentação em nenhuma das regiões pesquisadas, em relação a novembro.Frente a dezembro de 2005, Belo Horizonte apresentou alta de 11,9%.

Comércio, reparação de veículos automotores e de objetos pessoais e domésticos e comércio a varejo de combustíveis (19,6% da PO) Houve estabilidade, em ambas as comparações, para o total das seis regiões. No âmbito regional, não houve movimentação, em relação ao mês anterior. No confronto com dezembro de 2005, houve mudanças em Recife (12,2%) e Salvador (10,2%).

Serviços prestados à empresa, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira (14,4% da PO) Não houve movimentação na comparação mensal, mas elevação de 3,7% em relação a dezembro de 2005, para o total das seis regiões. No enfoque regional, no confronto com o mês anterior, não houve variação em nenhuma das regiões pesquisadas. No confronto com dezembro de 2005, Salvador registrou alta de 19,7%.

Educação, saúde, serviços sociais, administração pública, defesa e seguridade social (15,2% da PO) Em ambas as comparações, houve estabilidade. No âmbito regional, frente a novembro, houve estabilidade. Na comparação anual, houve alta em Belo Horizonte (6,9%).

Serviços domésticos (8,1% da PO) Estabilidade, no total das seis regiões, em ambas as comparações. Regionalmente, houve movimentação apenas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro: 6,9%, em relação a novembro e 9,6% em relação a dezembro de 2005.

Outros serviços (alojamento, transporte, limpeza urbana e serviços pessoais) (17,3% da PO) Estabilidade em relação a novembro e alta de 3,9% frente a dezembro de 2005, no total das seis regiões. No enfoque regional, na comparação mensal, não houve movimentação. Em relação a dezembro de 2005, alta na Região Metropolitana de Belo Horizonte (7,1%).

Ocupação segundo a forma de inserção no mercado de trabalho

Empregados COM carteira assinada no setor privado (exclusive trabalhadores domésticos, militares, funcionários públicos estatutários e outros) (41,6% da PO) Em relação a novembro, houve estabilidade. Frente a dezembro de 2005, alta de 4,4%, ou mais 363 mil trabalhadores com carteira assinada.

Regionalmente, na comparação mensal, houve estabilidade. Em relação a dezembro de 2005, houve altas em Recife (6,7%), Salvador (10,0%), Belo Horizonte (5,7%) e São Paulo (6,2%).

Empregados SEM carteira assinada (exclusive trabalhadores domésticos, militares, funcionários públicos estatutários e outros) (14,4% da PO) Houve estabilidade na comparação com o mês anterior e queda (-4,4%) frente a dezembro de 2005. No contorno regional, em ambas as comparações, houve estabilidade em todas as regiões pesquisadas.

Trabalhadores por conta própria (19,8% da PO) Estabilidade na comparação mensal e alta de 5,3% em relação a dezembro de 2005. Na esfera regional, houve estabilidade geral comparação mensal.Em relação a dezembro de 2005, houve altas em Salvador e Belo Horizonte (8,5%).

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular