Pravda.ru

Mundo

Lituânia: um novo parceiro para o Brasil

04.08.2008
 
Pages: 12

A palestra

Em sua palestra para empresários, membros da comunidade lituana e alunos e professores da FAAP, o presidente Valdas Adamkus iniciou falando rapidamente sobre aspectos geográficos da Lituânia. Observou que embora olhando para o mapa Brasil e Lituânia tenham alguns contornos geográficos semelhantes, o território da Lituânia, que ocupa a região do Báltico, juntamente com a Letônia e a Estônia, corresponde a aproximadamente um quarto do território do estado de São Paulo. No entanto, lembrou, houve um tempo em que o território da Lituânia se estendeu do Mar Báltico ao Mar Negro formando um Estado multicultural juntamente com poloneses, ucranianos, bielorussos, tártaros e judeus vivendo em harmonia.

A seguir, o presidente Adamkus salientou que as relações entre os povos da Lituânia e do Brasil não são recentes. Elas tiveram início no século XVII quando os primeiros lituanos começaram a chegar na América Latina. Atualmente, a comunidade lituana no Brasil é de aproximadamente 250 mil pessoas, com algumas bastante proeminentes, como é o caso do artista plástico Lasar Segall.

O hiato indesejado dessa relação deveu-se à Cortina de Ferro, que fez com que por longas cinco décadas não apenas a Lituânia, mas também os outros países bálticos fossem apagados do mapa político de mundo, dificultando os contatos comerciais com outros países e regiões e trazendo profundas conseqüências para o desenvolvimento. “Nosso país esteve sob ocupação por metade do século XX, mas o Brasil jamais reconheceu ou justificou as ações repressivas do regime soviético nos países bálticos”, afirmou Adamkus.

Dando prosseguimento à sua fala, o presidente afirmou que os tempos hoje são outros, bem mais promissores. Depois de restabelecer sua independência há pouco mais de dezessete anos, a Lituânia passou por rápidas transformações tanto na sua estrutura política como na econômica, e abriu seu mercado para o comércio e para os investimentos internacionais. "Graças a isso", disse com indisfarçável orgulho, "nosso crescimento anual é superior a 8% e nosso ambiente é competitivo e plenamente favorável à realização de negócios".

Na sequência, Valdas Adamkus disse que a Lituânia é hoje um ativo e ambicioso membro da União Européia, sendo também integrante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Confirmou que seu país apóia a ambição da Ucrânia e da Geórgia de também pertencerem à União Européia e à OTAN, e tem procurado aprofundar a integração com outros países do leste europeu tais como Moldávia e Bielorrússia.

Na parte final de sua palestra, o presidente Adamkus destacou a importância do acordo assinado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o objetivo de estreitar as relações entre os dois países e delineou as linhas mestras do que ele considera fundamental para que nossas sociedades e nossos países tenham doravante um relacionamento bastante próximo:

1. “Acredito que nada favorece mais as relações entre países do que o contato direto entre as pessoas. Atualmente, os brasileiros podem viajar sem qualquer restrição para a Lituânia a fim de estudar, de participar de eventos acadêmicos e culturais ou para fazer negócios. Eu tenho plena confiança de que o Brasil irá remover os obstáculos burocráticos remanescentes, em especial a exigência de visto, para que também os lituanos possam vir para o Brasil a fim de desfrutar de suas belezas naturais e de conhecer mais de perto seus autores favoritos como Jorge Amado, Paulo Coelho e Monteiro Lobato, sem falar no especial interesse pelo carnaval e pelo futebol".

2. “Espero poder encorajar os representantes de nossas comunidades empresariais para explorarem novos nichos de negócios e níveis de cooperação entre regiões tão distantes. Empreendedores lituanos devem buscar novas oportunidades no Brasil, no Mercosul e no restante da América Latina, enquanto os brasileiros podem usar a Lituânia como plataforma para desenvolver seus negócios na União Européia e nos países do leste europeu".

3. “Creio firmemente no poder da cultura para abrir portas e facilitar a mútua compreensão dos povos. Gostaria muito de ver mais eventos culturais e um maior número de performances de artistas brasileiros na Lituânia, assim como espero que os brasileiros possam descobrir melhor as riquezas da moderna cultura lituana e do nosso espírito nacional. E, 2009, Vilna, nossa capital, será transformada na Capital Européia da Cultura, o que representa uma excelente oportunidade para visitar a Lituânia e conhecer melhor nosso país e nosso povo”.

4. “Gostaria de lembrar que é nossa responsabilidade deixar para as gerações futuras um mundo seguro e próspero. Nem o Brasil, um dos países emergentes mais destacados do mundo, nem a Lituânia, um pequeno país do norte da Europa, podem viver apenas para o presente. Nós precisamos nos preocupar com o futuro de nossas crianças e preservar nossas riquezas naturais, o clima e as fontes de energia para o futuro.”


Referências e indicações webgráficas

http://www.president.lt/family/
____________________________________________
Este texto foi publicado originalmente em http://www.lucianopires.com.br.
A publicação deste artigo no site do COFECON foi autorizada pelo autor.
____________________________________________
(*) Economista, formado pela Universidade Mackenzie em 1977. É Vice-Diretor da Faculdade de Economia da Fundação Armando Alvares Penteado - FAAP, na qual é Professor Titular das disciplinas de História do Pensamento Econômico e História Econômica Geral.

http://www.cofecon.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=1492&Itemid=102

Pages: 12