Pravda.ru

Mundo

Cuba

08.02.2012
 

Correio da Cidadania

Muito se tem falado sobre Cuba.

Cuba. 16397.jpegOs inimigos dizem: Cuba é uma ditadura; persegue os dissidentes; a família Castro monopoliza o poder; lá não existem democracia e liberdade de expressão. Os simpatizantes do regime afirmam: dos milhões de crianças jogadas nas ruas no planeta nenhuma é cubana, Cuba é referência na educação, saúde e no esporte no mundo inteiro.

Na verdade, Cuba é uma ilha no Caribe. Com pouco mais de 11 milhões de habitantes, ela incomoda, e muito, os EUA, a Europa, os ricos e os liberais no mundo. Talvez porque ela prove que outro mundo é possível. E pensar que Cuba consegue todos esses avanços sociais e científicos apesar de sofrer, desde 1959, o maior boicote econômico vivido por um país em toda a história da humanidade!

Existem equívocos no comando de Cuba, muitos. Todavia, a sobrevivência do regime e o apoio popular a Fidel e a seu irmão, Raul Castro, provam que os acertos são muito maiores.

Não existem circulando na Ilha carrões, celulares, roupa de grife, nem divisão de classes sociais. Todos são trabalhadores. Lá, não existem desempregados. Todos têm de fato direito à moradia, que pertence ao Estado. Os latifúndios foram extintos e as terras (a começar pelas da fazenda da família de Fidel) distribuídas aos campesinos. Tudo isso apesar da propaganda massiva contra o regime.

Cuba, durante a guerra fria, tinha o apoio da então União Soviética. Com a queda do regime comunista, perdeu o apoio russo e, mesmo isolada, resistiu. Com a ascensão dos governos democráticos e populares na América Latina, Cuba ganhou fôlego. Hugo Chávez e Lula apóiam Fidel e reabrem o debate na defesa de Cuba com o mundo, evocando o princípio da autodeterminação dos povos.

Chávez, além do apoio político, tem suprido a Ilha de petróleo e selado vários intercâmbios, principalmente na área de saúde.

Recentemente, a presidenta do Brasil visitou Cuba. Essa visita constituiu um momento histórico na política da Ilha. Neste momento, os inimigos do regime, que não são poucos, através da mídia, se aproveitam para ouvir os dissidentes, no sentido de criticar Cuba, e vão tentar ainda dizer que a presidenta Dilma não deveria intervir na questão.

Entretanto, estranhamente, a grande mídia não escreve uma linha sequer sobre a prisão política de cinco cubanos, que permaneceram isolados em prisões de segurança máxima, sob cruéis condições de reclusão, violando seus direitos humanos e as próprias leis estadunidenses. Julgados como espiões e condenados a prisão perpétua nos Estados Unidos. Dois deles privados até do direito de receber visitas de suas esposas.

Tampouco seria razoável esperar que a grande mídia exigisse a libertação de incontáveis prisioneiros mantidos pelo império americano em Guantánamo.

Pergunta que não quer calar: qual a justificativa do boicote econômico a Cuba hoje? Qual a ameaça aos EUA e à Europa?

Emanuel Cancella é diretor coordenador da Secretaria de Coordenação Geral do Sindipetro-RJ; Francisco Soriano é diretor coordenador da Secretaria de Finanças do Sindipetro-RJ.

 

 


Loading. Please wait...

Fotos popular