Pravda.ru

Notícias » Ciência


Brasil terá mais de 460 mil novos casos do câncer no próximo ano

29.11.2007 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Pages: 12

A Estimativa 2008 de Incidência do Câncer no Brasil revela que aproximadamente 470 mil novos casos da doença deverão ocorrer no país em 2008 e 2009. O tipo mais incidente será o câncer de pele não melanoma, com 115.010 casos a cada ano.

Em seguida, vêm: câncer de próstata (49.530 novos casos), mama (49.400), pulmão (27.270), cólon e reto (26.990), estômago (21.800) e colo de útero (18.680). O anúncio foi feito pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), do Rio de Janeiro, durante o 2º Congresso Internacional de Controle de Câncer (ICCC 2007/INCA), realizado de 25 a 28 de novembro, marcando o Dia Nacional de Combate ao Câncer (27 de novembro).

“O INCA elabora as estimativas de câncer no Brasil desde 1995 com o objetivo de orientar os gestores públicos nas ações de controle e prevenção do câncer”, afirma o diretor do INCA, Luiz Antonio Santini. “A dimensão da incidência da doença no país, que é projetada nas Estimativas, evidencia como o câncer precisa ser encarado, definitivamente, como um problema de saúde pública. É justamente este esforço internacional que estamos fazendo no ICCC 2007.

” Desde 2005, a divulgação das estimativas passou a ser bienal. Segundo Santini, a prevenção e a detecção precoce ainda são as formas mais importantes de controle do câncer. “Pelo menos um terço dos novos casos de câncer que ocorrem no mundo todos os anos poderiam ser evitados”, diz.

Números acompanham tendência mundial da doença
“Sem contar os casos de câncer de pele não melanoma, os tipos de câncer com maior número de novos casos no sexo masculino serão os de próstata e pulmão, enquanto em mulheres a incidência será maior nos cânceres de mama e colo de útero. O perfil da doença é semelhante ao observado em outros países”, resume a epidemiologista Marceli Santos, coordenadora da equipe que desenvolveu as estimativas.

Entre homens, estima-se que haverá 231.860 novos casos de câncer, sendo os tipos mais incidentes o câncer de pele não melanoma (59 novos casos a cada 100 mil homens), próstata (52/100.000), pulmão (19/100.000), estômago (15/100.000) e cólon e reto (13/100.000). Apesar do número absoluto de casos entre mulheres ser similar à incidência esperada entre homens – 234.870, o que representa 50,3% do total de casos em 2008 –, o perfil é bastante diferente. Esperam-se 51 novos casos de câncer de pele não melanoma a cada 100 mil mulheres, seguidos pela incidência de câncer de mama (51/100.000), colo de útero (19/100.000), cólon e reto (15/100.000) e pulmão (10/100.000).


Sul e Sudeste apresentam as maiores taxas esperadas de casos novos de câncer, refletindo as heterogeneidades regionais, enquanto a região Centro-Oeste apresenta padrão intermediário. A região Norte apresenta as menores taxas.

Dependendo da localização geográfica, o perfil do câncer se assemelha ora a países desenvolvidos, ora a países em desenvolvimento. Em 2008, a região Norte será a única em que o câncer de colo de útero aparecerá no primeiro lugar em incidência entre mulheres, superando o câncer de mama. Já o Sudeste é a região em que o câncer de cólon e reto aparece como o segundo mais incidente entre mulheres, antes do câncer de colo de útero. No Norte e Nordeste, o câncer de estômago é o segundo com maior incidência entre homens.

Regiões apresentam diferentes perfis da doença

O crescimento da incidência do câncer está relacionado ao envelhecimento da população. O perfil do câncer no Brasil vem acompanhando o perfil observado em países desenvolvidos. As mudanças refletem o processo de urbanização e a ampliação do acesso à informação. “O câncer está presente em todas as sociedades, mas em cada uma delas a doença apresenta um perfil específico. Num país com as dimensões e diferenças que o Brasil apresenta, as especificidades se revelam também entre as regiões e entre as capitais”, avalia a médica e epidemiologista Marise Rebelo, que compõe a equipe do INCA dedicada a elaborar as estimativas.

São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina serão os Estados com o maior número absoluto de casos de câncer previstos para 2008. O Estado de São Paulo e a capital liderarão as estimativas para todos os tipos de câncer. Entretanto, em termos de risco estimado (taxa bruta, ou seja, número de casos dividido pela população sob risco), percebe-se que os estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo e Paraná apresentarão as maiores taxas para homens, enquanto que as mulheres com maior risco estarão nos estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina.


As maiores taxas de incidência de câncer de próstata serão observadas nos estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Paraná. O câncer de mama terá sua maior taxa no Rio de Janeiro, seguido pelos estados do Rio Grande do Sul e São Paulo. O câncer de pulmão em homens apresentará maior risco de incidência nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rio de Janeiro. Nas mulheres a distribuição é semelhante: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Paraná.

 
Pages: 12
13893