Pravda.ru

CPLP » Brasil

Frei Beto e a lenda mentirosa sobre o rombo da Previdência!

13.05.2017
 
Frei Beto e a lenda mentirosa sobre o rombo da Previdência!. 26547.jpeg

Frei Beto e a lenda mentirosa sobre o rombo da Previdência!
 
Diante da avalanche de propaganda enganosa que o governo ilegítimo de Michel Temer vem fazendo na grande mídia, frei Beto resgata alguns dados importantes da realidade econômica e dos bastidores da máquina da Previdência. E mostra que tudo que o governo faz, é no sentido de retirar recursos de programas sociais e transferi-los para bancos e rentistas.

A mídia - por motivos ideológicos e financeiros - faz o jogo do governo, realizando debates entre 'especialistas' e políticos para defender a visão e as propostas de Temer. Não se peja de jogar a imparcialidade na lata de lixo. Um mínimo de isenção exigiria que o outro lado da moeda - os críticos da reforma - fosse também consultado para ajudar a esclarecer a opinião pública. Ninguém está defendendo que não se faça uma reforma. Mas, uma reforma da Previdência digna desse nome, não pode ser feita por uma maioria de parlamentares tendenciosos, corruptos e golpistas, sem consultar e debater com os trabalhadores e suas organizações representativas de classe.

 
            1. Frei Beto questiona : ao invés de retirar bilhões da Previdência para pagar títulos de uma dívida ilegítima, "por que não pôr fim às desonerações concedidas a bancos, agronegócios e empresas ?" Ou seja, Temer não só dispensa esses setores do pagamento de impostos, como perdoa suas dívidas antigas para com a Previdência, da ordem de centenas de bilhões de reais. Importante lembrar : segundo o IPEA, no Brasil rico não paga imposto, sonega "um montante equivalente a 13% do PIB; só a sonegação dos encargos trabalhistas, por eles, é da ordem de R$ 500 bilhões" ! E a conta fica para o 'povão' pagar.
 
            2. A Previdência sempre foi superavitária. Como diz frei Beto, "o Estado brasileiro está quebrado, não por culpa da Previdência, e sim, dos juros pagos para rolar a dívida pública. Metade do orçamento da União vai para a dívida pública. Se o governo sanasse sua relação com os bancos, o país entraria nos eixos". O expediente, através do qual o governo Temer retira recursos da Previdência é a DRU (Desvinculação de Receitas da União), para financiar gastos do Orçamento Fiscal. Temer pretende aumentar o percentual da DRU para retirar até R$ 120 bilhões/ano da Previdência.
 
            3. Essa estratégia do governo é para falir a previdência a médio prazo e abrir espaço para a iniciativa privada tomar conta do mercado de planos de saúde, atendendo, assim, aos anseios da plutocracia financeira. Frei Beto resgata uma estória da relação incestuosa entre o governo FHC e os bancos, que ilustra as contradições que emperram o avanço do país rumo a uma sociedade mais justa e solidária. É a seguinte :
 
            Quando Adib Jatene foi convidado por Fernando Henrique para ser ministro da Saúde, ele disse que concordaria se fossem garantidos os recursos para a pasta via CPMF. FHC concordou. Jatene conseguiu convencer o Congresso Nacional e o imposto do cheque foi aprovado. Mas, FHC não cumpriu sua palavra, pois usava todos os recursos da CPMF para formação de superávit primário e rolagem dos juros da dívida. Além disso, Pedro Malan, o ministro da Fazenda, retirava recursos da Saúde com o mesmo objetivo. Resultado, Jatene pediu demissão do cargo e saiu atirando : "FHC não tem palavra e Serra [que também atuou contra Jatene] não tem caráter".
 
            4. Só o povo organizado nas ruas pode evitar a implosão do Estado brasileiro pelo governo ilegítimo e antipátria de Michel Temer.

 


Loading. Please wait...

Fotos popular