Author`s name Derio Nunes

Quadrilha de contrabando de órgãos humanos presos pela policia de Israel

Foram presas 10 pessoas, suspeitas de contrabando de órgãos humanos. Com a ajuda dos anúncios do jornal “Aferist”, uma quadrilha buscava doadores de sangue, pronto a vender o rim, essa operação era feita na Ucrânia, segundo a Israel News.

A operação clandestina de venda ilegal de órgãos humanos era cuidadosamente bem organizada. O anúncio sobre a venda de rim aparecia nos jornais russos e árabes, que era publicado no norte de Israel. Quem concordaria participar dessa operação, dava uma análise no hospital e depois era enviado à Ucrânia. Ali ele era operado e transplantado o seu órgão no momento para a outra pessoa. Os membros da banda controlavam toda a etapa do processo, desde o momento da partida dele até a entrega no lugar de destino.

“O doador era prometido 35 mil dólares pelo rim”, - disse o tenente coronel da policia, Lior Boker. De acordo com as suas palavras, não foi ainda conseguido saber quantas pessoas já conseguiram receber o rim dos doadores, sabendo que os órgãos sairiam bastante caros aos compradores.

A investigação foi feita depois de uma mulher israelita de 30 anos remeteu uma queixa a polícia, dizendo que ela passou por essa operação na Ucrânia e foi tirada o seu rim, mas não recebeu essa quantia do dinheiro da compensação. Para comprovar a informação, a policia introduziu um agente secreto como doador potencial, pronto a vender o órgão dele.

O agente passou por todas as etapas preparatórias antes da suposta operação, a partida a Ucrânia. Depois disso a policia começou a prender os membros da quadrilha, como suspeitos de venderem órgãos humanos ilegais. Neste momento foram presos 10 pessoas com a residência em diferentes regiões do país, que irão responder às acusações frente ao tribunal de Israel.

Dério Nunes