Pravda.ru

Notícias » Ciência


Adilson Roberto Gonçalves: O poder que nos achincalha

11.07.2020 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Adilson Roberto Gonçalves: O poder que nos achincalha. 33581.jpeg

O poder que nos achincalha

 

Adilson Roberto Gonçalves

 

A releitura da história será sempre incompleta. A questão primordial é que as transições brasileiras foram sempre acordos de elites, sem participação do povo. Independência, República, golpes e até a redemocratização estão aí incluídos.

Nesse sentido, o oscilante posicionamento da mídia brasileira face aos fatos presentes e pretéritos me faz refletir que não há notícia isenta. A pluralidade de opiniões, não apenas a do jornal ou revista, acontece pelo espaço dado a diferentes interlocutores. O bom jornalismo seria o que deixa claro quais são suas posições políticas. Aqueles veículos de informação que alimentam a tese de serem apartidários apenas alimentam a ilusão da notícia neutra, o que dá espaço para os que proliferam as fakenews.

Essa avalanche de notícias falsas é o que dá base de sustentação ao governo, desde sua concepção com improvável candidatura. Soma-se o achincalhamento da coisa pública.

O negacionismo governamental é amplo, geral e irrestrito, não se limitando aos fatos científicos, históricos e ambientais. Até ex-quase-futuro-ministros mentem descaradamente, em total escárnio conosco. Na mesma linha vão os advogados e outros milicianos próximos do governante e seus familiares. Se o presidente da República faz assim sobre os diuturnos crimes que pratica e funcionou até agora, por que não?

Sempre é bom lembrar que, até para homenagear um militar morto, Jair Bolsonaro age com escárnio, por ter sido paraquedista que participou de elaboração de atentado ao sistema Guandu de abastecimento de água no Rio de Janeiro. E as outras 60 mil mortes pela Covid-19 são-lhe totalmente estranhas.

Um governo da piada pronta, portanto, que revela o fascismo em suas entranhas, precisa ser urgentemente descartado, mas com segurança. Esses excrementos são altamente patológicos e não podem ser lançados ao léu, devendo ser eliminados, ou por incineração ou por confinamento.

 

Adilson Roberto Gonçalves, pesquisador na Unesp adilson.goncalves@unesp.br

 

Foto: Por Gastão guedes - Obra do próprio, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=51594591

 

 
2921

Fotos popular