Pravda.ru

Mundo

Agressão dos EUA contra as crianças cubanas

26.04.2021
 
Agressão dos EUA contra as crianças cubanas. 35313.jpeg

Agressão dos EUA contra as crianças cubanas

 

Por Roberto García Hernández Havana, (Prensa Latina) Operação Peter Pan, uma das mais cruéis e violadoras dos direitos humanos dos Estados Unidos contra a maior das Antilhas, forçou o envio de mais de 14.000 crianças cubanas para o território dos EUA, através do engano da eliminação dos direitos parentais de seus pais.

 


Muitos dos menores nunca mais encontraram seus pais, ou quando o fizeram - após o passar do tempo - mal os reconheceram e foi difícil viver com eles, de acordo com testemunhos de algumas vítimas deste crime.

Em um esforço para destruir a Revolução nascente, Washington desenvolveu todo tipo de ações, como o bloqueio econômico, comercial e financeiro, as agressões armadas e os atos de terrorismo.

Entretanto, a Operação Peter Pan, realizada de 26 de dezembro de 1960 a 23 de outubro de 1962, atingiu extremos de crueldade, e foi um caso de guerra psicológica destinada a afetar a coisa mais preciosa da família cubana: seus filhos.

Para realizar a manobra impiedosa, o país do norte e seus aliados na ilha caribenha realizaram uma feroz cruzada que garantiu que o governo revolucionário tirasse a autoridade dos pais para dispor dos filhos e enviá-los para a ex-União Soviética, ou usar sem o consentimento dos pais.

O meio empregado neste mecanismo de desestabilização foi uma campanha de propaganda através das ondas aéreas da Rádio Cuba Libre (também chamada de Swan), para provocar alarme e agitação entre a população.

Entre seus antecedentes mais imediatos está a criação do Programa Crianças Refugiadas Cubanas Desacompanhadas, nos últimos meses de 1960, por contra-revolucionários nascidos na ilha e residentes na península da Flórida, sob a direção da Agência Central de Inteligência.

Todo o plano foi organizado pelo Departamento de Estado dos EUA e pela hierarquia da Igreja Católica em Miami e Havana, entre outras entidades e agências federais.

Tanto este Programa quanto a Operação Peter Pan foram iniciados sem ter assegurado acomodação para o número de crianças esperando sua vez, com base nos resultados das manobras insidiosas que foram empregadas para alcançar tais propósitos.

Além dos Estados Unidos, diplomatas de seis embaixadas europeias e cinco latino-americanas estavam envolvidos na transferência de documentos e passaportes.

De acordo com seus organizadores, a Operação Peter Pan terminou em 22 de outubro de 1962, quando começou a chamada Crise dos Mísseis Cubanos e os voos entre as duas nações foram suspensos. No entanto, durante vários anos, ela continuou a ser realizada em segredo.

Os menores de 16 anos continuaram saindo por conta própria, via Espanha, com um visto regular do país ibérico, onde foram recebidos e atendidos por membros da Igreja Católica, junto com um grupo de sacerdotes, religiosos e emigrantes leigos da ilha.

Em uma versão livre do famoso ditado, essa história está agora sendo repetida como mais uma tragédia, também envolvendo crianças, na grave crise migratória que existe na fronteira EUA-México, pela qual muitos culpam a administração do Presidente Joe Biden.

Dezenas de milhares de imigrantes indocumentados estão concentrados lá, muitos deles crianças desacompanhadas, uma adaptação 'moderna' mas igualmente cruel do que aconteceu 60 anos atrás.

Como então, os lugares onde estão alojados não reúnem as condições mínimas necessárias para a vida diária dos menores, a maioria dos quais não tem contato com suas famílias em seus lugares de origem, nem com aqueles que conseguiram atravessar a fronteira para o norte. Agora, como durante a Operação Peter Pan, os bebês são as principais vítimas de programas mal concebidos e incoerentes baseados em interesses políticos, desta vez iniciados em parte pelo ex-presidente Donald Trump (2017-2020), mas sem que a nova administração democrática encontre uma solução definitiva para esta situação humanitária que tende a piorar a cada dia.

(Extraído do Correo de Cuba)

 

 

 

https://www.prensalatina.com.br/index.php?o=rn&id=40470&SEO=agressao-dos-eua-contra-as-criancas-cubanas