Pravda.ru

Negόcios

Economias latino-americanas em desvantagem para recuperação econômica

22.12.2020
 
Economias latino-americanas em desvantagem para recuperação econômica. 34591.jpeg

Economias latino-americanas em desvantagem para recuperação econômica

Genebra (Prensa Latina) As grandes economias latino-americanas, como Brasil, México, Argentina ou Chile, não estão entre as mais bem posicionadas globalmente para se recuperar da crise gerada pela Covid-19, afirmou o Fórum Econômico Mundial.

Em seu último relatório, essa fundação analisa fatores como a digitalização econômica, a robustez da saúde pública e das redes sociais, a abertura de mercados ao investimento e a chegada de novos setores nas 37 principais economias mundiais, e coloca esses quatro países na fila de prontidão e adaptabilidade.

Os especialistas do Fórum Econômico Mundial asseguram que a nação mais bem localizada é o Chile, na vigésima quarta posição, enquanto o Brasil ocupa a 26ª posição, a Argentina 30 e o México a penúltima, apenas à frente da Turquia.

 

Em sua classificação, Finlândia, Suécia, Dinamarca, Holanda e China são, nessa ordem, os cinco países mais favorecidos para se recuperar, enquanto a Alemanha ocupa a nona, a França em décimo, os Estados Unidos em décimo, o Japão em décimo quarto e a Espanha vigésimo.

De acordo com o documento, que mede 11 variáveis, Argentina, Brasil e México ocupam os últimos lugares em termos de confiança de seus cidadãos nos respectivos governos.

Essas economias latino-americanas também estão mal posicionadas em termos de prontidão para os chamados mercados de amanhã, como inteligência artificial, veículos elétricos, produção farmacêutica, viagens espaciais ou serviços financeiros digitais.

O Fórum Econômico Mundial decidiu este ano não fazer seu tradicional ranking anual de competitividade para todas as economias globais, devido aos eventos extraordinários de 2020 e em reconhecimento ao esforço global necessário para enfrentar a crise de saúde, disse o relatório.

A crise econômica e de saúde nos obrigou a repensar os fundamentos do crescimento e sua relação com as pessoas e o planeta, apresentando uma oportunidade única de aproveitar o momento e criar economias altamente produtivas e sustentáveis ​​para o meio ambiente. e próspero para mais pessoas ', disse a diretora-gerente do Fórum, Saadia Zahidi.

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) também inclui Argentina, Brasil, Chile e México entre os países com queda acentuada do produto interno bruto, região que sofrerá uma contração de 7,7% neste ano.

'Se compararmos diversos indicadores de saúde, econômicos, sociais e de desigualdade, a América Latina e o Caribe são a região mais afetada no mundo emergente pela crise derivada de Covid-19', disse a CEPAL.

http://www.patrialatina.com.br/economias-latino-americanas-em-desvantagem-para-recuperacao-economica/