Pravda.ru

Sociedade » Turismo

Guia de Boas Maneiras para Viajantes

13.12.2007
 
Guia de Boas Maneiras para Viajantes

Uma boa dica antes de fazer é uma viagem, é procurar se informar sobre a cultura e os costumes do local para evitar situações constrangedoras e até desrespeitosas. A jornalista italiana Barbara della Rocca reúne dicas de boa convivência entre pessoas de diferentes culturas, em seu Guia de Boas Maneiras para Viajantes: “Existe a chamada boa educação internacional, que advém do respeito às pessoas e aos lugares. Contudo, ao se mudar de país, mudam também os aspectos do viver”, analisa Barbara. “O respeito, então, é expresso de formas diferentes”.

Aqui vão algumas dicas e curiosidades citadas no livro:

China, Índia, Albânia e Argélia: o arroto depois das refeições é uma agradável homenagem às habilidades do cozinheiro.

Índia: Lugares de culto, qualquer que seja a religião, não devem ser fotografados.

Países islâmicos: É proibido o contato físico em público entre pessoas de sexos opostos. Não deve-se olhar demoradamente nos olhos. Carregar revistas femininas com editoriais de moda pode ser considerado pornográfico (e a pornografia é punida severamente). É falta de educação olhar uma pessoa comendo, a menos que não se esteja à mesa com ela.

Rússia : Depois de uma frase de elogio, é normal cuspir três vezes por cima do próprio ombro esquerdo  para afastar o mau-olhado. Se oferecermos algo a alguém, como cigarros ou bombons, é comum que este pegue três, colocando um na boca e dois no bolso. Segundo um dos ditos populares mais citados, “Deus ama a Trindade”, que segnifica  que  o Deus  patrocina as três ações positivas consecutivas da pessoa,  e quem nos oferece algo ficará decepcionado se nos servirmos uma única vez.

Grã-Bretanha: Em jantares é falta de educação falar sobre assuntos relativos a negócios ou trabalho (isso fica reservado para os almoços de trabalho). Cartas, bilhetes e postais escritos com tinta vermelha é grosseria.

Holanda: Atenção à linguagem gestual, apoiar a ponta do polegar nos lábios significa mentiroso e alisar o nariz com o indicador enquanto significa que a pessoa de quem se fala é má e avarenta.

Grécia: Fazer o V da vitória significa ‘vá para o inferno’ e recusar algo colocando diante de si com a mão aberta e os dedos estendidos é um insulto violento e vulgar.

Japão: Beijar uma mulher em público, mesmo no rosto, é considerado muito descortês.

Austrália: Não se deve apontar uma pessoa com o dedo indicador. Assuar o nariz em público é considerado desrespeito.

Indonésia: Os funerais são momentos de festa, em que se come, bebe, conversa e se arranjam casamentos. Em Bali, quem aceita um convite para o almoço deve levar um presente para cada um dos componentes da família. Espera-se que o presente traga a etiqueta do preço bem visível.

Espanha: Usar o celular, pentear-se em público, sentar-se incorretamente (inclusive apoiando o tornozelo no joelho oposto) são coisas que não se deve fazer.

Finlândia: Em todos os lugares vige o horário contínuo das 8 horas às 16h, e o almoço consiste num sanduíche no local de trabalho ou na escola. O jantar é às 17 horas, tanto nos restaurantes como nas residências.

África: Evite fotografar banhistas, soldados, quartéis, aeroportos, pontes, fábricas, ferrovias, instalações militares ou administrativas (nem mesmo agências de correio), palácios presidenciais e, nas regiões islâmicas, mulheres e escolas muçulmanas.

Nepal: A pior das ofensas consiste em serem tocados com os pés ou com a mão esquerda. Como os pés são a partes mais indignas do corpo, a cabeça é a mais sagrada. Portanto não devemos tocar a cabeça e os ombros de ninguém, sequer ao acariciar as crianças.

Enfim, estas são só algumas dicas, afinal nenhuma destas culturas se resume aos poucos costumes citados. Um segredo para uma grande viagem é conhecer mais da cultura do lugar a ser visitado, antes e durante a viagem, interagir com os locais, aprofundar as relações. Não resumir a viagem em mera contemplação, só enriquecerá a experiência.


Loading. Please wait...

Fotos popular