Pravda.ru

Notícias » Sociedade


Desemprego, dificuldades financeiras e sociais continuarão em 2021

19.02.2021 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Desemprego, dificuldades financeiras e sociais continuarão em 2021. 34945.jpeg

Desemprego, dificuldades financeiras e sociais continuarão em 2021

Genebra, (Prensa Latina) Todos os cenários projetam que a perda de jornada de trabalho continuará, ou seja, a angústia financeira e social de milhões de pessoas continuará em 2021 e além, estima a OIT.

Com essa previsão, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) apresentou suas projeções para o mercado de trabalho para este ano, que mostram que a maioria dos países experimentará uma recuperação frágil, que será fortalecida à medida que os programas de vacinação contra SARS-Cov-2 entrarem em vigor.

No final de janeiro, o Diretor-Geral da OIT, Guy Ryder reconheceu que esta tem sido a crise mais grave para o mercado de trabalho desde a Grande Depressão dos anos 1930, e que seu impacto é muito maior do que o da crise financeira global de 2009.

 

No entanto, ele anunciou: 'Tenho o prazer de dizer que há algumas notícias relativamente encorajadoras em tudo isso, vemos sinais provisórios de recuperação, mas são frágeis, incertos e as perspectivas são notavelmente confusas.'

'Este ano mais horas serão perdidas e, possivelmente, no próximo ano', disse Ryder.

Em um de seus últimos relatórios sobre a crise gerada pela pandemia de Covid-19, a OIT afirmou que no ano passado 8,8% das horas de trabalho foram perdidas em todo o mundo, aproximadamente quatro vezes mais do que na recessão de 2009.

Esses impactos em relação ao ano anterior equivalem a 255 milhões de empregos em tempo integral e incluem um número sem precedentes de 114 milhões de trabalhadores que entraram nas listas de desempregados, e outros cuja jornada foi reduzida devido às restrições.

Isso se traduziu em uma redução de 8,3% da renda mundial do trabalho, ou seja, 3,7 trilhões (milhões de milhões) de dólares ou 4,4% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, segundo cálculos da OIT.

Nesse sentido, Ryder considerou especialmente preocupante que 71 por cento dos empregos perdidos -81 milhões de pessoas-, foram produzidos por inatividade, ou seja, essas pessoas simplesmente deixaram o mercado de trabalho, ou não puderam trabalhar devido às restrições da pandemia , por obrigações sociais, ou desistiram de procurar trabalho.

Apesar do alto grau de incerteza que ainda existe, as projeções mais recentes para 2021 mostram que na maioria dos países haverá uma recuperação relativamente forte na segunda metade do ano. 'Os sinais de recuperação que estamos vendo são encorajadores, mas são frágeis e altamente incertos, e deve-se lembrar que nenhum país ou grupo pode se recuperar por conta própria', disse Ryder.

O controle da pandemia, bem como o aumento da confiança do consumidor e do empresário, levaria à situação mais favorável, embora em todos os casos o número de horas de trabalho nas Américas, Europa e Ásia diminua ainda mais o dobro do que em outras regiões.

Portanto, o mundo tem diante de si duas opções: uma leva a uma recuperação desigual e insustentável, com crescentes desigualdades e instabilidade, provavelmente exacerbando a crise.

A outra leva a uma ressuscitação centrada nas pessoas, a fim de melhor reconstruir e promover o emprego, a renda e a proteção social, bem como os direitos dos trabalhadores e o diálogo social, o que leva a um cenário duradouro, sustentável e inclusivo, considerado pela OIT como o caminho a seguir para os formuladores de políticas.

 

 

https://patrialatina.com.br/desemprego-dificuldades-financeiras-e-sociais-continuarao-em-2021/

 

 
4408