Pravda.ru

Sociedade » Cultura

UNIFEM lança Programa das Cidades Seguras para as Mulheres

24.11.2010
 

Terríveis atos de violência contra as mulheres e as meninas andam de mãos dadas com a expansão das cidades, onde vivem cerca de metade da população mundial. O inovador Programa Cidades Seguras foi lançado pelo UNIFEM, testando estratégias para combater a epidemia de taxas de crime de género.

Índices de violência contra mulheres e meninas atingiram proporções epidêmicas nas cidades de todo o mundo, onde vive um número estimado de 3,4 bilhões de pessoas - metade da população mundial. Estratégias para combater a criminalidade são muitas vezes genéricas e, muito raramente, levam em conta as medidas especiais para proteger mulheres e meninas - as principais vítimas.

Seguindo a idéia de que "As cidades que são seguras para mulheres e meninas são seguras para todos", UNIFEM está lançando seu programa inovador Cidades Globais Seguras Livres de Violência Contra a Mulher e Meninas, que descreve-se como "uma iniciativa inter-regional dedicada a tornar as cidades mais seguras para elas, enquanto melhora da qualidade de vida para todos os moradores da cidade".


Inés Alberdi, diretora executiva da UNIFEM, declara: "Todos os dias, mulheres, adolescentes e jovens enfrentam assédio sexual e violência no decorrer das suas rotinas diárias - seja nas ruas da cidade, em ônibus e trens/comboios, ou em seus próprios bairros. Isso limita a sua liberdade e dos direitos à educação, trabalho, recreação e participação na vida política". Ela acrescentou que, embora a violência doméstica é considerada a violência cada vez mais como uma questão de direitos humanos, contra as mulheres no domínio público, fica muitas vezes negligenciada.

O Programa Cidades Seguras foi lançado ontem na Terceira Conferência Internacional sobre a Segurança da Mulher em Nova Deli, na Índia, uma das cinco cidades escolhidas para o programa-piloto, junto com Quito (Equador), Cairo (Egito), Port Moresby (Papua Nova Guiné) e Kigali (Ruanda).

O programa será lançado separadamente em cada uma das cinco cidades, onde centenas de pessoas se reuniram para saudar a iniciativa e à luz de velas de esperança, simbolizando o fim da impunidade, e o início de uma campanha permanente contra a violência baseada no género e assédio.

UNIFEM explica que "o programa Cidades Seguras foi inspirado por uma iniciativa da UNIFEM que teve sucesso na América Latina, que começou com uma subvenção experimental do Fundo Fiduciário da ONU pelo Fim da Violência contra as Mulheres em 2004". Os projectos iniciados em sete países "levantam um nível muito mais elevado de consciência sobre a violência urbana contra mulheres e meninas e gerou conhecimentos sobre a forma de pará-la".

Os projetos incentivaram municípios a tomarem medidas concretas contra a violência baseada no género, incluindo a iluminação pública melhorada em lugares estratégicos e lançar novos programas de segurança que visam proteger as mulheres e meninas. Novas medidas no âmbito do regime global, de acordo com a UNIFEM, poderiam incluir leis mais fortes e políticas contra a violência em locais públicos; melhor formação para os planejadores urbanos e autoridades auditorias para verificarem a implementação das políticas, campanhas sobre a tolerância zero para a violência baseada no género, programas de sensibilização do público; revisões nos orçamentos para liberar os recursos adequados e o foco na coleta de dados confiáveis.


Nos cinco municípios onde o programa está sendo lançado, as autoridades locais estão fornecendo um forte apoio, enquanto os grupos da sociedade civil têm-se empenhado em formar parcerias com agências envolvidas em parar a violência contra mulheres e meninas.


Como é que a humanidade pode se chamar civilizada ou afirmar que chegou a um estado civilizado quando existe discriminação contra as indefesas? Ou devemos concordar que a lei da selva...?

Foto credit: CEDAW for Jamaicans

Timothy Bancroft-Hinchey

Pravda.Ru

 


Loading. Please wait...

Fotos popular