Pravda.ru

Sociedade » Cultura

Caracteres: Finalmente!

21.11.2007
 
Caracteres: Finalmente!

De vez em quando, aparece um livro que é mais do que páginas e palavras, mas sim, algo que se pode denominar de obra, por ser atrevido, diferente e hilariante, por despertar o interesse ou por dar uma bofetada na cara, ou então, porque marca um ponto de viragem na cultura de um povo. Caracteres é tudo isso e muito mais.

Com este livro, pode dizer-se que finalmente, os portugueses chegaram a um patamar que lhes proporciona aquele dom tão nobre e digno: de poderem rir de si próprios. Caracteres, por Frederico Lourenço, ilustrado por Richard de Luchi, e editado por Livros Cotovia, apresenta esboços escritos e ilustrados de trinta “pessoas-tipo” que se vê todos os dias na sociedade portuguesa.

As descrições, cada uma com seu desenho em tinta de china com aguado, variam de uma página a poucas linhas, todas acutilantes, captando a essência destas personagens observadas por Frederico Lourenço e apresentadas graficamente por Richard de Luchi. As palavras e as imagens complementam-se, produzindo uma obra que é impossível de por de lado e provocando uma ânsia para ver o segundo volume nas prateleiras. (Quando, Livros Cotovia?)

Inspirado nos trinta Caracteres de Teofrasto (século IV AC), esta obra apresenta-nos, como título de exemplo, O Burguesso, que “trata a própria mulher por filha”, O Surfista, que “vive fechado no seu autismo narcísico”, O Latifundiário Alentejano, que “não vê grande diferença entre uma mulher e uma galinha” ou então, o Gay Discreto, que “é tão discreto que nem a própria mulher, de quem teve quatro filhos, alguma vez lhe descobriu a sexualidade”. Estes cinco caracteres são desenvolvidos em palavras e desenhos, juntamente com 25 outras personagens-tipo da sociedade portuguesa, ao longo das 74 páginas deste livro.

Frederico Lourenço (n. 1963) é Professor Associado na Faculdade das Letras na Universidade de Lisboa. Lecciona Clássicos.

Richard de Luchi, artista plástico e gravador, reside em Lisboa há 23 anos, “tempo suficiente para reconhecer estas personagens,” nas palavras dele e transformá-los em arte, dando-os vida e cor. Para este artista, “a arte faz parte da sociedade e a sociedade parte da arte, não são entidades isoladas”.

Neste livro, a literatura e as artes gráficas se complementam, criando uma obra diferente, que vale a pena ler.

Site da editora: http://www.livroscotovia.pt/

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular