BCP quer ver mais investimento em Moçambique

Christopher de Beck, o Vice-Presidente do Banco Comercial Português, que detém 67% da capital do Banco de Investimento de Moçambique, declarou ontem em Maputo que o BCP não irá investir mais no BIM sem que a economia moçambicana cresça.

Considera que os empresários portugueses têm um papel importante a desempenhar e disse que quer ver mais investimento deste sector em Moçambique.

Mário Machungo, Presidente do Conselho de Administração do BIM, declarou à imprensa que “Temos de contar com os portugueses para os pequenos e médios projectos. O BIM pode servir de plataforma giratória para os investimentos portugueses”.

O mercado bancário de Moçambique é controlado maioritariamente por bancos portugueses. O BIM controla 50% do sector, enquanto a Caixa Geral de Depósitos e o Banco Português de Investimento, juntamente com os bancos locais Banco de Comércio e Investimento e o Banco de Fomento, controlam 20%, o que significa que as instituições bancárias portuguesas controlam directa ou indirectamente 70% do mercado.

O sector bancário em Moçambique tem um vasto potencial, pois somente 20% do país está coberto por redes bancários. Neste momento, o BIM tem uma taxa de adesão de novos clientes de 3,000 por mês, existindo ainda vastas áreas sem qualquer balcão.

Bento MOREIRA PRAVDA.Ru MAPUTO MOÇAMBIQUE