Pravda.ru

CPLP » Brasil

Minha identidade de brasileiro

19.04.2008
 
Pages: 12

Brasileiro, de verdade, vive sempre à margem da sociedade. Come as sobras, se contenta com pouco. Afinal, o Reino dos Céus nos foi prometido pelos padres e não pertence a este mundo. Aprendi que é melhor deixar os ricos se tornarem mais ricos nesta vida, pois na "outra" serão castigados. A justiça de Deus tarda, mas não falha, é o que aprendi num dito popular. É aconselhável não querer crescer nem conquistar nada na Terra. E se cobiçarmos uma vida digna, com fartura e uma adequada divisão da renda nacional, podemos nos redimir desse pecado rezando quinhentas "Ave Marias" e mil e tantas "Santas Marias".

Nada de se importar com os "Lalaus", "Anões do Orçamento", escândalos das ambulâncias, máfia do sangue, desvio de verbas públicas, super faturamento de obras, malas de dinheiro, dólares na cueca. Tudo isso é coisa de quem vai para o inferno (?). Brasileiro tem que se orgulhar de o país se auto-suficiente em petróleo, bater recordes de produção de alimentos e não ter comida na mesa nem carro para dirigir; brasileiro tem se orgulhar de ter inventado o avião e, também, o caos aéreo; tem que ficar feliz em deter cerca de 12% das águas potáveis do mundo e não se envergonhar de poluir os mananciais, destruir as matas ciliares e ocupar o entorno das grandes represas e lagoas; brasileiro tem que assistir a chacinas como a da Candelária, ver mortos por balas perdidas todos os dias, assassinatos de jovens e adolescentes nas periferias das grandes cidades e achar tudo isso normal; brasileiro tem que achar as os mais de 50 mil mortos no trânsito anualmente é aceitável e está dentro da normalidade.

Afinal, nosso país é a terra do contraste. Temos campões de fórmula 1, mas nosso trânsito anda a 12km/h nas grandes metrópoles. Produzimos alimentos para exportar e o que sobra jogamos no lixo ou deixamos cair pelas estradas durante do transporte. Nada de economizar, temos muitas riquezas e podemos esbanjar... Temos prisões abarrotadas de pessoas que cometeram crimes comuns, enquanto que os grandes ladrões de colarinho branco estão à solta, e amparadas pela lei. Somos um país em que se explora sexualmente crianças e adolescentes, em que o tráfico de mulheres existe, mas somos alegres, afinal, o Brasil é o país do eterno festival, do pão e do circo, do trio elétrico e da cerveja. Mas, será que "toda brasileira é bunda?", será que o nordestino é mesmo, "antes de tudo um forte?". E o baiano, é mesmo preguiçoso?

Carnaval...

É um momento de descontração e oportunidade em que me "penitencio" do trabalho, do trânsito, da violência mostrada na TV diariamente, dos escândalos financeiros, das falcatruas que ocorrem em Brasília (e no resto do país), e de tantas outras calamidades que ocorrem no meu querido Brasil. Graças a Deus que aqui não tem ciclone, terremoto, maremoto; não tem carro-bomba, terrorismo, guerra... Nossa guerra é outra: mais de 50 mil mortos no trânsito, balas perdidas, fome, falta de atendimento médico-hospitalar, desemprego, má distribuição de renda, falta de investimento em educação, transporte de péssima qualidade, povo sem memória, mas nada que não tenha jeito. Afinal, temos tudo pra dar certo. Somos o país do samba e do futebol, somos um povo pacífico e ordeiro, trabalhador e paciente. Até quando?

Pages: 12

Fotos popular