Pravda.ru

Desporto

Daniel Enriquez – Gerente Esportivo Do Club Nacional De Football De Montevidéu

25.06.2010
 
Pages: 123456

ENRIQUEZ: Vamos lá. O Gerente Esportivo tem como primeiro alvo planejar, coordenar, executar, mesmo sendo ingrato e admito responsabilidade dessa execução, e no final controlar. Levo conta desse negócio de executar mas também transfiro. Por exemplo, caso tivermos um treinador das categorias de base que deixa um jogador fora da turma e ele me disse porque aconteceu, e eu apoio o treinador pois eu acredito que acabei escolhendo os melhores treinadores para esses cargos.No último degrau dessa escada está o controle que eu faço. Acho que o esqueleto do clube é forte nas categorias de base e claro que interveio nos assuntos envolvidos com elas. Sempre assisto aos jogos das categorias de base, fica claro? Fim de semana retrasado foram três jogos do Nacional na 4ª, 5ª Divisão e Sub- 16 e no caso da 4ª Campeã, o treinador é o interino dos adultos. Aos poucos acabei percebendo que a atitude dos jogadores não era a mesma de sempre, como se tivessem descontraído pois agora o treinador não está no plantão do lado deles. O treinador dos adultos, estava na arquibancada mas foi embora sendo que eu fiquei no jogo até o apito final. Á noite liguei para ele e falei assim: «Luis, percebeste o jogo péssimo da 4ª? Sem vontade, um deles saindo do gramado começou gesticular, um outro ficou costurando com a bola só para ele esquecendo o estilo de jogo do time». A resposta do Luis González foi: «Percebi sim, mas achei que não dava para mexer nesse assunto pois agora sou interino dos adultos e um colega ficou na minha vaga na 4ª». Foi então que encaminhei mais um comentário para o Luis: «Você é treinador DO CLUBE e poderia fazer comentários até a geração da 6ª Divisão, aqui não temos «fazendas» de um, ou do outro. Eu acabo me envolvendo em tudo mas preciso que os treinadores também façam parte. Isso aconteceu domingo á noite. No treino seguinte, na segunda depois, pedi que parassem e houve bate papo começando reclamar, acreditando que não tinham dado no alvo, você fez tal

coisa, você tal outra e tomara que não aconteça mais uma vez. Os nossos jogadores até poderia perder um jogo mas mostrando atitude no gramado SEMPRE. Resultados podem conquistar três: vitória, empate ou derrota mas atitude estou querendo uma só. Na hora de perder um jogo temos que ter certeza absoluta que pelas suas bochechas escorregou até o último pingo de suor. Nem por acaso da para descontrair porque o treinador titular não está no plantão, aproveitando a oportunidade para fazer mais um drible tentando concretizar um gol de placa. Tão importante quanto o anterior. Não admito jogadores que achem que o Nacional é apenas um clube de futebol. Nacional é uma UNIVERSIDADE. Eles precisam educação. Aqueles que tentem deixar o ensino secundário para se dedicar ao futebol, devem sair do Nacional. Não têm vaga. Não estamos querendo problemas no futuro para eles...voltando no assunto «Cococho», não desejamos uma situação se quer semelhante. Também não desejamos muito tempo de folga nessa idade marcante da vida. O ensino acaba sendo uma abertura na cabeça dos moleques para digerir bem melhor os sistemas. O nosso objetivo fundamental não é vencer no Campeonato Uruguaio. Temos que fazer um drible nesse assunto. O fato de ser parte do Nacional da o privilégio que antes do inicio do campeonato temos a metade do título no bolso. O resto é fazer um esforço e vencer dos outros. Nos temos que resgatar jogadores como o Luis Suárez e Nico Lodeiro, agora no Ajax da Holanda, Diego Lugano (no Fenerbahce da Turquia), o Juan Albin (no Mallorca da Espanha), o Bruno Fornaroli na Itália, o Sebastián Coates, o Calzada, o Mauricio Pereira o Sebastián Viera, todos jogadores de exportação para á Europa. Esse é o nosso grande objetivo final. Conquistar o título uruguaio não é simples mas caso conquistar, teríamos concretizado aquele alvo inicial. Fazer o clube o maior de todos vendendo jogadores de elite é o nosso objetivo tentando que sejam exemplo nem só no gramado senão na vida. Ter o orgulho de encontrar eles nas escalações titulares dos times européios e não recebê-los apenas 6 meses depois de serem vendidos. Que os agentes e diretorias dos clubes européios cheguem no Uruguai na procura do Coates e acabem investindo nesse profissional jogando bola e nesse loiro que os cativou com uma conversa. Haverão mudanças nos treinadores das categorias de base daqui a pouco pois o Alejandro Garay, treinador da 7ª foi contratado pela Associação Uruguaia de Futebol para chefiar a Seleção Sub-15. Tentando substituir o Alejandro, teve quatro reuniões com treinadores nos últimos dias mas juro que não perguntei para nenhum deles como vão jogar. Gostaria que jogassem bem, e bonito pois você sabe que o torcedor do Nacional gosta do jogo bonito e conquistando a vitória sempre. Com antecedência eu conheço o perfil dos quatro, que gostam do estilo bonito. O que estou querendo que eles saibam que caso forem treinadores da 7ª. seu objetivo no clube não é vencer nos jogos da categoria aos sábados. Ele está moldando jogadores de olho no futuro. Se a moldagem é ótima, com certeza vai vencer. Ele pode chefiar a 7ª mas caso entrar no Grande Parque Central e encontrar um jogador da 5ª engolindo docinhos, ele tem que reclamar para o jogador pois o cara vai treinar aos poucos. Bem mais ainda, ele não deve comer docinhos, ele precisa comer maça, iogurte, suco. Aprofundando ainda mais nesse treinador da 7ª e

Pages: 123456