Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Dia da Memória da Guerra Química: A Federação Russa é louvada

09.05.2016
 
Dia da Memória da Guerra Química: A Federação Russa é louvada. 24317.jpeg

Dia da Memória da Guerra Química: A Federação Russa é louvada

O papel desempenhado por todas as instituições da Federação Russa, em todos os níveis, foi enaltecido pelo presidente do Conselho Executivo da Organização para a Proibição de Armas Químicas em 29 de abril passado, Dia Internacional da Memória das Vítimas de Guerra Química.

Timothy Bancroft-Hinchey

Em 29 de Abril de 1997 a Convenção sobre Armas Químicas entrou em vigência, e a Décima Sessão da Conferência dos Estados-Parte decidiu, em novembro de 2005, fixou um dia internacional de recordação nesta data. O objetivo é prestar homenagem às vítimas da guerra química, reafirmando o compromisso da Organização para a Proibição de Armas Químicas de eliminar a ameaça representada por tais armas além de promover a paz, segurança e multilateralismo. As Partes envolvidas na proibição global de armas químicas reafirmaram o "compromisso inequívoco" destes objetivos na Terceira Conferência de Revisão dos Estados-Parte na Convenção Química, em abril de 2013. Afirmou-se que, junto da total destruição de armas químicas, deve-se haver a adesão universal à Convenção.

"Nesta Dia da Memória, renovemos os esforços para livrar o mundo destas e de todas as outras armas de destruição em massa. Só trabalhando em conjunto podemos caminhar rumo a um mundo livre de armas químicas", disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon

Enaltecimento dos Esforços da Rússia, em Todos os Níveis

Em 29 de abril, uma delegação do Conselho Executivo da Organização para a Proibição de Armas Químicas fez uma declaração elogiando a Rússia após visitar a instalação de destruição de armas químicas em Kizner, no dia anterior. O embaixador Francesco Azzarello, presidente do Conselho Executivo, declarou: "As várias reuniões políticas e legislativas que realizámos em Moscou nos dias antes da visita ao local, confirmaram o forte apoio que o programa recebe na Federação Russa, em todos os níveis. A delegação do Conselho Executivo em Kizner ficou altamente impressionada com o trabalho que está sendo executado ".

Apenas uma Planta Operacional

Dois dos sete instalações de destruição de armas químicas Rússia concluíram o seu trabalho, e fecharam (sendo estas as de Kambarka e de Gorny); quatro outros também concluíram os trabalhos e as fecharão em breve (Maradykovsky, Leonidovka, Pochep e Shchuchye), enquanto Kizner é a última instalação em funcionamento, devendo ser encerrada em 2020.

Timothy Bancroft-Hinchey

Pravda.Ru 

Twitter: @TimothyBHinchey

tem trabalhado como correspondente, jornalista, editor-adjunto, editor, editor-chefe,  gerente de projeto, diretor, diretor executivo, sócio e proprietário de publicações diárias, semanais, mensais e anuais impressos e on-line, emissoras de TV e grupos de mídia impressos, difundidos e distribuídos em Angola, Brasil, Cabo Verde, Timor Leste, Guiné-Bissau, Portugal, Moçambique e São Tomé e Príncipe; tem contribuído para a publicação do Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa, Dialog e tem escrito para o Ministério das Relações Exteriores de Cuba nas Publicações Oficiais.

Passou as últimas duas décadas em projectos humanitários, ligando comunidades, trabalhando para documentar e catalogar línguas, culturas, tradições em vias de desaparecimento, trabalhando para formar redes com as comunidades LGBT, ajudando a criar abrigos para vítimas abusadas ou assustadas e como Media Partner da ONU Mulheres, trabalhando para promover o projeto UN Women para lutar contra a violência de gênero e de lutar por um fim ao sexismo, racismo e homofobia.

Vegano, é também Media Partner da Humane Society International, lutando pelos direitos dos animais. Ele é diretor e editor-chefe da versão em Português do Pravda.Ru desde o lançamento em 2002.

 


Loading. Please wait...

Fotos popular