Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Os Grandes Pecados da Imprensa

24.06.2008
 
Pages: 12
Os Grandes Pecados da Imprensa

O jornalista Sebastião Nery Participa do projeto “Bate-Papo com o Autor”, dentro das comemorações do Centenário da Academia Mineira de Letras.

Lançando o livro: “ Os grandes pecados da imprensa”. Dia 03 de julho, às 19:30h. Rua da Bahia 1.466. Informações: 3222-5764. Debatendo sobre jornalismo opinativo, jornalismo político e investigativo, além dos grandes pecados da imprensa brasileira, o jornalista Sebastião Nery participará do projeto “Bate-Papo com o Autor’, na Academia Mineira de Letras. Na noite do evento o livro de Nery “Os grande pecados da imprensa”será vendido ao preço especial de R$ 5,00.

Sebastião Nery

A sua lista de serviços prestados à Nação brasileira e ao povo mineiro é longa, muito longa, e já faz parte da história recente de nosso país. Considerado um dos maiores jornalistas brasileiros de todos os tempos, Sebastião Nery, revelando sua genialidade e reconhecimento popular, foi vereador em Belo Horizonte, deputado estadual na Bahia e deputado federal pelo Rio de Janeiro. Gênio da raça, teve em Minas Gerais o seu primeiro emprego, ensinado português e latim na cidade de Pedra Azul.

Dois anos depois, já morando na capital mineira, descobriu a sua verdadeira vocação, tornando-se jornalista do saudoso jornal Diário da Tarde. Pouco tempo depois, por seu destacado espírito de liderança, foi eleito vereador quando era repórter de O Diário, matutino ligado à Arquidiocese de Belo Horizonte, no pleito de outubro de 1954. Eleito e diplomado, não chegou a assumir a cadeira, pois sua candidatura foi impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais sob a alegação de que as campanhas haviam sido feitas em nome do Partido Comunista Brasileiro (PCB), então na clandestinidade. O mesmo sucedeu com Orlando Bonfim Júnior, candidato a deputado federal, e a Élcio Costa, candidato ao legislativo estadual.

A partir daí, Nery tornou-se referência nacional no jornalismo, na política e na vida intelectual brasileira e mineira. Em Belo Horizonte estudou por três anos na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da UFMG e quatro anos na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais

Em 64, morando em Salvador, Bahia, viria a sofrer um novo golpe em sua vida pública. Em outubro de 1962, concorrendo na legenda do Movimento Trabalhista Renovador (MTR), em coligação com o PSB, elegeu-se deputado estadual, sendo empossado em fevereiro de 1963. Com a vitória do movimento político-militar de 31 de março de 1964 foi preso e recolhido a um quartel do Exército. Cassado pela Assembléia Legislativa no dia 28 de abril, recuperou a liberdade em agosto, conseguindo reaver sua cadeira quatro meses depois por determinação do Tribunal de Justiça do estado, uma vez que os deputados não tinham prerrogativa para tomar tal decisão, privilégio do presidente da República. No dia 23 de dezembro, porém, sofreu nova cassação. Escondido em São Paulo, no dia 5 de julho de 1965 teve seus direitos políticos sus­pensos, por determinação do presidente Castelo Branco

Seus laços com Minas Gerais vêm desde a sua juventude e é a base de sua vida pública, iniciada no jornalismo, nos movimentos estudantis e nas primeiras investidas políticas. Sempre teve a amizade e o carinho de todos os mineiros, sendo de conhecimento público o seu convívio com o ex-presidente Juscelino Kubitschek, com Darcy Ribeiro, com o embaixador José Aparecido de Oliveira, Itamar Franco, José Maria Alkimim, entre muitos homens que fizeram a política mineira no Brasil.

Como jornalista e escritor é o criador do Folclore Político, seção jornalística em que narra as peculiaridades dos bastidores do universo político brasileiro. No jornalismo é festejado como um dos maiores nomes da atualidade na profissão. Sebastião Nery tem ainda os livros publicados:

FOLCLORE POLITICO - 1950 HISTÓRIAS (5 volumes em 1). 2002 - Geração Editorial, SP.

OS GRANDES PECADOS DA IMPRENSA – 2000, Geração Editorial, São Paulo, SP.

A ELEIÇÃO DA REELEIÇÃO – 1999, Geração Editorial, São Paulo, SP.

A HISTÓRIA DA VITÓRIA - POR QUE COLLOR GANHOU, 1989. Editora Dom Quixote, Brasília.

CRIME E CASTIGO DA DIVIDA EXTERNA – 1985. Editora Dom Quixote, Brasília.

O CAVALO DO CARCEREIRO E O PODER MILITAR – 1984. Câmara dos Deputados.

SEBASTIÃO NERY NA SIBERIA E OUTROS MUNDOS - 982 - Editora do Pasquim,Rio.

PAIS E PADRASTOS DA PATRIA – 1980. Editora Guararapes, Recife, PE.

PORTUGAL, UM SALTO NO ESCURO – 1975. Editora Francisco Alves.

AS 16 DERROTAS QUE ABALARAM O BRASIL – 1975. Editora Francisco Alves SOCIALISMO COM LIBERDADE – 1974. Editora Paz e Terra, Rio

FOLCLORE POLITICO - 1º volume. 1973. Edição do POLITIKA, Rio.

SEPULCRO CAIADO, O VERDADEIRO JURACY – 1962. Edição do Jornal da Semana – Salvador, BA.

Sebastião Augusto de Souza Nery nasceu em Jaguaquara, Bahia, em 08 de março de 1932. Filho de Lindolpho Nery e Elvira de Souza Nery, tem os filhos: Jacques Nery (produtor de vídeo), Sebastião Nery Júnior (Jornalista) e Ana Rita Nery (estudante).

Formação

Primário no Educandário Carneiro Ribeiro, Jaguaquara, Bahia.

Seminário menor: quatro anos no Seminário Menor de Amargosa e um no Seminário Menor de Salvador, Bahia.

Filosofia: Três anos no Seminário Central de Salvador, Bahia.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular