Pravda.ru

Sociedade » Incidentes

Pervertido impotente estupra sua amante até levá-la à morte

17.11.2008
 
Pervertido impotente estupra sua amante até levá-la à morte

A polícia  russa investiga atroz assassínio de uma mulher militar que foi assassinada por seu chefe na região russa de Ulyanovsk. O homem perdeu o controle de si próprio devido a sua própria impotência e estuprou a amante com uma pá militar desmontável até levá-la à morte. O cadáver de uma mulher de 41 anos de idade de nome simplesmente Irina S. foi encontrado na noite de 25 de setembro.

O oficial de serviço andava pela faculdade militar quando viu que a porta da secretaria do departamento de pessoal estava aberta. O oficial encontrou a mulher morta caída com a parte superior do corpo desnuda perto de uma escrivaninha, numa grande poça de sangue.

O próprio supervisor dela, o dirigente do departamento de pessoal da faculdade, Tenente-Coronel Vladimir Bezdnyakov, foi suspeito da morte da mulher. Ele saiu do trabalho tarde, em estado de intoxicação alcoólica. Negou tudo na manhã seguinte mas, posterioremente, confessou o crime.

Irina S. nunca se casou e criava sua filha, Daria, sozinha. Ela sonhava em ter uma boa família e um marido amoroso, embora fosse malsucedida no amor.

Bezdnyakov deu início a um caso amoroso com sua bela subordinada há cerca de dois anos - logo depois que Irina conseguiu emprego na faculdade militar. Ela não desconfiou dos galanteios do chefe, embora entendesse que ele nunca deixaria sua mulher e dois filhos. Posteriormente, ela descobriu que Bezdnyakov era grande apreciador de perversões sadomasoquistas.

Uma das ex-cozinheiras da faculdade disse que havia muitos rumores ali a respeito das tendências esquisitas dele. Ela disse que Bezdnyakov havia, uma vez, mostrado a ela um vídeo, em seu telefone celular, mostrando uma mulher copulando com um cavalo.

"Ele me perguntou se eu gostaria de fazer o mesmo. Eu saí de perto dele e disse a ele que ele precisava obter ajuda," disse a ex-cozinheira da faculdade.

Irina S. estava comemorando seu 410 aniversário na noite em que foi assassinada. A festa no departamento de pessoal da faculdade acabou depois das 10 horas da noite. Dando-se por satisfeito, Bezdnyakov convidou Irina para que ela fosse com ele para seu escritório para conversar.

As intenções dele eram óbvias, e a mulher não o rejeitou. Entretanto, ele não pôde consumar o ato sexual com ela devido a ereção fraca. Para infortúnio dela, ela resolveu tratar a situação de maneira compreensiva. "Você não consegue ter ereção, consegue?" perguntou.

O oficial ficou transtornado. "Mostrarei a você sexo dos bons, sua cadela," gritou ele, e acertou a mulher no rosto. Ele apanhou uma pá militar desmontável de um armário e com ela atacou a mulher. "Ele inseriu o cabo da pá na vagina dela e começou a movimentá-la entrando e saindo muito fortemente. A mulher perdeu a consciência devido à dor, mas o estuprador só parou quando viu que a mulher não respirava mais," disseram especialistas de medicina legal.

"Tentei interromper o sangramento, mas não consegui. Não chamei a ambulância porque sabia que haveria muitas perguntas. Não queria ficar em situação difícil," disse ele.

Vladimir Bezdnyakov tentou cometer suicídio depois de ser preso. Ele poderá agora ser condenado a 15 anos de prisão.

 Tradução Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme
zqjxkv@gmail.com
ywkzxj@gmail.com


Loading. Please wait...

Fotos popular