Pravda.ru

Mundo

China modela a estratégia de desenvolvimento para 2021-2025

31.08.2020
 
China modela a estratégia de desenvolvimento para 2021-2025. 33892.jpeg

China modela a estratégia de desenvolvimento para 2021-2025  

 

27/8/2020, Xinhua, Pequim


Imagem (24/8/2020): Presidente Xi Jinping, também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e presidente da Comissão Militar Central, preside simpósio sobre trabalho econômico e social em Pequim, China [Foto/Xinhua].


PEQUIM - O desenvolvimento da China entra em nova etapa. Esse é o comunicado-avaliação mais recente apresentado pelo Presidente Xi Jinping, também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e presidente da Comissão Militar Central, para o futuro da segunda maior economia do mundo, que agora elabora os planos do desenvolvimento econômico e social para os cinco anos futuros.

O próximo plano quinquenal - o 14º plano consecutivo, até agora - está sob os holofotes. O período demarcado (2021-2025) cobre os primeiros cinco anos desse novo trecho da jornada da China, em que vai construindo país socialista moderno, e marcha rumo à meta do segundo centenário, disse Xi, em apresentação durante simpósio com especialistas sobre trabalho econômico e social.

Como a China navegará por esse novo estágio de desenvolvimento? Qual o mapa do caminho econômico e social da China, na era pós-pandemia? Aqui, alguns dos pontos expostos no simpósio.

"ECONOMIA DO PROJETAMENTO"[1]

O plano quinquenal é construído desde 1953, como um dos pilares do sistema de governança da China. Ali se fixam as metas de crescimento e definem-se as políticas econômicas e de desenvolvimento social, para assegurar que as estratégias nacionais mantenham-se de acordo com os tempos.

No simpósio, essa semana, Xi reiterou que o mundo passa por mudanças profundas, que não se viram em um século; destacou a importância de se manter perspectiva de longo prazo, de se compreender e assumir a tendência dos tempos e de reunir recursos intelectuais para estudar as novas circunstâncias e fazer novos planos.

Para que o Partido Comunista Chinês possa trabalhar também a visão prospectiva, na ocasião em que o Comitê Central se reunir em outubro para delinear o 14º Plano Quinquenal, receberá também, para discussão, um pré-projeto de mais longo prazo, até 2035. Esse é o período ao longo do qual se espera que a modernização socialista da China seja alcançada, nos itens básicos.

A experiência ensinou que fazer o projetamento de médio a longo prazo permite que o mercado desempenhe papel decisivo na alocação de recursos, ao mesmo tempo em que permite que o governo execute melhor o seu trabalho - disse Xi, no simpósio.

"O 14º Plano Quinquenal será plano criticamente decisivo, construído em momento crítico" - disse Wang Changlin, presidente da Academia de Pesquisa Macroeconômica da Comissão de Desenvolvimento Nacional e Reforma, que participou do simpósio.

A China deve estar plenamente consciente tanto do ambiente externo cada vez mais complicado, como de suas vantagens distintivas, permanecer estrategicamente focada e preparada para "guerra prolongada" - disse  Wang.

DUPLA CIRCULAÇÃO ABERTA

Introduzido em maio de 2020, o novo padrão de desenvolvimento conhecido como "dupla circulação", que assume o mercado doméstico como seu principal esteio, ao mesmo tempo em que deixa que o mercado doméstico e o mercado externo se estimulem mutuamente, ganhou espaço no alto da agenda das autoridades.

Descrevendo o novo padrão como uma "escolha estratégica", Xi disse que esse não é ciclo doméstico fechado, de modo algum; trata-se de uma circulação dupla aberta que envolve o mercado doméstico e mercados estrangeiros.

O presidente Xi disse também que a política nacional fundamental é a abertura. Observou que a China verá seu status crescer na economia mundial, com laços mais aproximados, e o país proverá a outros países oportunidades mais amplas de mercado.

Para Lu Ming, professor na Universidade Jiaotong de Xangai, também presente ao simpósio, disse que a fala do presidente Xi dera sinal claro, para desfazer quaisquer, preocupações sobre alguma mudança de foco na China, da abertura, em direção ao mercado doméstico.

Bem diferente disso, os planejadores chineses mantêm-se perfeitamente conscientes da importância de manter e ampliar a abertura, sempre determinados a seguir a via das reformas - disse Ming.

O novo padrão de desenvolvimento, com o mercado doméstico como principal alicerce, está alinhado com os esforços dos chineses, na década passada, para expandir a demanda doméstica - disse Jia Kang, diretor do think-tank China Academy of New Supply-side Economics.

Definir o mercado doméstico como principal pilar do desenvolvimento não significa zero exportações, mas atenção à maior volatilidade e incertezas no comércio exterior, em ambiente internacional instável - disse Jia, ao enfatizar que o status da China, de "fábrica do mundo", não será modificado.

INOVAÇÃO É A CHAVES

Na busca pelo novo padrão de desenvolvimento, a inovação científica e tecnológica, especialmente para promover avanços e tecnologias core é vista como chave para modelar a circulação doméstica.

No simpósio, Xi destacou a criação de um novo impulso, mediante a inovação científica e tecnológica, que reforce vigorosamente a capacidade para promover a inovação de modo independente e, no menor prazo possível, alcançar avanços em tecnologias core e chave.

Para isso, insistiu em abrir o âmbito das empresas como principais agentes na inovação tecnológica, e vigorosamente introduzir e cultivar talentos e equipes de pesquisa científica, de qualidade mundial.

Desenvolvimento puxado inovação, em fronts tecnológicos articula-se perfeitamente com as necessidades de criar o padrão de dupla circulação com o mercado doméstico como principal pilar - disse Lu - que também observou que o desenvolvimento puxado por demanda doméstica fará aumentar o bem-estar do povo chinês.

Respondendo ao chamado de Xi, Robin Li, presidente e principal executivo da empresa Baidu, gigante chinesa de Internet, prometeu partilhar com milhões de desenvolvedores e parceiros os dados e a capacidade computacional de sua empresa, no mesmo impulso para um upgrade industrial.

"Sendo criativos e ajudando-os a resolver problemas e estimular a inovação, podemos alimentar a vitalidade da cadeia ecológica (da empresa)" - disse Li.*******

 


[1] Essa expressão não aparece na notícia distribuída por Xinhua, em inglês - única versão que lemos, acima traduzida. Mas aparece muito claramente explicada em "A nova economia do projetamento e a resistência chinesa à pandemia", palestra que o professor Elias Jabbour, maior especialista brasileiro sobre assuntos da China, apresentou no canal GGN, dia 1/6/2020 (aqui) [NTs].


Fotos popular