Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

G-20: A necessidade de crescimento verde

Enquanto os G-20 preparam-se para a sua Cimeira na República da Coreia, os seus líderes precisam ir muito mais longe do que tomar apenas medidas econômicas; se em Seul, os líderes dos G-20 tomarem medidas cosméticas que satisfazem os interesses a curto prazo do sector financeiro, elas podem muito bem estarem a comprometer os interesses a longo prazo da humanidade.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente está pedindo às nações G-20 que façam promessas para o fornecimento de ações concretas que garantam o desenvolvimento sustentável e verde, lembrando aos líderes que a perda de habitats vai custar o planeta não biliões, mas triliões de dólares.
Achim Steiner, Diector do PNUMA, publicou um artigo na o diário da República da Coreia, o jornal JoongAng Daily, apontando que em 2009, em Londres, os líderes do G20 se referiram à construção de uma " recuperação abrangente sustentável e verde" e afirmou que "em Seul , esta visão precisa evoluir no sentido não apenas de uma recuperação verde, mas na integração, crescimento sustentável apoiado por tecnologias limpas e na importância econômica da manutenção dos multi-serviços naturais que valem triliões de dólares ".


Para Achim Steiner, o caminho a seguir é para os líderes dos G-20 tomarem medidas que combinem estratégias de curto e longo prazo, na sequência de uma visão que leva em conta os interesses dos "muitos e não apenas os poucos" através de investimentos do setor público e políticas do setor privado. Lembrando que os atuais modelos econômicos contêm contradições internas, o diretor do PNUMA afirmou que reiterando as actuais políticas e medidas de execução cosméticas não será suficiente.

O que precisa ser feito, segundo ele, é para os líderes dos G-20 se concentrarem sobre a sustentabilidade financeira, programas de emprego sustentável e a necessidade de combater a pobreza no século 21, indicando que o setor dos negócios está a olhar para os líderes para que dêem respostas que sejam mais progressistas e mais imaginativas.


Achim Steiner acrescenta que "um número crescente de bancos e fundos de pensões identificam um aumento nos riscos para seus investimentos a partir da perda de ecossistemas, como florestas, pântanos e multi-serviços, valendo triliões de dólares, que eles produzem" e que "um número crescente agora vêm as perturbações no abastecimento de alimentos, cadeias de abastecimento e outros desafios relacionados com as perdas de recursos naturais e uma ameaça maior do que a do terrorismo internacional".

Entre os passos positivos que referiu, foram a própria política do Governo da República da Coréia, onde um pacote de estímulo econômico atribui cerca de 90 por cento dos seus fundos para uma política de curto e longo prazo, de crescimento verde em que o papel de liderança da política pública preparou decisões que serviram para a criação de esquemas para a liberação de dinheiro do setor privado para investir em políticas verdes e energia limpa, enquanto um elogio especial foi dado ao protocolo recente decorrente da Convenção sobre Diversidade Biológica, em Nagoya, no Japão, em que novas regras foram estabelecidas para melhorar o acesso e a partilha de recursos genéticos do mundo.

Este artigo é fundamentado pelos resultados da 31 ª reunião anual da Sociedade dos EUA de Toxicologia e Química Ambiental em 08 de Novembro em Portland, Oregon, na qual os químicos ambientais apontaram que o degelo vai significar um aumento na concentração de produtos químicos tóxicos no ambiente.


Foi revelado que o derretimento do gelo do mar expõe mais água do mar para a atmosfera e isso tornaria mais fácil os produtos químicos tóxicos escaparem para a atmosfera em águas geladas.


Além disso, os resíduos de pesticidas, metais pesados e produtos químicos domésticos, com níveis aumentados devido ao aquecimento global, implicará maiores ameaças para os peixes, animais e seres humanos, enquanto as alterações climáticas irão afectar a circulação e distribuição de água. Somado a isso, uma recuperação dos níveis letais de metais pesados devido ao aumento da concentração com o aumento da temperatura vai, ao longo do tempo, representar uma ameaça directa para muitas das espécies do nosso planeta.


Outros dados que saem da reunião foram os efeitos danosos da luz ultravioleta sobre leitos de rios, devido à menor quantidade de neve nas cadeias de montanhas, a crescente volatilidade dos produtos químicos tóxicos causados pelo aquecimento global, facilitando a sua dispersão pelo vento e estudos sobre os microrganismos revelaram um aumento da sensibilidade a elementos tóxicos ao passo que as temperaturas subiram.


Portanto, se em Seul, os líderes dos G-20 tomarem medidas cosméticas que satisfazem os interesses a curto prazo do sector financeiro, elas podem muito bem estarem a comprometer os interesses a longo prazo da humanidade.

Fontes: ONU
UNEP
revista Nature
Timothy Bancroft-Hinchey
Pravda.Ru