Dois jornalistas do semanário egípcio condenados a prisão


O chefe de redacção do semanário egípcio Al-Doustour, Ibrahim Issa, e a jornalista, Sahar Zaki, foram condenados segunda-feira a um ano de prisão por críticas ao presidente Hosni Mubarak.

Os dois foram «culpados de injúria e de prejudicarem o presidente da República e o povo do Egipto».

O tribunal condenou-os a um ano de prisão e uma multa de 1.384 euros.

O semanário foi fechado várias vezes por motivo similar. É considerado um dos mais críticos para com o governo egípcio. O processo foi iniciado depois que, em abril deste ano, o jornal publicou reportagem sobre um egípcio que supostamente acusara o presidente de malversação de verbas da ordem de quase US$ 90 milhões, oriundas dos fundos obtidos pela privatização de empresas estatais.

Vários jornalistas compareceram em tribunal desde o início do ano por diferentes acusações, nomeadamente por terem revelado casos de corrupção.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Pravda.Ru Jornal