Pravda.ru

Negόcios

Todo mundo é um ativista russo

24.10.2019
 
Todo mundo é um ativista russo. 31975.jpeg

Todo mundo é um ativista russo


A America riu dos comentários de Hillary Clinton sobre Tulsi Gabbard, mas as ideias de Hillary se encaixam perfeitamente na tendência dominante do pensamento intelectual americano.

Por Matt Taibbi 

21 de outubro de 2019 - Information Clearing House  --   Hillary Clinton , não muito tempo atrás, foi nomeada pelo Partido Democrata para as primárias democratas e teve algumas palavras bem escolhidas sobre o estado da política americana na sexta-feira.

"Não estou fazendo nenhuma previsão, mas acho que eles (os russos)  estão de olho em alguém que está atualmente nas primárias democratas e a estão preparando para ser candidata a um terceiro", disse Clinton em um podcast com o ex-assessor de Barack Obama; David Plouffe. "Ela é a favorita dos russos."

Clinton parecia estar falando sobre a congressista do Havaí Tulsi Gabbard, uma veterana de combate. Ela não terminou, atacando, também, a ex-candidata do Partido Verde Jill Stein:

A Jill Stein, também, é um patrimônio russo ... Sim, ela é um patrimônio russo - quero dizer, totalmente. Eles sabem que não podem vencer sem um candidato de terceiros.  

Ela passou a falar sobre Donald Trump:

"Não sei o que Putin tem sobre ele, seja pessoal ou financeiro ... presumo que seja"

Hillary Clinton é insana. Ela, também, não está longe da tendência dominante do Partido Democrata, que vem seguindo a mesma linha há anos.

Menos de uma semana antes da explosão de Clinton, o New York Times - outrora um símbolo de reportagens difíceis e cautelosas - publicou um artigo chamado " O que exatamente Tulsi Gabbard está aprontando ?". A peça especulava sobre a "atividade suspeita" em torno da campanha de Gabbard, usando citações do think-tank neoconservador ( Alliance For Securing Democracy), para especular sobre o apoio russo de Gabbard.

Este foi o segundo artigo que o Times  escreveu. Um artigo de agosto dizia "Tulsi Gabbard acha que estamos condenados", atingiu quase todos os mesmos pontos de discussão, citando Clint;  Watts, um ex-espião do mesmo think tank , chamando Gabbard de "a democrata preferida do Kremlin" e um "agente útil de influência. "O artigo do Times ecoou artigos anteriores do Daily Beast e da NBC.com que diziam muitas das mesmas coisas.

Depois que Clinton deu a entrevista sobre "ativistas russos", pareceu por um momento que o setor de comentários dos Estados Unidos poderia se afastar do assunto.

 Hillary Clinton passou por muita coisa ao longo de sua carreira, e até mesmo os detratores diriam que ela ganhou espaço para fazer maluquices de vez em quando. Alguns dos candidatos democratas à presidência, como Beto O' Rourke  e Andrew Yang, criticaram Clinton por seus comentários. Mas quando Gabbard (que também passou por uma provação brutal da mídia) retrucou e chamou Hillary de " Rainha dos vendedores ambulantes ", e Donald Trump sugeriu Clinton como "maluca", a maioria dos especialistas repetiu a ideia de "ativista".

 

David Frum (herói neoconservador), que virou resistência, criticou Trump,  por defender Stein e Gabbard; observando sarcatiscamente : "Ele deveria fingir que não estavam todos no mesmo time." Ana Navarro, da CNN, disse : "Quando os russos e Trump apoiam alguém, tenha cuidado. "Um painel da MSNBC notou, com aparente seriedade, que Gabbard" nunca negou ser uma ativivista russa ". O crítico de mídia da CNN Brian Stelter tentou sugerir que Hillary, só parecia ser  maluca graças a um truque do inimigo vermelho, dizendo :" Parece uma situação de desinformação, em que os russos querem esse tipo de desinformação. "

O memes "Os russos nos fizeram dizer coisas loucas sobre os russos" tem sido um tema recorrente. Quando Luke Harding, do The Guardian, foi criticado por uma reportagem malsucedida de que Julian Assange havia se encontrado com o assessor de Trump  - Sr.Paul Manafort - na embaixada do Equador, um funcionário anônimo da CIA escreveu um editorial no Politico, sugerindo que, se a história fosse falsa, a explicação mais lógica,  seria um esforço de desinformação russo para desacreditar os jornalistas.

Todo mundo é escória estrangeira nos dias de hoje. Os democratas passaram três anos tentando provar que Donald Trump é um peão russo

Mitch McConnell é " Moscow Mitch.  Os candidatos de terceiros são uma conspiração russa. O movimento Bernie Sanders não é apenas um terreno baldio de "Bros" racista e misógino, mas de acordo com as agências de inteligência e especialistas comuns - o beneficiário de uma ambiciosa conspiração russa para " aumentar a divisão " dentro do Partido Democrata. Os independentes de Joe Rogan, atraídos pela leve mensagem anti-guerra de Tulsi Gabbard também são traidores e burros do Kremlin.

Se você está anotando, esse é praticamente todo o espectro do pensamento político americano, exceto os democratas da MSNBC. Que coincidência!

Agora, os democratas estão assumindo o papel dos republicanos da era Tom Delay, que denunciaram todos os que se opunham à Guerra ao Terror como "amantes de Saddam".

 No meio disso, em 2003, o Washington Post  protestou contra a maneira como o jornalismo americano era " infectados com jingoísmo ( nacionalismo exacerbado) e intolerância . "Isso foi depois que o New York Post de Rupert Murdoch publicou uma manchete: " Não ajude esses amantes de Saddam " sobre celebridades que gostam de apaziguamento como: Laurence Fishburne,  Tim Robbins,  Samuel L. Jackson, Sean Penn Danny Glover e Susan Sarandon.

Hoje, o New York Post é o jornal que clama contra as " teorias da conspiração tristes e doentes " sobre Gabbard (uma amante de Assad  em vez de uma amante de Saddam),  mas alguns dos outros jogadores são os mesmos. Sarandon é regularmente denunciado agora pelos democratas, e não pelos republicanos, desta vez por apoiar Stein em 2016, um ato visto como equivalente a ter beijado Putin na TV ao vivo. Ela, também, foi uma das poucas celebridades destacadas por uma doação política "controversa" no artigo de maio do Daily Beast sobre os contribuintes suspeitos da campanha de Gabbard.

O #THERESISTANCE( twitter) criou todo tipo de palavras para esses quinto-colunistas e desviacionistas, tais como:  são falsos balanceadores ou falsos equivalenciadores,  são neo-naderitas, testadores de pureza, ambos os lados, whataboutists, teóricos das ferraduras, céticos da Rússia ou negadores da Rússia e anti antiTrumpers . Esses hereges são vistos como parte da equipe de Putin.

Essa loucura de caça às bruxas não é apenas perigosa, é uma violação maciça da realidade. A campanha de Trump foi um show de palhaçadas.  Ele quase não tinha apoio institucional. Seu,  jogo de chão  era inexistente , e sua "campanha" era um programa de TV baseado quase inteiramente em aparências não escritas na mídia. Trump levantou pouco mais da metade dos US$ 1,2 bilhão recebidos por Hillary Fazendo dele o primeiro candidato à presidência desde 1976 a vencer com um déficit de fundos. TRUMP não preparou um discurso de vitória,  pela razão perfeitamente lógica, que nunca esperava vencer.

Mesmo se você postular as teorias mais elaboradas da interferência russa (o que não aconteceu em 2016), ainda é quase inteiramente uma história doméstica, com Trump se beneficiando da rejeição pública de longa data do estabelecimento político americano.

Em vez de enfrentar o absurdo devastador da derrota antes da  apresentação  de um jogo improvisado que aparentemente estava tentando perder - uma comédia negra que é 100% da rica tradição de estupidez dos Estados Unidos - os democratas se interessaram por essa teoria da infiltração estrangeira. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse o mesmo em uma reunião da Casa Branca, apontando para Trump e proclamando: " Todos os caminhos levam a Putin ".

Tudo?  A sério?  Isso já vai acabar?

Este artigo foi publicado originalmente por " Rolling Stone " - -

 

Foto: By Gage Skidmore from Peoria, AZ, United States of America - Tulsi Gabbard, CC BY-SA 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=79497300 


Fotos popular