Pravda.ru

CPLP » Brasil

Renan e HH estão cobertos de razão

24.03.2008
 
Pages: 12

No mesmo dia, respondendo a uma acusação de Renan, que chamou Heloísa Helena e o usineiro João Lira, ex-deputado, de "derrotados rancorosos", HH pegou leve, disse apenas: "Em vez de responder às denúncias graves contra ele, disse que eu estou fazendo calúnias porque quero aparecer na mídia nacional". E completou: "Renan está nesta tática porque, eu sei, que o desespero deve estar muito grande". Só faltou dizer "coitado!"

Ei!, turma do PSOL, não faz isso com a Heloísa, não empurra a coitada para o precipício. Vocês sabem que ela é bucha de canhão. A professora HH está entre a cruz e a espada. Na cruz do PSOL e ameaçada pela espada do Renan, que, se abrir a boca, fere até a mãe do calor de figo.

(Revista digital NovaE http://www.novae.inf.br/site/modules.php?name=Conteudo&pid=763 )

Transcrevo a seguir mais algumas abordagens da Folha Revista e as respostas de Renan.

A Folha: Como o senhor explicaria o fato de a ex-senadora Heloísa Helena ter tentado organizar um movimento nacional contra o senhor, depois desse diálogo que acabou de narrar?

Renan: Sinceramente, volto a dizer, eu não queria falar sobre essas coisas, mas como já comecei, vou continuar. Uma vez ela me mandou recado por meio de uma senadora, propondo um acordo sobre o que ela e eu falaríamos. Como eu não estava falando nada, desconsiderei. Mesmo assim, ela continuou ligando para vários senadores, pedindo para me condenar. Seguiu pelo Brasil tentando montar o movimento "Fora Renan", que não conseguiu juntar mais de 30 pessoas. Em outras duas oportunidades, fui procurado, em minha residência, por seu companheiro, Mário Agra, que dizia falar em nome da ´baixinha´, na presença do Roseevelt Patriota e do seu irmão, pedindo para que eu ajudasse a liberar recursos de emenda coletiva que ela dizia ser dela. Não dei conseqüência à conversa. Ela vive a ambigüidade com a briga do personagem que gostaria de representar e a outra pessoa que ela é. Como disseram, fazendo coisas impublicáveis.

Folha: E como foi o mal-estar da primeira sessão de julgamento, quando a ex-senadora Heloísa Helena representou o PSOL na acusação?

Renan: Bem, infelizmente vou ter de falar também sobre isso. No dia do julgamento, ela mandou dizer que iria medir suas palavras porque sabia da armação. Como não mediu, optando pelo noticiário fácil, o plenário e o País acabaram tendo conhecimento da sua falsa qualidade de vestal. Ela me obrigou a exibir para os senadores a senadoras, todo o processo que tramitou no STJ e no Supremo Tribunal Federal, onde ela foi condenada a pagar mais de 1 milhão de reais por valores recebidos indevidamente da Assembléia Legislativa de Alagoas e da Prefeitura de Maceió, onde acumulou salários. Pior, a condenação já passa de 1 milhão de reais, diz respeito também a verbas assistenciais que eram para ser distribuídas com entidades e não foram. Ela usou essas verbas em benefício próprio e nunca entregou a relação das entidades beneficiadas porque com o sistema de fiscalização bancária isso seria facilmente identificável e desmascarado. Preferiu apresentar um ofício do Presidente da Assembléia, que não foi aceito pela Justiça. Ela é a Taturana-mãe, porque já foi condenada. Basta ver os documentos da época e o site do Supremo Tribunal Federal.

A Folha: Na votação do Luiz Estevão, o senhor foi citado como responsável pelo voto dela. O que tem a dizer sobre isso?

Renan: Não foi bem assim. Na briga que ela teve com Antônio Carlos Magalhães, no episódio do voto dela pela absolvição do Luiz Estevão, eu a defendi nos embates, pois considero direito seu votar como quiser, é problema de consciência. Porém, o repugnante no episódio foi que ela chegou ao cúmulo de afirmar que era filha de empregada doméstica, que havia sido criada nos porões das casas de madames, desnecessária e mentirosamente, quando em Alagoas todos sabem que ela é filha de um fiscal de renda falecido, cuja pensão sua mãe recebe. Ou seja, ela sempre viveu bem, tanto que estudou no Santíssimo Sacramento, na época o colégio mais caro de Maceió, onde também estudavam Teresa Collor e outras pessoas ligadas ao setor produtivo local.

Pelo visto, em relação à troca de acusações entre Renan Calheiros e Heloísa Helena, quando os dois qualificam um ao outro da forma mais degradante possível, infelizmente ambos parecem estar cobertos de razão.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular