Pravda.ru

Notícias » Negόcios


Taxar os super-ricos

23.03.2010 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Pages: 123

Nossa nação (EUA) já está profundamente endividada. Como podemos nos dar ao luxo de investir em infra-estrutura, energia renovável, saúde, escolas - e criar os milhões de empregos que os nossos desempregados precisam desesperadamente?

Dizem-nos que já estamos vivendo bem além dos nossos meios - que programas como o Medicare e da Segurança Social irão nos levar à falência. Esqueça os painéis solares, as classes baixas e novos postos de trabalho - nós temos que cortar em programas de governo em todos os níveis.

Enquanto isso, os super-ricos continuam "com a bola embaixo do braço". Em sua carta anual de acionistas, o mega-investidor Warren Buffett, escreveu: "Nós colocamos um monte de dinheiro para trabalhar durante o caos dos últimos dois anos. Quando está chovendo ouro, busque um balde, e não um dedal". E a Forbes Magazine acrescenta: "Muitos plutocratas fizeram exatamente isso. Na verdade, nos últimos anos a "terra devastada da riqueza" (1) se tornou um paraíso dos bilionários. A maioria das pessoas mais ricas do planeta viu as suas fortunas sumirem no ano passado."

O que nos leva de volta para o orçamento federal. Há dois lados para cada "livro de registro" (2): as despesas e as receitas. Precisamos começar a olhar para o lado das receitas. Com um sistema fiscal mais justo, poderíamos recuperar um pouco dessa chuva de dinheiro que a elite foi desviando de nós por décadas.

Na década de 1950 a taxa marginal de imposto sobre os que ganham mais de US$ 3 milhões por ano (em dólares de hoje) foi de 91%. Em 1990 era 28%. O IRS diz que os 400 mais ricos pagaram efetivamente uma taxa de apenas 16% de impostos em 2007 (são os números mais recentes que temos). Sim! os assalariados mais ricos - pessoas com uma média acima de 343 milhões de dólares cada - provavelmente pagam uma taxa mais baixa do que você. Algo a considerar enquanto você faz sua declaração de imposto de renda de 2009.

A propósito, as 400 pessoas que tão corretamente pagam seus impostos em dia têm um imposto sobre o patrimônio líquido de cerca de 1,37 trilhão de dólares. (Segundo a revista Forbes, sua fortuna aumentou, em média, mais de 16% sobre o ano passado - o pior ano econômico desde a Grande Depressão, durante o qual 29 milhões de americanos estão sem trabalho ou em regime de tempo parcial).

Como nossas mentes podem compreender um número tão grande? Aqui está um exemplo que me traz de volta à terra. Se tivéssemos impostos progressivos e reduzíssemos a sua riqueza a um insignificante nível de US$ 100 milhões para cada um, teríamos dinheiro suficiente para criar um fundo fiduciário cujo rendimento poderia custear o ensino superior gratuito para os estudantes em todas as faculdades e universidades eternamente. Imagine isso. Nossos filhos poderiam realmente deixar a faculdade sem levar dezenas de milhares de dólares de dívida em suas costas.

Poderiam estas 400 pessoas especiais serem capazez de viver com apenas US$ 100 milhões por ano? Eu acho que eles poderiam.

Então por que estamos tão temerosos de tributação dos super-ricos? Aqui estão os argumentos que eu ouvi.

1. Eles mereceram.

Sério? O conceito de "ganhar" é obscuro quando se considera o conjunto de programas de bem-estar das empresas. As empresas petrolíferas têm subsídios de esgotamento (3). Grandes produtores de açúcar têm os seus doces subsídios. A indústria de seguros de saúde está isenta de leis anti-truste.

Uma forma que as empresas gastam são os bônus, proporcionando pacotes de compensação para a alta gerência incompreensíveis. Por exemplo, em 2009, nossos magos financeiros arrecadaram cerca de US$ 150 bilhões em bônus - como se fosse uma recompensa por quebrarem a economia. Se não fossem os nossos 10 trilhões de dólares (não bilhões) em fundos de ajuda, eles não teriam ganho nada. Na verdade, o jogo imprudente do setor financeiro nos tirou mais de US $ 6 trilhões em riqueza. Mas os executivos ficaram muito bem, graças à generosidade do contribuinte.

Você pensaria que nós estaríamos chorando por um imposto sobre lucros inesperados (4) para recuperar o nosso dinheiro. Mas não.

2. Redistribuição de renda é algo "não-americano" .(5)

Durante a campanha de 2008, Joe, o encanador (6), conseguiu seus 15 minutos de fama quando criticou Obama por ter ousado pronunciar a frase "redistribuição de renda". Naturalmente, isso significa redistribuir rendimento principalmente através da tributação progressiva - obrigando os ricos a pagar impostos mais elevados.

Joe não mencionou que já vivemos em um mundo de redistribuição maciça. Só que a partir de baixo para cima. Continuamos a ouvir sobre como o pessoal pobre engana o sistema e utilizam de graça os nossos suados gastos com impostos. Eles vão para salas de emergência e não pagam. Eles recebem o Medicaid gratuitamente. E muitos não pagam os impostos em tudo (principalmente porque seus rendimentos são tão incrivelmente baixos). Mas tudo isso é um pequena quantia de dinheiro comparado ao jogo que acontece no outro extremo da escala econômica.

 
Pages: 123
16942